Economia brasileira

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6250 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Economia Brasileira

PAFFER, Caio César Moura












Atividade I – Estudo Dirigido











Economia Brasileira


Instituição:
FADE - Faculdade Decisão
Curso:
Ciências Contábeis
Aluno:
Caio César Moura de Paffer
Coordenadora:
Elênia Baker da Cunha
Disciplina:
Economia Brasileira
Período:









Dos tópicos abaixo fazer pesquisabibliográfica de cada um definindo conceitos de no mínimo três autores com citações das respectivas referências e fazer o resumo dos conceitos para cada tópico do teu entendimento com tuas próprias palavras.

1. Economia Colonial – Séculos XVI a XIX;
2. Expansão Cafeeira e Origens da Indústria;
3. Processo de Substituição de Importações: da crise de 1930 ao II PND;
4. Anos 1980: Crise eInflação;
5. Anos 1990: A modernização conservadora;
6. Retrato do Brasil no Mundo Globalizado.






























1. Economia Colonial – Séculos XVI a XIX

1ª Citação
Esta política, que chamamos mercantilista, promovia uma ligação entre o “capitalismo" comercial e o absolutismo político e, de forma agressiva, tentava maximizar os instrumentos depoder econômico e político, permitindo o fortalecimento do Estado português e o enriquecimento da burguesia.
Deve-se lembrar, ainda, que o colonialismo é apenas uma faceta do mercantilismo, ou seja, apenas uma de suas práticas que possuía como objetivo central a concentração ou o acúmulo de metais preciosos pelas nações, principalmente através da manutenção de uma balança comercial favorável ousuperavitária. Note-se que hoje, a tendência do capitalismo não é de acumular, mas reaplicar os capitais em atividades diversas visando amplia-lo e protegê-lo contra possíveis instabilidades do mercado.

As perspectivas econômicas
"...Pardos, nus, sem coisa alguma que lhes cobrisse suas vergonhas...." foram, segundo descrição de Caminha, os habitantes encontrados aqui por Cabral.
Num primeiromomento parecia decepcionante pois não oferecia grandes perspectivas de atingir os objetivos mercantilistas.
Apesar dos boatos, não possuíam tesouros a serem surrupiados, como nas colônias espanholas da América Central e sul; as jazidas de metais ou pedras preciosas estava muito mais no Terreno da especulação e as buscas redundavam em fracassos.

A exploração das terras brasileiras segue avante,aos trancos e barrancos. Enquanto o produto cobiçado não dá as caras, o ouro e as pedras preciosas, vai se cultivando outros artigos desejados pelo mercado europeu.
Normalmente, esses produtos são explorados de maneira intensiva, em forma de monocultura e em grandes extensões de terras. Dependia este, da demanda do consumo europeu. Se a procura era grande, a produção, por aqui, aumentava evice-versa. O período em que aquele produto determinado estava em ascensão foi chamado de "Ciclo".

É oportuno lembrar que aquela economia de caráter cíclico provocou uma série de efeitos negativos:
- a economia monocultora era vulnerável às flutuações do mercado.
- crise no mercado externo representava crise na economia interna;
- o controle dessa produção estava em mãos de poucos proprietários- levando a uma concentração de renda a favor de uma minoria;
- a mão de obra escrava gerava um mercado consumidor fraco, afinal escravos trabalham mas não recebem.

Referência
http://www.eduquenet.net/brasilcolonia.htm (por Eustáquio Lagoeiro Castelo Branco)


2ª Citação
Da época colonial as vésperas da Segunda Guerra mundial, a importância de cada região era dada pelo valor dasexportações dos nossos produtos primários. As oscilações nas exportações, tanto em produtos como em valores, acabaram acarretando um processo de descontinuidade no crescimento e, consequentemente, na importância de cada região. Vale lembrar os diferentes períodos da nossa economia: a fase da cana-de-açúcar (Nordeste), do ouro (Minas), do café (São Paulo), da borracha (Amazonas) etc. Cada um desses...
tracking img