Razao Desejo E Vontade Filosofia artigos e trabalhos de pesquisa

  • Filosofia Moral

    A filosofia moral Moral – Ética Introdução •Toda cultura e cada sociedade institui uma moral, válida para todos os seus membros. Culturas e sociedades fortemente hierarquizadas e com diferenças de classes podem até mesmo possuir várias morais. •No entanto, a simples existência da moral não significa a presença explícita de uma ética, entendida como filosofia moral, isto é, uma reflexão que discute, problematize e interprete o significado dos valores morais. Ética ou filosofia moral ...

    3467  Palavras | 14  Páginas

  • Filosofia

    Razão, desejo e vontade A tradição filosófica que examinamos até aqui constitui o racionalismo ético, pois atribui à razão humana o lugar central na vida ética. Duas correntes principais formam a tradição racionalista: aquela que identifica razão com inteligência, ou intelecto – corrente intelectualista – e aquela que considera que, na moral, a razão identifica-se com a vontade – corrente voluntarista. Para a concepção intelectualista, a vida ética ou vida virtuosa depende do conhecimento...

    3465  Palavras | 14  Páginas

  • Ética, Filosofia Moral e Liberdade

    Trabalho apresentado como Requisito de avaliação e aproveitamento Da disciplina Filosofia orientada pelo Professor Paulo Gama BRAGANÇA – PA 2014 SUMARIO I – INTRODUÇÃO II – ÉTICA 2.1.1 – A EXISTENCIA ÉTICA 2.1.2 – SENSO MORAL E CONSIENCIA MORAL ...

    6986  Palavras | 28  Páginas

  • Razão

    que é razão? A razão existe nos seres humanos desde a mais tenra existência. Está inserida no contexto histórico-cultural da sociedade, como algo natural. Em nosso cotidiano nos deparamos com a palavra razão e seus adjetivos, tais como: “a razão deste comportamento” ou “ ele esta coberto de razão”, ou simplesmente “ fulano não tem razão/ perdeu a razão”, falamos da razão com propriedade, como algo já existente em nós , como um “objeto” flexível que podemos perder ou adquirir. Usamos a razão para...

    692  Palavras | 3  Páginas

  • Questionário de Filosofia

    Turma 21N: 23 de outubro - Turma 22N: 18 de outubro A atividade vale 6 pontos e será recebida somente na data determinada. Responda: 1. Que quer dizer a palavra filosofia? Que sentido lhe deu Pitágoras? De origem grega, a palavra filosofia significa amigo da sabedoria (philos = amigo e Sophia = conhecimento). A palavra filosofia é utilizada pela primeira vez por Pitágoras, por volta do século VI a.C., quando se dá a passagem do mundo mítico para a consciência racional. Nesta época, surgem os...

    11065  Palavras | 45  Páginas

  • Convite a Filosofia-Marilena Chauí

    1. Em abordagem ao 1 Capítulo da 1ªUnidade do livro: “Convite a Filosofia” (A origem da Filosofia- Marilena Chauí) A autora inicia a abordagem atentando ao fato de nossa vida estar repleta de certezas cotidianas óbvias, as quais são oriundas, muitas vezes, de pré-conceitos, pré-juízos e do senso comum – aquelas coisas que todos sabem. Manifestam-se, vez em quando, em regras implícitas que acreditamos ser do conhecimento de todos. O exemplo que ilustra muito bem essa questão é “não pegar chuva,...

    9152  Palavras | 37  Páginas

  • filosofia aristoteles

    grego ou um romano, jamais poderia fazer parte dos valores do homem livre: o trabalho. Em contra­partida e como conseqüência, o ócio, valorizado pelos anti­gos e considerado pela sociedade escravista greco-romana como condição para o exercício da filosofia e da política, torna-se, a partir de então, o vício da preguiça. Ampliando a comparação: a ética de Espinosa Se, agora, tomarmos como referência um filósofo do século XVII, Baruch Espinosa, cuja obra principal intitula-se Ética, veremos o quadro...

    6416  Palavras | 26  Páginas

  • A afirmação e a negação da vontade em arthur schopenhauer

    A AFIRMAÇÃO E A NEGAÇÃO DA VONTADE EM ARTHUR SCHOPENHAUER ILHÉUS-BA 2010 ADRIANA D´EL REI FREITAS Monografia apresentada, para obtenção do título de graduada em Filosofia da disciplina Prática da Pesquisa em Filosofia II, à Universidade Estadual de Santa Cruz. ...

