Kaspar hauser

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1249 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
01. O estranho – estigma físico e/ou mental:

As pessoas que cuidavam de Kaspar Hauser decidiram incluí-lo no circo para arrecadar dinheiro, expondo sua história a todos os presentes. Durante a passagem de Kaspar na Inglaterra, as pessoas disseram que ele era “cômico” e “filho da natureza” por sua condição.
Kaspar não falava, não andava, não escrevia e não lia, pois não foi colocado noconvívio social.

02. Pré-concepções – expectativas normativas:


A sociedade espera que um homem com a idade de Kaspar tenha aprendido a falar, ler, escrever, andar e conviver no meio das pessoas. Kaspar foi criticado pelo lorde da Inglaterra por fazer crochê, comportamento considerado inadequado pelo lorde.


03. Identidade social virtual x Identidade social real:

Identidadesocial virtual – a sociedade espera que Kaspar já tenha aprendido há muito tempo a viver junto de outras pessoas, aprendido a ler e a escrever e que seja um homem com idéias iguais aos dos outros.
Identidade social real – Kaspar é um homem que foi impedido de se relacionar com outras pessoas, de conversar com as mesmas e, assim, ter desenvolvido a fala, a leitura e a escrita.

04. Criaturatotal x redução a um aspecto = atributo indesejável/depreciativo:

Kasrpar era considerado uma pessoa inteligente, de acordo com o homem que o “criou”, dizendo que o mesmo aprendia tudo o que lhe era ensinado. As pessoas que o conheciam achavam que ele era cômico. Apresentaram Kaspar no circo, por sua condição e história.

05. Estigma:

Como Kaspar não desenvolveu a linguagem e, porisso, não conversava com outras pessoas, atraia a atenção para si. Todos que o conheciam queriam descobrir de onde ele veio, porque não fala, de onde veio etc.

06. Estereótipo (idéia) -------- atributo = estigma:

Mesmo sendo privado de conhecimento, Kaspar, depois de ter sido ensinado sobre religião e raciocínio lógico, não concordou com algumas idéias sobre esses assuntos, e suas idéiassobre os mesmos também não eram aceitas pelos demais.










07. Indivíduo estigmatizado – desacreditado (evidência), desacreditável (não evidência):

Desacreditado - Kaspar somente sabia falar uma frase e uma palavra, sem conseguir locomover-se direito. As pessoas que o conheciam tinham curiosidade sobre ele. Sua história fez com que Kaspar fosse exposto em um circo.Desacreditável - Kaspar, apesar de ter aprendido, em dois anos, sobre muitos assuntos e melhorado sua fala, tinha o sentimento de que não tinha aprendido nada e que estava velho para esse aprendizado.

08. Três tipos de estigmas: abominação do corpo, culpas de caráter individual e tribais, de raça, religião, nação...

Abominação do corpo – Kaspar não apresentou deformidades físicas.Culpas de caráter individual – Kaspar não se enquadrava em nenhuma das culpas.
Tribais, de raça, religião, nação – Kaspar não concordava com o que lhe era imposto sobre religião e Deus. Os religiosos forçavam Kaspar a aceitar o que diziam, mas ele ficou irredutível.

09. Distinção entre apoio a uma norma e seu cumprimento:

10. A questão da vergonha e a questão das fronteiras:

KasparHauser sentia-se diferente das demais pessoas. Tinha a sensação de que tinha aprendido sobre as coisas tardiamente. Questionado como era a sua vida no cativeiro, Kaspar respondeu que era melhor que sua vida fora dele, demonstrando seu desencaixe social.

11. “Vitimização”:

Quando Kaspar foi para a Inglaterra, o lorde que estava interessado em ajuda-lo apresentou Kaspar a todos os seusconhecidos. Quando Kaspar começa a fazer crochê, o lorde inglês considera esse comportamento inadequado.

12. Correção do defeito: concretamente, por habilidades “fechadas” a ele (aprendizado torturado), romper:

Kaspar conseguiu, desde que foi incluído na sociedade, a falar e a interpretar o que lhe diziam, mesmo achando que deveria ter aprendido isso há mais tempo. Também aprendeu a...
tracking img