Estudo de caso - os sete hábitos dos executivos pior sucedidos no mundo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (692 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Estudo de Caso

Como Quebrar uma Empresa

1) O mercado esta em constante transformação, ou seja, hoje em dia com a constante mudança do mercado, ter sucesso é muitas vezes momentâneo e podesofrer a qualquer momento alterações. Muitos executivos se iludem com o seu status, e a empresa torna-se um projeto pessoal, onde o restante dos funcionários dentro da empresa estão lá somente paraexecutar e são instrumentos a ser usados como se fossem materiais. Esses CEOs ao invés de atender as necessidades dos seus clientes, se julgam a frente de uma empresa super poderosa e tratam os clientes comograndes felizardos.

2) Identificam-se tão completamente com a empresa, muitos executivos associam a empresa como seu “império”, ou seja, comportam-se como se fossem donos e agem como se tivessemo direito de fazer o que quisesse, gastar o quanto quisesse, apostam em um projeto sem ligar para o custo pois acreditam estar investindo nele mesmo. Arriscam o dinheiro dos outros em empreendimentosousados como se fosse seu. Isso ocorre com muitos executivos que estão a muito tempo na função e se acham “donos” da empresa por acreditarem que a empresa chegou ao sucesso graças a ele.

3) Achamque sabem tudo, lideres decididos e determinados acabam solucionando um problema tão rápido que nem percebem as implicações que pode haver. Sua maior satisfação é ter a resposta na ponta da línguadiante dos seus subalternos, pois assim se sentem prestigiados.

4) Não aceitam quando alguém não o apoia e corta da empresa instantaneamente, eliminam os pontos contrários e discordantes, deixandopassar a correção dos problemas, sufocam a discordância e as reprime. Em alguns casos, alguns executivos acabam despedindo quem discorda dele.

5) São porta-vozes por excelência, obcecados pela imagemda empresa, quando um executivo passa a ser uma figura publica, ou seja, aparece a todo tempo na mídia com uma performance de auto-confiança, ao invés de fazer o que é necessário dentro da empresa...
tracking img