    12273  Palavras | 50  Páginas

  • FIlosofia moral

    Capítulo 5 A filosofia moral Ética ou filosofia moral Toda cultura e cada sociedade institui uma moral. A simples existência da moral não significa a presença explícita de uma ética, entendida como filosofia moral, isto é, uma reflexão que discuta, problematize e interprete o significado dos valores morais. Podemos dizer, a partir dos textos de Platão e de Aristóteles, que, no Ocidente, a ética ou filosofia moral inicia-se com Sócrates. Atenas – FOTO de Sócrates questionando os atenienses ...

    1987  Palavras | 8  Páginas

  • Filosofia éticaDavid Hume

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC BACHARELADO DE CIÊNCIAS & HUMANIDADES CONHECIMENTO E ÉTICA FILOSOFIA ÉTICA – DAVID HUME PAPER A SER APRESENTADO REFERENTE AO CAPITULO SEIS: “DAVID HUME: SOMOS SERES MORAIS PORQUE NÃO PODEMOS EVITAR O DESEJO DE SER BOM” DO LIVRO “ÉTICA PARA PRINCIPIANTES” DO LUIS ALBERTO PELUSO SÃO BERNARDO DO CAMPO 2014 David Hume nasceu no dia 07 de maio de 1711 em Edimburgo, Escócia e faleceu no dia 25 de agosto de 1776. Era neto de sir David...

    1713  Palavras | 7  Páginas

  • Etica a filosofia moral

    ÉTICA OU FILOSOFIA MORAL Toda cultura e cada sociedade institui uma moral, isto é, valores concernentes ao bem e ao mal. Culturas e sociedades fortemente hierarquizadas e com diferenças de castas ou de classes muito profundas podem até mesmo possuir várias morais, cada uma delas referida aos valores de uma casta ou de uma classe social. No entanto, a simples existência da moral não significa a presença explícita de uma ética, entendida como filosofia moral, isto é, uma reflexão que discuta...

    2004  Palavras | 9  Páginas

  • "A existência ética" e “a filosofia moral”, de marilena chauí. (resumo)

    2. Destaque em tópicos os principais conceitos encontrados no texto (mínimo de 8 e máximo de 12). 3. Defina os conceitos citados, de acordo com o texto, mas usando também suas palavras (Não é para copiar e colar!). 4. Leia o texto 2 “A filosofia moral”, também de Marilena Chauí (arquivo postado na área Exercícios e Complementos), e elabore um resumo de 1 a 3 páginas, sintetizando os assuntos abordados no texto. Bom trabalho! [pic] Fundação Centro de Ciências e Educação Superior...

    2703  Palavras | 11  Páginas

  • Suicídio na filosofia de arthur schopenhauer

    Revista Voluntas: estudos sobre Schopenhauer – 2º semestre 2010 – Vol. 1 – Nº 2 – ISSN: 2179-3786 - pp. 23-32 Algumas considerações sobre a questão do suicídio na filosofia de Arthur Schopenhauer Élcio José dos Santos Mestrando em Filosofia pela UFPR Para Viviane RESUMO: O objetivo do presente texto é abordar algumas questões referentes à posição de Schopenhauer acerca do suicídio. Se viver é sofrer, somente a dor é positiva, vida e morte são meras ilusões. Se o mundo constitui o inferno, seria...

    4041  Palavras | 17  Páginas

  • Exercicio de filosofia

    Exercício de Filosofia 1) Considerando-se os dois sentidos da palavra éthos, quando nasce a filosofia moral ou a disciplina filosófica denominada ética? Resp. Quando passamos a indagar o que são, onde vem e o que valem os costumes. 2) Explique porque Sócrates incomodava os atenienses? Resp. Porque suas perguntas sempre os forçava a indagar qual a origem e a essência das virtudes que julgavam praticar ao surgir os costumes de Atenas. 3) O que Aristóteles entendia por práxis? Como...

    804  Palavras | 4  Páginas

  • Filosofias medievais e o Direito

    ALESSANDRO BODANESE, AZIÉLI CRISTINA SCOPEL, LARISSA LOREGIAN, MICHELE BEDIN, SUELEN GOMES, THAIS FRANCHESCA GIRARDI AS FILOSOFIAS MEDIEVAIS E O DIREITO PINHALZINHO 2014 ALESSANDRO BODANESE, AZIÉLI CRISTINA SCOPEL, LARISSA LOREGIAN, MICHELE BEDIN, SUELEN GOMES, THAIS FRANCHESCA GIRARDI AS FILOSOFIAS MEDIEVAIS E O DIREITO Trabalho da disciplina História das Instituições Jurídicas apresentado ao curso de Direito, da...

