Escola do poder

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1869 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

Através da escola do aprendizado, foi introduzido o tema poder e política que anteriormente foi ignorado por outras escolas. Na prática as relações de política e poder, estão presentes no comportamento dos indivíduos nas organizações e também na formulação de estratégias. A escola do poder caracteriza a criação de estratégia com um processo suscetível de influência, deixandoclaro o uso do poder e política para negociação de estratégias do interesse das organizações. Desta forma a política torna-se sinônimo de exploração do poder de maneira que não seja puramente econômica, onde inclui movimentos clandestinos para subverter a concorrência ou desenvolver arranjos cooperativos concebidos para o mesmo fim.
As relações de poder cercam as organizações, fazendo-senecessário uma distinção entre os dois ramos desta escola, sendo chamados de micro o que trata dos aspectos do jogo de política de poder ilegítimo dentro da organização e o poder macro que trata do uso do poder pela organização.

PODER MICRO

Por muito tempo as pessoas foram consideradas pelos executivos como insumos de “mão-de-obra” submissos e leais, não observando que asorganizações são compostas por pessoas que tem seus sonhos, anseios, ciúmes, interesses, temores e desejos, devendo ser considerados no processo de formulação das estratégias. Devemos considerar que a formulação de estratégia como um processo político.

Formulação de estratégia como um processo político

A formulação de estratégia pode ser um processo de planejamento, análise eaprendizado. Pode ser ainda um processo de negociação e concessões entre indivíduos, grupos e coalizões. Porém os defensores desta escola, afirmam que não é possível formular, menos ainda implantar, estratégias ótimas, onde as metas concorrentes das pessoas e/ou grupos de pessoas distorce a estratégia pretendida durante o caminho através de vários tipos de “jogos políticos”.
Zald e Berger (1978),descreveram os “Movimentos Sociais em Organizações”, como: Golpe de estado, insurgência e movimentos de massa. Já Bolman e Deal (1997), formularam as seguintes proposições a respeito do mundo da política organizacional: coalizões, diferenças duradouras, recursos escassos, conflito e posições.
Através destas proposições, verifica-se que a idéia de formulação de estratégia é realizada por grupose/ou indivíduos que interferem diretamente no processo, ao contrário da formulação por um único “arquiteto” ou de uma equipe de “estratégia” homogênea.

Jogos políticos em organizações

Jogo de insurgência: normalmente jogado para resistir a autoridade ou efetuar mudanças nas organizações.
Jogo de contra insurgência: jogado pelos detentores do poder, contra o movimento deinsurgência, aparentando um poder legitimo.
Jogo de patrocínio: jogado para construir uma base de sustentação, normalmente na busca do apoio da estrutura formal.
Jogo de formação de alianças: jogado entre os pares, normalmente no nível gerencial, para a formação de uma aliança em torno de objetivos.
Jogo de construção de impérios: jogado normalmente por gerentes de linha,para formar uma base de poder com seus subordinados.
Jogo de orçamentação: jogo com regras claras e abertas visando a formação de uma base de poder.
Jogo de perícia: jogo do uso da perícia para a formação de uma base de poder.
Jogo de domínio: jogado para construir uma base de poder legitimo de forma legitima sobre quem tem menos ou nenhum poder.
Jogo de linha versusassessoria: jogo de rivalidade entre conjunto de pares, também se caracteriza por um uso legitimo de poder legitimo.
Jogo de lados rivais: jogado quando outros jogos formam bases de poder com visões não convergentes, exemplos típicos são diferentes áreas de uma empresa, como marketing e produção.
Jogo de candidatos estratégicos: indivíduos ou grupos procuram promover, através de meios...
tracking img