Karoshi

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3153 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
PSICODINÂMICA DO TRABALHO






RESUMO


Este artigo visa identificar a importância do estudo da psicodinâmica do trabalho no curso de Administração de Empresas, bem como os seus impactos na vida do trabalhador, seja na visão do empregado ou do empregador. Alem do exposto acima, é importante avaliar que o excesso de trabalho pode ter conseqüências graves para o ser humano a exemplo doKaroshi.




Palavras chaves: Psicodinâmica do trabalho e Karoshi








ABSTRACT


Keywords:













SUMÁRIO


1. INTRODUÇÃO


2. A PSICODINÂMICA DO TRABALHO


3. O KAROSHI

4. I º FÓRUM DE PSICODINÂMICA DO TRABALHO


5. CONCLUSÃO

6. REFERÊNCIAS

7. ANEXOS1. INTRODUÇÃO

O presente estudo toma por base os textos de Graça Druck e Tânia Franco publicados no Caderno do Centro de Recursos Humanos da Universidade Federal da Bahia (UFBA) no ano de 2001. O primeiro traz como temática principal a flexibilização e precarização do trabalho enquanto o segundo trata da morte súbita por excesso de trabalho – o Karoshi. O objetivo deste estudo étrazer para o campo da administração de empresas a preocupação com a saúde do trabalhador, uma vez que o mundo globalizado exige cada vez mais produtividade, sacrificando o tempo de lazer do empregado e eliminando seus hábitos saudáveis.
Destaque especial para a forma de gestão inspirado no modelo japonês, o Toyotismo. Este modelo desenvolve-se com a crise do final dos anos 1960 e inicio de1970 e está relacionada fundamentalmente com a crise da estrutura do capital que na tentativa de recuperação de seu ciclo produtivo e resgate de  seu processo de dominação, deflagra intensas transformações no próprio processo produtivo, pelas vias de novas formas de acumulação.
Juntamente com essas mudanças assisti-se a degradação das condições de trabalho, dos direitos trabalhistas e,conseqüentemente, dos trabalhadores.














































2. A PSICODINÂMICA DO TRABALHO

Um grande nome no assunto e que irá balizar parte da nossa discussão é o médico do trabalho, psiquiatra e psicanalista Christophe Dejours.
Um aspecto importante que rege a Psicodinâmica do trabalho é a chamada carga detrabalho que, por sua vez, pode ser sub-divida em carga física e carga mental. A carga mental é dificilmente quantificada, uma vez que prazer, satisfação, frustração, agressividade dificilmente se deixam manipular por números. Por outro lado essa subjetividade traz uma série de conseqüências reais e concretas no desempenho do trabalhador. Diferentemente do que observamos na carga física que o perigoabrange apenas um emprego excessivo de aptidões fisiológicas.
Deve-se entender o trabalho, no entanto, como categoria ontológica da existência do ser humano na relação metabólica entra sociedade e natureza. Sabe-se que essa relação se torna polissêmica sob a ordem do movimento de reprodução do capital. Assim, a organização e a reorganização da sociedade para a produção implica, além de umredimensionamento do trabalho, em uma reorganização espacial e territorial da sociedade. A flexibilização e a precarização, são então fenômenos territoriais e expressões geográficas da dinâmica do trabalho.
Nesse contexto da crise deflagrada, entre 1960 e 1970, relacionada fundamentalmente a crise da estrutura do capital, surge o Toyotismo. Trata-se de um modelo de produção, criado pelo oengenheiro japonês Eiji Toyoda e seu especialista em produção Taichi Ohno, com o objetivo de superar o princípio taylorista/fordista e elevar a competitividade da Toyota diante das potências mundiais. Observam-se modificações importantes no campo do trabalho, como a introdução de novas tecnologias e aumento da exploração da classe operária.
Para melhor compreender esse tema faz-se...
tracking img