    3164  Palavras | 13  Páginas

  • filosofia

    SOCIOLOGIA E FILOSOFIA – RESUMOS Immanuel Kant: Texto “O que é iluminismo” Começa com “a diferença entre o homem e o resto da natureza”. A filosofia consagra diferença entre desejos e vontades. O que são desejos? São impulsos do corpo (fome, sede, sexo). O que é vontade? É uma ação livre, racional, própria do ser humano. Teu cachorro age baseado nos desejos que ele tem. Fome: vai e come. Você, ser humano, tem desejos. Mas também tem vontade. E a vontade é a capacidade que a razão/alma tem de escolher...

    1618  Palavras | 7  Páginas

  • A antinomia da razão prática: conflito e solução

    FEDERAL UN IVERS IDAD E F EDERA L DO PARÁ INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS FACULDADE DE FILOSOFIA KASSIA VARELLA MORIYA A ANTINOMIA DA RAZÃO PRÁTICA: CONFLITO E SOLUÇÃO Belém (PA) 2012 1 KASSIA VARELLA MORIYA A ANTINOMIA DA RAZÃO PRÁTICA: conflito e solução Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Hu manas, para obtenção do grau de Bacharel em Filosofia. Orientador: Prof. Dr. Luís Eduardo Ramos de Souza ...

    10140  Palavras | 41  Páginas

  • Fichamento Hegel: A razão na história: uma introdução geral à filosofia da história

    Rafael José Hinça – Teoria da História III Fichamento Hegel1 – A razão na história HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. A razão na história: uma introdução geral à filosofia da história. Trad. Beatriz Sidou. 2ª Edição. São Paulo: Centauro, 2001. 1 – Os três métodos de escrever a história: Hegel inicia o texto propondo três métodos de se estudar a história: 1 – A história original; 2 – A história reflexiva; 3 – A história filosófica. Sobre a “História Original”: Seria a história puramente descritiva...

    3800  Palavras | 16  Páginas

  • Teste de Filosofias 10 ano

    ESCOLA SECUNDÁRIA ALVES REDOL 2014-2015 Turma e Ano:____________ Número:____________ Nome_______________________________ TESTE FILOSOFIA A: 6-11-2014 Professor Pedro Mota Matriz:  7 perguntas de escolha múltipla/completar: 20*7=140. 2 perguntas de resposta por extenso: 30*2=60. Critérios para as respostas por extenso: Enuncia e define as ideias e conceitos fundamentais do tema em questão: 25%. Expõe, interpreta, explica, analisa e/ou argumenta a respeito da questão: 50% (ou 75%...

    787  Palavras | 4  Páginas

  • FIlosofia

     ÉTICA OU FILOSOFIA MORAL Toda cultura e cada sociedade institui uma moral, culturas e sociedades podem até mesmo possuir várias morais, uma reflexao que discuta, problematize e interprete o significado dos valores morais. A filosofia moral nase quando se passa a indagar o que são, de onde vem e o que valem os costumes. A filosofia moral nasce quando, além das questoes sobre os costumes, tambem busca compreender o caráter de cada pessoa. SÓCRATES, O INCANSÁVEL PERGUNTADOR Sócrates perguntava...

    1351  Palavras | 6  Páginas

  • FILOSOFIA KANTIANA

    compareciam em suas palestras. Ele era popular e dedicado e proferia vinte palestras por semana, sobre os assuntos que incluíam metafísica, lógica, ética, Direito, geografia e antropologia. Os pensamentos kantianos tiveram muita influencia na filosofia moral e política posterior a ele. Alem de sua influencia histórica ela está por trás do pensamento contemporâneo sobre moral e política, mesmo que não nos damos conta disso. 2.TEORICOS DO CONHECIMENTO Kant foi um filosofo da Área da Metafísica...

    2453  Palavras | 10  Páginas

  • Atividade De Filosofia

    palavra? Resposta: Apalavra filosofia é grega. É composta de duas outras: philo e sophía. Philo quer dizer “aquele ou aquela que tem um sentimento amigável”, pois deriva de philía, que significa “amizade e amor fraterno”. Sophía quer dizer “sabedoria” e dela vem a palavra sophós, sábio. Filosofia significa, portanto, “amizade pela sabedoria” ou “amor e respeito pelo saber”. Atribui-se ao filósofo grego Pitágoras de Samos (que viveu no século V a.C) a invenção da palavra “filosofia”. Pitágoras teria afirmado...

