Parasitas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1602 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Hepatozoon canis
Hospedeiros: Cães
Sinais clínicos
A infecção pode ser assintomática e a doença,quando ocorre frequentemente parece ser secundária a outros patógenos.A sintomatologia clinica consiste em febre recorrente perda acentuada de condições e dor lombar, podendo terminar de modo fatal.
Ciclo de vida
O ciclo de vida do Hepatozoon canis envolve a formação em seqüência, de distintasformas evolutivas em cada de seus hospedeiros: o carrapato, servindo como hospedeiro definitivo, e o cão, como hospedeiro intermediário.
O carrapato se infecta ao ingerir sangue de cães contendo gamontes no interior de neutrófilos e monócitos. O ciclo de infecção se inicia no estágio de ninfa e se completa quando o carrapato atinge o estágio adulto. No tubo digestivo do vetor, ocorre a fusão dosgametas e formação dos oocinetos. Os oocinetos atravessam a parede intestinal, caem na hemocele, e se desenvolvem em oocistos . Os esporozoítas não migram para a glândula salivar do carrapato, por este motivo, devem ser ingeridos para causar infecção.
Carrapato - hospedeiro invertebrado: O carrapato ingere gametócitos de H. canis juntamente com o sangue de animais infectados durante aalimentação. Os gametócitos se desenvolvem na luz do intestino do hospedeiro invertebrado. O gametócito masculino fecunda o feminino, formando o zigoto (móvel). O zigoto atravessa o intestino e chega na cavidade celomática (abdominal) do carrapato, se desenvolve em oocineto e posteriormente em oocisto. Cada oocisto possui, em média, de 8 a 16 esporozoítos.
Cão - hospedeiro vertebrado: A picada do carrapatogera uma reação inflamatória e faz com que o cão morda a região da picada e acabe por ingerir o carrapato ou os parasitas que eventualmente são depositados no local da picada. Na circulação, o oocisto se rompe liberando os esporozoítos, que se desenvolverão em macromerontes no endotélio vascular do baço, fígado e medula óssea. Os macromerontes, após rompidos, liberarão merozoítos que sedesenvolverão em micromerontes, também no endotélio. Os microzoítos liberados pelos micromerontes irão invadir os leucócitos circulantes, principalmente os monócitos e irão se diferenciar em gametócitos masculinos e femininos.
Sarcocystis Neurona
 Muitos hospedeiros intermediários são reconhecidos atualmente no ciclo de vida deste protozoário, como os gatos, tatus, gambás, guaxinins e as lontras do mar. Umavez que o hospedeiro intermediário é infectado, ele passa a desenvolver sarcocysts no seu músculo esquelético. Quando esse músculo é ingerida pelo HD, o ciclo de vida está completa.
O cavalo é considerado um hospedeiro aberrante ou beco sem saída do neurona Sarcocystis. Os cavalos são um hospedeiro intermediário aberrante de S. neurona. Os esporocistos são ingeridos, passam para o intestinodelgado e excyst lá. O estágio infeccioso do organismo, o esporozoíto, então entra cavalo a corrente sanguínea. Em alguns cavalos, estes sofrem vários ciclos de replicação em células endoteliais (nos vasos sanguíneos), tornando-se taquizoítos e migrar para o sistema nervoso central. Eles replicam assexuadamente dentro dos neurônios e células da microglia sem formação de cistos teciduais. No sistemanervoso central do cavalo, eles se dividem e crescem lentamente, gradualmente destruindo o tecido nervoso, causando falta de coordenação e de outros sinais clínicos que resultam da EPM. Nesta fase, o organismo encontrado em cavalos, não pode ser transmitida aos outros cavalos. Como o organismo não se enquistar em tecidos de cavalo, não pode ser transmitida aos gambás, mesmo que um gambá estava acomer o tecido. Portanto, o cavalo é um host beco sem saída para o protozoário.
Otobius mignini
Hospedeiros :Boi,Cavalo e de vários animais silvestres.
Localizaçao:fixa-se nas partes mais internas(profunda) do pavilhão auditivo.
Causa irritação e dor;as injurias produzidas predispõem o ataque de bernes,podendo levar a desfigurações.Infecções secundarias podem causar a perfuração da membrana...
tracking img