Estudo de caso

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3809 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]





Renatha Ruânya Basílio Xavier










Estudo de caso

















Formosa – GO
2012

I - Identificação do paciente

Nome: J.P.L

Enf/leito: HMF

Idade: 75 anos

Sexo: Masculino

Procedência: Da sua residência em Formosa – GO

II - História clínica

História da Doença Atual

Idoso, DN: 25/06/1937. Apresentando miocardiopatiachagasica, megacolon chagásico, HAS, DPOC, fibrilação atria, BRE 2° grau.

Antecedentes Patológicos Familiares

Familiares mais velhos apresentavam as patologias do paciente.

III - Estudo de diagnóstico

Miocardiopatia chagásica

A doença de chagas é uma enfermidade endêmica na América Latina, e acomete entre 18 e 24 milhões de indivíduos e expõe cerca de 90 milhões a contrair adoença. No Brasil cerca de 6 milhões estão contaminados com a doença e devido a grande morbidade cardiovascular e digestiva constitui um dos mais importantes problemas de saúde pública no país.
É uma doença parasitária causada por um protozoário flagelado o T. cruzi. A transmissão vetorial se dá por insetos hematófagos, sendo os mamíferos os hospedeiros definitivos e principais reservatórios,estando atualmente controlada no Brasil a principal espécie, o Triatoma infestans. Porém há outros mecanismos de transmissão como a transfusão sanguínea, vertical e oral, os quais podem originar novos casos da doença.
Na infecção inicial pelo T. cruzi, denominada fase aguda, somente 5 a 10% dos indivíduos afetados apresentam sintomas da doença. Em seguida, ocorre a evolução para uma faseindeterminada, caracterizada pela ausência de manifestações clínicas. Cerca de 30% dos afetados desenvolvem um quadro de miocardite crônica, após um período entre 10 a 20 anos.
Estudos mostram o caráter evolutivo e imprevisível da doença para a forma crônica cardíaca que acomete em geral indivíduos entre a terceira e quarta décadas de vida. Afeta aproximadamente 20 a 30% daqueles em fase crônicada doença, podendo se manifestar com arritmias, tromboembolismo ou morte súbita. A morte súbita pode ser a primeira manifestação clinica da doença. As formas graves e a evolução desfavorável da doença têm sido registradas em indivíduos mais jovens, onde implica a sua incapacidade, aposentadoria precoce e morte.
A miocardiopatia chagásica é a mais agressiva das miocardites conhecidas e a quemais desorganiza a arquitetura e estrutura do miocárdio e a relação dos seus componentes. Sendo também a mais fibrosante, representando a causa mais comum de miocardite em todo o mundo. É causada provavelmente por ativação do sistema imunológico e que pode levar ao aparecimento de arritmias, cardiomegalia, insuficiência cardíaca e morte frequentemente súbita.
No Brasil, cerca de 20 a 30%desenvolvem a forma cardíaca, sendo que a cardiopatia está associada à maior morbidade e mortalidade e alto impacto médico social. Pacientes com a forma indeterminada constituem a maioria das pessoas infectadas em áreas endêmicas e cerca de 40% destes persistem nesta situação clinica. Cerca de 30% dos pacientes com a forma indeterminada podem apresentar anormalidade estrutural e ou funcional quandosão avaliados por métodos mais sensíveis de diagnóstico como ergometria, Holter, testes autonômicos ou ecocardiograma.
Como medidas gerais o Consenso Brasileiro em doença de Chagas recomenda dieta para correção da obesidade e manutenção do peso ideal, ingestão controlada de sal, de 3 a 4g por dia de cloreto de sódio para aqueles com doença leve e moderada ou 2g por dia para os casos maisgraves; restrição hídrica para os casos mais graves; não ingestão de bebida alcoólica; eliminação de fatores agravantes; atividade física individualizada de acordo com o grau da insuficiência cardíaca e a idade do paciente; vacinação contra influenza (anual) e pneumonia pneumocócica (a cada três anos) nos pacientes com insuficiência cardíaca avançada.
O tratamento medicamentoso recomendado...
tracking img