    1046  Palavras | 5  Páginas

  • O problema da indiferença da vontade no livro VIII das Confissões

    a existência do apego à vontade carnal em detrimento a vontade espiritual. Diante de tal questão, depara-se o homem com a indiferença da vontade em sua unidade e uma sobrecarga de hábitos cristalizados acabam por impedir o homem de estar voltado para verdade. É nesse sentido que Agostinho conclui que pela verdade chega-se à eternidade e, pelo hábito, apenas ao desejo de um bem temporal. O problema da indiferença da vontade no livro VIII das Confissões...

    3705  Palavras | 15  Páginas

  • Fichamento (Chauí Milena. Convite a Filosofia 13º edição São Paulo: editora África 2003)

    Departamento de Ciências Humana e Tecnologias- DCHT CAMPUS XVII- Bom Jesus da Lapa Bacharelado em Administração 1º semestre 2014.2 noturno Componente: Filosofia e Ética Resumo de texto Referencia bibliográfica (Chauí Milena. Convite a Filosofia 13º edição São Paulo: editora África 2003) 1-Conceito e Origem da Filosofia No passado quando os mitos dominavam o imaginário popular, Sócrates um Ateniense foi consultar um Oraculo, pois ele desejava saber o que significava...

    3046  Palavras | 13  Páginas

  • Filosofia Interna e Externa

    A filosofia interna e a filosofia externa                                                A Filosofia Interna e a Filosofia Externa.Caro leitor. É sempre um mistério como foi exposto esse texto que joga uma certa dose de luz nas trevas entre a filosofia interna e a filosofia externa.É verdade que a filosofia para alguns os chamados eleitos considera a perola, a luz no fundo do túnel ou a pedra lapidada, mas, para os leigos a filosofia não passa de contos ou de uma historia contada ou de certa forma...

    835  Palavras | 4  Páginas

  • A filosofia do iluminismo

    mesmos se impuseram a si. Tutelados são aqueles que se encontram incapazes de fazer uso da própria razão independentemente da direção de outrem. É-se culpado da própria tutelagem quando esta resulta não de uma deficiência do entendimento mas da falta de resolução e coragem para se fazer uso do entendimento independentemente da direção de outrem. Sapere aude! Tem coragem para fazer uso da tua própria razão! - esse é o lema do Iluminismo".[5] As Fases do Iluminismo: Os pensadores iluministas tinham...

    10438  Palavras | 42  Páginas

  • A IDEIA DO MAL NA FILOSOFIA AGOSTINHA COMO RESPONSABILIDADE DA LIBERDADE HUMANA. 1

    A IDEIA DO MAL NA FILOSOFIA AGOSTINHA COMO RESPONSABILIDADE DA LIBERDADE HUMANA. 1 2 FILS-AIMÉ Franckel, 3 DACEUS Etienne, 4 RODRIGUES A. Ricardo. 1 Trabalho de pesquisa vinculado a disciplina da filosofia medieval ² Acadêmico do curso de Filosofia, do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS. Franckfils2012@gmail.com, RESUMO Santo Agostinho filósofo medieval entendeu que o mal na história humana não tem relação com essência humana enquanto criatura de Deus, o homem caiu...

    4395  Palavras | 18  Páginas

  • filosofia moral

    A filosofia moral   Cada cultura institui uma moral, ou seja, valores concernentes ao bem e ao mal, valores estes válidos para todos os membros. Entretanto, a simples existência da moral não significa a presença da ética entendida como filosofia moral. A filosofia moral inicia-se com Sócrates, que percorrendo as ruas de Atenas, perguntava aos atenienses o que eram os valores nos quais acreditavam. Indagava acerca do que é justiça, piedade, amizade, entre outros. Sócrates embaraçava os atenienses...

    2272  Palavras | 10  Páginas

  • A filosofia moral

    A FILOSOFIA MORAL Ética ou Filosofia Moral Toda cultura e cada sociedade institui uma moral, válida para todos os seus membros. No entanto, a simples existência da moral não significa a presença explícita de uma ética, entendida como filosofia moral, isto é, uma reflexão que discute, problematize e interprete o significado dos valoras morais. De fato, como vimos anteriormente, isso se dá porque os costumes são anteriores ao nosso nascimento e formam o tecido da sociedade em que vivemos, de modo...

    1736  Palavras | 7  Páginas

  • Aspectos da filosofia contemporânea

    História e progresso O século XIX é, na Filosofia, o grande século da descoberta da História ou da historicidade do homem, da sociedade, das ciências e das artes. É particularmente com o filósofo alemão Hegel que se afirma que a História é o modo de ser da razão e da verdade, o modo de ser dos seres humanos e que, portanto, somos seres históricos. No século passado, essa concepção levou à ideia de que os seres humanos, as sociedades, as ciências, as artes e as técnicas melhoram com o passar...

