• Schopenhauer
    vontade, o desejo humano em preencher seu vazio existencial com o todo do mundo, bem como demonstrar uma visão antropológica presente na filosofia schopenhaueriana. Palavras Chaves: Vontade. Indivíduo. Mundo. Representação. Vazio existencial. Sublime...
    16335 Palavras 66 Páginas
  • Schopenhauer
    vontade, o desejo humano em preencher seu vazio existencial com o todo do mundo, bem como demonstrar uma visão antropológica presente na filosofia schopenhaueriana. Palavras Chaves: Vontade. Indivíduo. Mundo. Representação. Vazio existencial. Sublime...
    16335 Palavras 66 Páginas
  • Filosofia
    Razão, desejo e vontade A tradição filosófica que examinamos até aqui constitui o racionalismo ético, pois atribui à razão humana o lugar central na vida ética. Duas correntes principais formam a tradição racionalista: aquela que identifica razão com inteligência, ou intelecto – corrente...
    3465 Palavras 14 Páginas
  • Filosofia Moral
    seus membros. Atividade em classe •Escreva um texto explicando qual a diferença entre a ética de Espinosa e a de Aristóteles e a moral cristã no que concerne a questão da virtude. •Para entregar. Vale ponto de participação. •Com título – Mínimo 15 linhas. Razão, desejo e vontade •A...
    3467 Palavras 14 Páginas
  • autonomia moral
    vontade como característica da lei própria usa da sua racionalidade moral para uma autonomia, com ‘limites’. Assim, desta forma, é seguir ou não as vontades naturais do ser humano, assim como as vontades relacionadas aos objetos do desejo, desprovido da razão. A Autonomia Moral no Ensino de...
    3916 Palavras 16 Páginas
  • Psicologia
    a Vontade é livre contrastando com a Razão. Embora a razão pondere a Vontade ou Desejo do ser ela não impede que a Vontade prevaleça, fazendo-se dela livre. Para Hannah ao partir desses argumentos Santo Agostinho defende a liberdade da Vontade. Neste caso o ato da Vontade pressupõe a implicação...
    3597 Palavras 15 Páginas
  • Questionário de Filosofia
    transcorrendo como um embate contínuo entre nossos apetites e desejos – as paixões – e nossa razão. Por natureza, somos passionais e a tarefa primeira da ética é a educação de nosso caráter ou de nossa natureza, para seguirmos a orientação da razão. A vontade possuía um lugar fundamental nessa educação...
    11065 Palavras 45 Páginas
  • A filosofia moral
    ética transcorrendo como um embate contínuo entre nossos apetites e desejos – as paixões – e nossa razão. Por natureza, somos passionais e a tarefa primeira da ética é a educação de nosso caráter ou de nossa natureza, para seguirmos a orientação da razão. A vontade possuía um lugar fundamental...
    10850 Palavras 44 Páginas
  • PENSAMENTO SCHOPENHAUER
    organizados pela nossa razão, a “verdade” será sempre inacessível, sendo este título reservado à vontade. Tirando a vontade, conceito central da filosofia schopenhauriana, nada existe no mundo senão fantasias. SCHOPENHAUER revestiu a vontade com a essencialidade metafísica, daí um dos pontos de...
    3535 Palavras 15 Páginas
  • Como se deu o pensamento mítico
    Como se deu a passagem do pensamento mítico para a filosofia? O mito é a vontade do ser humano de entender o mundo. Antigamente os gregos acreditavam na mitologia para as explicações da existência do homem e do mundo. Hoje em dia, muita coisa mudou, porém o desejo de se entender tudo ao redor...
    576 Palavras 3 Páginas
  • Etica
    uma parte do todo natural; 3. a inseparabilidade entre ética e política: isto é, entre a conduta do indivíduo e os valores da sociedade, pois somente na existência compartilhada com outros encontramos liberdade, justiça e felicidade. Razão, desejo e vontade A tradição filosófica que examinamos...
    2013 Palavras 9 Páginas
  • Vanguardas Europeias
    reproduzir e multiplicar; e devido ao desejo de sempre querer mais, a vontade acaba levando ao sofrimento humano, pois o homem nunca será satisfeito com uma única coisa. Ainda, de vez que a Vontade é surpreendida como a coisa-em-si/essência do ser humano, e em razão do fato de o homem ser, do ponto de...
    1014 Palavras 5 Páginas
  • Aristotéles
    aumenta a capacidade de existir do nosso corpo e de nossa alma. No caso do desejo podemos ter paixões tristes (como crueldade, a ambição, a avareza) ou alegres (como a gratidão e a ousadia). RAZÃO, DESEJO E VONTADE A tradição filosófica que examinamos até aqui constitui o racionalismo ético, pois...
    1214 Palavras 5 Páginas
  • Filosofia
    como um embate contínuo entre nossos apetites e desejos – as paixões – e nossa razão. Por natureza, somos passionais e a tarefa primeira da ética é a educação de nosso caráter ou de nossa natureza, para seguirmos a orientação da razão. A vontade possuía um lugar fundamental nessa educação, pois era...
    5960 Palavras 24 Páginas
  • Mecanica
    questão da moralidade. - Lógica é o processo de raciocínio, o método usado para estudar a física e a ética. A filosofia é a manifestação suprema da razão, enquanto que a religião é a manifestação suprema da fé. Muitas vezes a fé e razão são conflitantes, e na maior parte do período, dos gregos...
    2742 Palavras 11 Páginas
  • chaui
    busca do bem e da felicidade são a essência da vida ética. • Consideram a vida ética transcorrendo como um embate contínuo entre nossos apetites e desejos – as paixões e nossa razão. A vontade possuía um lugar fundamental nessa educação, pois era ela que deveria ser fortalecida para permitir que a...
    8907 Palavras 36 Páginas
  • PUBLICIDADE
    filosofia é o ensinamento moral e ético. A filosofia seria a arte do bem-viver. Estudando as paixões e os vícios humanos, a liberdade e a vontade, analisando a capacidade de nossa razão para impor limites aos nossos desejos e paixões, ensinando-nos a viver de modo honesto e justo na companhia dos...
    3599 Palavras 15 Páginas
  • Conceitos da ética
    - Por natureza, os seres humanos aspiram ao Bem e à felicidade; 2- a virtude é a força interior do caráter que consiste na consciência do Bem e na conduta definida pela vontade guiada pela razão e 3- A conduta ética é aquela na qual o agente sabe o que está e o que não está em seu poder de realizar...
    1627 Palavras 7 Páginas
  • filosofia aristoteles
    condutas e cada um de nossos comportamentos. Razão, desejo e vontade A tradição filosófica que examinamos até aqui consti­tui o racionalismo ético, pois atribui à razão humana o lu­gar central na vida ética. Duas correntes principais formam a tradição racionalista: aquela que identifica razão com...
    6416 Palavras 26 Páginas
  • relatório
    externas) à atividade (ser causa interna). A virtude é, pois, passar da paixão à ação, tornar-se causa ativa interna de nossa existência, atos e pensamentos.” Página 345. Razão, desejo e vontade. “[...]Para a concepção intelectualista, a vida ética ou vida virtuosa depende do conhecimento...
    2060 Palavras 9 Páginas