    2661  Palavras | 11  Páginas

  • filosofia

    Exercício de Filosofia 1) Considerando-se os dois sentidos da palavra éthos a) Quando nasce a filosofia moral b) Explique porque Sócrates incomodava os atenienses 2) O que Aristóteles entendia por práxis? 3) Segundo Aristóteles, qual é o campo das ações éticas? Por que essa concepção exclui o necessário e o contingente do campo ético e afirma a importância do possível? 4) Explique a distinção aristotélica entre o que é “por natureza” e o que é “por vontade” 5) Qual é o legado ético dos...

    613  Palavras | 3  Páginas

  • Fé e Razão

    conhecimento de Deus: Razão Religião Revelação São vias de acesso cognitivo - não vias da comunhão com Deus. Somente por meio do amor é possível experienciar Deus em si mesmo. Fé e Razão – caminhos para conhecer Deus. Partindo da prática, incluimos também o caminho das religiões – caminho mais comum das pessoas conhecerem a Deus. (BOFF, Clodovis. Teoria do método teológico. 2 . a edição. Petrópolis/RJ: Vozes, 1998 p. 571-593) Caminho da razão – (Filosofia) chega até o nível da nuvem...

    1485  Palavras | 6  Páginas

  • filosofia

    GABARITO Conteúdo de Prova – P2 (III TRIMESTRE) : Mora l e Ética; Dever e Liberdade; Teóricos da Liberdade e Teóricos da Ética “Para uma melhor preparação para a prova, estude os slides que estão no Blog de Filosofia – site do colégio e os registros do caderno ”. __ ___________________ // _____________________ 1) Os conceitos de moral e ética, ainda que diferentes, são com frequência usados como sinônimo. No entanto, podemos estabelecer algumas diferenças entre eles, embora essas ...

    1552  Palavras | 7  Páginas

  • A Razão na História

    Georg Wilhelm Friedrich Hegel A Razão na História Uma Introdução Geral à Filosofia da História Introdução de Robert S. Hartman Tradução: Beatriz Sidou Capa: Paulo Gaia Revisão: Maria Ofélia da Costa Editoração: Conexão Editorial Impressão e Acabamento: Provo Distribuidora e Grafica CONTEÚDO INTRODUÇÃO DE ROBERT S. IIARTMAN Título Original: Reason in History : A general Introduction to the Philosophy of History Tradução: Beatriz Sidou O significado de Hegel para...

    47486  Palavras | 190  Páginas

  • Princípios da filosofia

    A liberdade da vontade e o conceito de direito HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Princípios da Filosofia do Direito. São Paulo: Martins Fontes, p. 1-34. O presente estudo tem por objetivo analisar apenas o que Georg Hegel escreve na introdução do seu “Princípios da Filosofia do Direito”, publicado no longínquo ano de 1820, na Alemanha. A obra em destaque versa sobre as esferas em que o direito é visto por Hegel, fazendo um estudo sobre a filosofia em seus diferentes campos. O objeto do presente...

    1108  Palavras | 5  Páginas

  • filosofia

    NACIONAL DE APERFEIÇOAMENTO EM RECURSOS HUMANOS GRADUAÇÃO INTERNACIONAL EM EDUCAÇÃO PEDAGOGIA FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO ALUNO (A)_________________________________________________ IPAUMIRIM – CE, 2014 PLANO DE CURSO DISCIPLINA: Filosofia da Educação Ementa: Filosofia e educação. Educação: natureza e função, levando em consideração as concepções filosóficas: Platão e Filosofia da educação, Agostinho, Rousseau, Kant, Nietzsche, os mestres como modelos. Objetivo Geral: Compreender...

    16597  Palavras | 67  Páginas

  • A origem da filosofia

    A ORIGEM DA FILOSOFIA Antes de se fazer uma analise sobre o pensamento filosófico propriamente dito, é de grande valia buscar o significado etimológico do termo que nomeia esta ciência. A palavra ‘filosofia’ possui origem grega – berço dos primeiros e grandes filósofos da humanidade – e é composta, essencialmente, por duas outras palavras: Philo – respeito, amizade - e Sophia - sabedoria. Desta forma, ‘filosofia’ diz respeito à amizade pela sabedoria e, portanto, ‘filosofo’ é aquele que possui...

    923  Palavras | 4  Páginas

  • Filosofias helenísticas

    TURMA: FILOSOFIAS HELENÍSTICAS – A busca da felicidade interior Com a conquista da Grécia pelos macedônicos (322 a.C.), teve início o chamado período helenístico. Devido á expansão militar do império macedônico, efetuada por Alexandre Magno, o período helenístico caracterizou-se por um processo de interação entre a cultura grega clássica e a cultura dos povos orientais conquistados. O mesmo processo se deu no campo filosófico. As escolas platônica (Academia) e aristotélica...

    2931  Palavras | 12  Páginas

  • Dicionario de Filosofia

     Curso: Pedagogia – 1ª fase Disciplina: Filosofia e Ética AXIOLOGIA: A axiologia é o ramo da filosofia que estuda a natureza dos valores. Alguns filósofos consideram que o problema central da axiologia é a justificação dos juízos práticos em geral, confundindo-se em grande parte com a filosofia da acção e, mais recentemente, com a teoria da decisão. Outros acham que se trata da justificação dos juízos morais em particular. Principais pensadores: Alexius Meinong: (1853 - 1920) foi...

    6651  Palavras | 27  Páginas

  • RESUMO Chaui Filosofia Moral E Liberdade 5 E 6

    Curso de Psicologia MANUELA GIL PARIZOTTO RESUMO MARILENA CHAUI – A FILOSOFIA MORAL E A LIBERDADE. Trabalho apresentado como requisito como parte da avaliação do 1º bimestre da disciplina de Ética Profissional e Bioética do Curso de Psicologia da Faculdade Metropolitana de Maringá. Profa Eliane da Costa Lima 2014 Maringá – PR 1 A FILOSOFIA MORAL Neste capítulo a autora traz a discussão da ética e da filosofia moral, através de diversos conceitos já descrevidos do assunto. O primeiro...

    3072  Palavras | 13  Páginas

  • A Razão Filosófica

    Faculdade CNEC Rio das Ostras Ferreira Macedo, Ephrain Trabalho de Metodologia Cientifica: A Razão Filosófica Rio das Ostras, Rio de Janeiro. 2014 Página |2 Ferreira Macedo, Ephrain. Mat.- 14000010696 Trabalho de Metodologia Cientifica: A Razão Filosófica Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Metodologia Científica, da Faculdade CNEC Rio das Ostras, como requisito parcial para obtenção de Bacharel em Engenharia de Produção. Professor...

    10101  Palavras | 41  Páginas

  • Filosofia

    Joseph Schelling. Georg Wilhelm Friedrich Hegel Nasceu em Stuttgart na Alemanha em 27 de agosto de 1770 e faleceu em Berlim em 1830. Filho de um funcionário público entrou na Universidade de Tübíngen (1788), onde estudou teologia, literatura e filosofia gregas, conheceu lá Schelling, que junto com Hegel, se tornaria uma das maiores figuras do idealismo alemão no início do século XIX. Após o curso, deu aulas como professor particular, mais tarde viveu em Berna, Suíça. Em 1796 foi para Frankfurt...

    6868  Palavras | 28  Páginas

  • Ética ou Filosofia Moral

    Ética ou filosofia moral Toda cultura e cada sociedade institui uma moral, isto é,valores ao bem e ao mal, ao permitido e ao proibido, e à conduta correta, válidos para todos os seus membros. a existência da moral não significa a presença de uma ética. a partir dos textos de Platão e de Aristóteles, a ética ou filosofia moral iniciou-se com Sócrates, no Ocidente. Segundo Platão e Aristóteles, Sócrates perguntava aos atenienses o que eram os valores nos quais acreditavam e que respeitavam ao...

    2195  Palavras | 9  Páginas

  • trabalho filosofia

    sido declarado livre pela natureza da orientação alheia. O homem precisa de coragem para romper a barreira entre a minoridade e a maioridade, barreira esta vencida através do esclarecimento que é quando o ser tem liberdade e saber usar publicamente a razão em todas as dimensões. 2- Quem são os tutores que atualmente impedem a humanidade de pensar em si? Resposta : No texto é explicado que o livro graciosamente nos da suas ideias sem que nos esforcemos pra obte-las, o medico que nos prescreve...

    1050  Palavras | 5  Páginas

  • Felicidade em Schopenhauer - Pontos estoicos que embasam sua Filosofia

    FELICIDADE EM SCHOPENHAUER Pontos estoicos que embasam sua filosofia Neimir Paulo Mentges Graduando de Filosofia pela UNIFRA E-mail: neimir.mentges@maristas.org.br RESUMO Várias e diárias são as formas pelas quais buscamos a felicidade. Questionamo-nos se somos felizes, ou se estamos felizes. Schopenhauer por meio de sua Filosofia de vida, marcada por pensamentos pessimistas, assinala que a busca da felicidade torna-se muito difícil ou até impossível, dado que a realidade humana é marcada...

    4987  Palavras | 20  Páginas

  • Filosofia

    Cap. 27 1- Quando e de que forma nasce a filosofia moral ou a disciplina filosófica denominada ética? R: Quando passamos a indagar o que são, onde vem e o que valem os costumes. Isto é, nasce quando também se busca compreender o caráter de cada pessoa. 2- Como Sócrates contribuiu para o nascimento da ética? R: Sócrates questionava as pessoas a fim de que elas percebam que não tem conhecimento (assumam sua ignorância). Socrates embaraçava os atenienses porque os forçava a indagar não apenas qual...

    538  Palavras | 3  Páginas

  • Filosofia crítica de Immanuel Kant

     Filosofia crítica de Immanuel Kant [Trabalho de Filosofia] Introdução A moral Kantiana baseia-se num princípio formalista: o que interessa na moralidade de um ato é o respeito à própria lei moral, e não os interesses, fins ou consequências do próprio ato. Uma boa vontade, guiada pela razão age em função de um imperativo categórico (dever).  Como muitos outros filósofos, Kant pensava que a moralidade pode resumir-se num princípio fundamental...

    1150  Palavras | 5  Páginas

  • A razão e a afetividade humana em espinosa

    A razão e a afetividade humana em Espinosa Fábia Lúcia Alves de Lima Albuquerque[1] Orientador: Josailton Fernandes de Mendonça[2] Resumo: Este artigo deseja conhecer as grandes linhas da teoria da afetividade humana desenvolvida por Baruch Espinosa (1632-1677). Observa-se que uma das preocupações de Espinosa é hierarquizar os afetos segundo suas respectivas potências, ou seja, como afeto passivo e afeto ativo. Desta reflexão nasce o nosso objeto de estudo, que se debruça em demonstrar...

    1655  Palavras | 7  Páginas

  • Filosofia Em Pronto

    * ATENÇÃO: Copiar é CRIME. Art. 184 do código Penal e Lei n° 5998/73 A educação desenha o futuro – Ensino Médio – Ética: filosofia moral – Prof. Ulisses Vasconcelos portanto, ao senso moral e à consciência ética individuais. CAPÍTULO 1 A DIFERENÇA ENTRE MORAL E ÉTICA Os conceitos de Moral e Ética, embora sejam diferentes, são com freqüência usados como sinônimos. Moral vem do latim mos ou moris, que significa “maneira de se comportar regulada pelo uso”; daí relacionarmos o termo “moral” com “costume”...

    24631  Palavras | 99  Páginas

  • Filosofia crítica de Immanuel Kant

     Filosofia crítica de Immanuel Kant [Trabalho de Filosofia] Introdução A moral Kantiana baseia-se num princípio formalista: o que interessa na moralidade de um ato é o respeito à própria lei moral, e não os interesses, fins ou consequências do próprio ato. Uma boa vontade, guiada pela razão age em função de um imperativo categórico (dever).  Como muitos outros filósofos, Kant pensava que a moralidade pode resumir-se num princípio fundamental...

    1149  Palavras | 5  Páginas

  • Crise da Razão

    genérico à realidade transcendente, a tudo aquilo que está para além da dimensão do aqui e agora e que nos remete ao que nos ultrapassa1. Abaixo dela e por ela determinada, viria a razão, mesmo depois do alardeado nascimento da Filosofia, que nunca se livrou de fato de seus componentes míticos. subordinada à razão, a vontade não deveria jamais ultrapassar os limites daquela, como Descartes propõe na descrição que faz do mecanismo do erro em sua quarta meditação metafísica. Abaixo de tudo isso, os sentidos...

    904  Palavras | 4  Páginas

  • trabalho de filosofia resumo

    Universidade Católica de Pernambuco Unicap Convite a filosofia, Marilene Chauí Isabel Paiva Filosofia 10 de março de 2015, Recife-Pe Origem da filosofia A filosofia surgiu quando alguns gregos, admirados e espantados coma realidade, insatisfeitos com as explicações que a tradição lhes dera, começaram a fazer perguntas e buscar respostas. Um desses filósofos foi Pitágoras de Samos, atribui-se a ele a invenção da palavra Filosofia, Pitágoras teria afirmado que a sabedoria plena e completa...

    1750  Palavras | 7  Páginas

  • A CONSOLAÇÃO DA FILOSOFIA DE BOÉCIO

    A CONSOLAÇÃO DA FILOSOFIA DE BOÉCIO Virtude, Felicidade, Bem, Liberdade, Deus 1 INTRODUÇÃO Boécio em seu livro “A consolação da Filosofia” vem expor temas que sempre intrigaram e despertaram o interesse do homem, como a felicidade, Deus, o bem, a liberdade... Seu livro, apesar de ter sido escrito em meio a tortura devido ao fato de ter sido preso injustamente por supostamente ter praticado crimes políticos, como roubar dinheiro publico, esconder documentos do Senado entre outros, é uma...

    1988  Palavras | 8  Páginas

  • Convite a filosofia

    1. Como os filósofos do século XIX (Hegel e Comte) entendiam a história? Augusto Comte partilhava dos mesmos ideais de Hegel acerca da filosofia. Segundo Hegel a história é a realidade, e a razão, a verdade e os seres humanos são essencial e necessariamente históricos. O filósofo alemão assim como o francês Comte entendiam que a história era contínua, sendo assim a história de cada sociedade uma etapa na cadeia de civilizações. 2. Como os filósofos do século XX passaram a pensar a história...

    2088  Palavras | 9  Páginas

  • Introdução à filosofia

    1 Este texto escaneado do livro de Marilena Chauí - Convite à Filosofia – (p. 9- 24.) é uma bela introdução ao estudo da Filosofia. Boa Leitura. Prof. Waldemar milanez Introdução. Para que Filosofia? Conhece-te a ti mesmo Quem viu o filme Matrix - antes que se tornasse o primeiro de uma série - há de se lembrar da cena em que herói Neo é levado pelo guia Morfeu para ouvir o oráculo. Que é um oráculo? A palavra oráculo possui dois significados principais, que aparecem nas expressões "consultar...

    11578  Palavras | 47  Páginas

  • Vivencia filosofia

    seres dotados de vontade, dependendo dela a decisão de mentir ou ser verdadeiro. A autora mostra também que quando somos avisados que alguém está mentindo, a mentira torna-se “aceitável”, citando como exemplos as novelas, filmes e romances. Ao diferenciar verdade e mentira e distinguir mentira aceitável de mentira inaceitável, referimos não só ao conhecimento ou desconhecimento da realidade, mas também ao caráter da pessoa, à sua moral. Conclui então que, o poder de escolha da vontade definirá se uma...

    2132  Palavras | 9  Páginas

  • Perguntas e respostas de filosofia

    Filosofia significa a amizade pela sabedoria ou amor e respeito pelo saber. Atribui-se ao filósofo grego Pitágoras a invenção da palavra filosofia. 2. O que Pitágoras queria dizer ao se referir às pessoas que comparecem aos Jogos Olímpicos? Pitágoras queria dizer que o filósofo não é movido por interesses comerciais e financeiros; também não é movido pelo desejo de competir;...

    1045  Palavras | 5  Páginas

  • Crítica da razão prática

    FACULDADE REDE DOCTUM DISCIPLINA FILOSOFIA PROFESSOR: THIAGO MUNIZ TRABALHO DE FILOSOFIA CRITICA DA RAZÃO PRÁTICA LUIZ CARLOS PREST JUNIOR 2º PERIODO DIREITO MATUTINO Espirito Santo 2012 FACULDADE REDE DOCTUM 2º PERIODO DIREITO MATUTINO LUIZ CARLOS PREST JUNIOR CRITICA DA RAZÃO PRÁTICA Atividade avaliativa com função de nota parcial para o seguinte semestre do curso de direito da ...

    1006  Palavras | 5  Páginas

  • Introdução a Filosofia

    *FILOSOFIA COMPREENSÃO GERAL: 1 INTRODUÇÃO Ética, princípios ou pautas da conduta humana, também denominada filosofia moral. Como ramo da filosofia, é considerada uma ciência normativa. 2 PRINCÍPIOS ÉTICOS Os filósofos tentaram determinar a boa conduta segundo dois princípios fundamentais: considerando alguns tipos de conduta bons em si, ou em virtude de se adaptarem a um modelo moral concreto. O primeiro implica um valor final, ou summum bonum, desejável por si próprio, e não apenas como um...

    6790  Palavras | 28  Páginas

  • Filosofia - ética de kant e de mill

    Filosofia – Kant e Mill (resumos) Ética normativa – é a parte da Filosofia Moral que investiga o modo como devemos agir - A acção moral deve ser precedida e esclarecida por uma reflecção ética; - Todos se interrogam e reflectem sobre como devem agir (domínio da ética), a fim de escolher a acção mais correta (domínio da moral) Morais deontológicas – todas as teorias morais, segundo as quais certas acções devem ou não devem ser realizadas, independentemente das consequências. - As éticas deontológicas...

    2544  Palavras | 11  Páginas

tracking img