Resumo De Racionalismo E Cartesiano artigos e trabalhos de pesquisa

  • Racionalismo e empirismo

    ---------- Resumo No século XVII, havia abundância de conhecimento, advindo de pensadores das Idades Antiga, Média e do Renascimento. Logo, nessa Idade Moderna, passou-se a existir o problema gnosiológico, ou do conhecimento, o qual colocava em questão o método pelo qual se obtém conhecimento; a veracidade ou não desse conhecimento; como organizá-lo; o que ele é; etc. Para tal paradigma, surgiram duas correntes filosóficas: o racionalismo e o empirismo. Racionalismo Cartesiano O racionalismo...

    1554  Palavras | 7  Páginas

  • racionalismo

    O que é Racionalismo: O racionalismo é uma teoria filosófica que dá a prioridade à razão, como faculdade de conhecimento relativamente aos sentidos. O racionalismo pode ser dividido em diferentes vertentes: a vertente metafísica, que encontra um caráter racional na realidade e indica que o mundo está ordenado de forma lógica e sujeito a leis; a vertente epistemológica ou gnosiológica, que contempla a razão como fonte de todo o conhecimento verdadeiro, sendo independente da experiência; e a vertente ética...

    1386  Palavras | 6  Páginas

  • Método cartesiano

    As quatro regras do método cartesiano A primeira consistia em nunca aceitar algo como verdadeiro sem conhecê-lo evidentemente como tal: isto é, evitar cuidadosamente a precipitação e a prevenção; não incluir nos meus juízos nada que não se apresentasse tão clara e distintamente à minha inteligência a ponto de excluir qualquer possibilidade de dúvida. A segunda era dividir o problema em tantas partes quantas fossem necessárias para melhor poder resolvê-lo. A terceira, conduzir por...

    3457  Palavras | 14  Páginas

  • A INFLUÊNCIA DO PENSAMENTO CARTESIANO NA CIÊNCIA MODERNA

    A INFLUÊNCIA DO PENSAMENTO CARTESIANO NA CIÊNCIA MODERNA INTRODUÇÃO Este trabalho tem por objetivo analisar a influência do pensamento Cartesiano na ciência. René Descartes nasceu em 1596, numa família nobre, estudou de 1604 a 1614 em um colégio jesuíta de La Flèche, nessa época, Descartes adquiriu o hábito de meditar no próprio leito, embora se mostrasse um excelente aluno, em seu livro, O Discurso Sobre o Método, René se declara decepcionado com o ensino que lhe foi ministrado (STIGAR, 2006)...

    1554  Palavras | 7  Páginas

  • Racionalismo

    Resumo de Filosofia (2º, 2º per.) GNOSIOLOGIA - Disciplina filosófica que trata dos problemas relativos à fundamentação do conhecimento humano. ✓ Se a fenomenologia descreve objectivamente o conhecimento, a gnosiologia procura explicá-lo ou interpretá-lo, tarefa em que se reflectem pressupostos associados aos filósofos e à sua formação. As principais reflexões gnosiológicas orientam-se em função de três problemas: natureza do conhecimento; origem ou fonte de conhecimento; valor, possibilidade...

    2344  Palavras | 10  Páginas

  • Racionalismo - A evolução do racionalismo moderno e o pensamento da natureza

    Racionalismo A evolução do racionalismo moderno e o pensamento da natureza Uma das marcas fundamentais da ciência racionalista reside na natureza do saber. A questão era, pois, da essência das coisas, das causas primeiras, imutáveis, ideais e totais levava sempre a um mundo conceitual, onde a ciência poderia conduzir a verdade, a uma metafísica. As disciplinas “científicas”, depois da revolução científica, tomaram o lugar das literárias por novos métodos. Recomendava a construção de uma história...

    1734  Palavras | 7  Páginas

  • Resumo Gaston Bachelard

    conhecimento objetivo para desvelar o processo de conhecimento. Epistemologia de Gastón Bachelard: Bachelard expôs um racionalismo dialético, ou o "diálogo" entre razão e experiência. Sua filosofia partia do ponto de vista da descoberta racional como um processo pelo qual um conhecimento novo é assimilado a um sistema que muda apenas na medida em que cresce. Ele rejeitou o conceito cartesiano de que as verdades científicas são partes imutaveis de uma "verdade total", que aos poucos são montadas como um...

    2227  Palavras | 9  Páginas

  • Resumo De Filosofia

    rodeia e nossa percepção sobre essas informações brutas dá ínicio a um processos pelo qual começamos a formular idéias e crenças. De modo geral existem três tipos de empirismos: Empirismo Clássico, Empirismo radical, Empirismo moderado. Racionalismo O racionalismo é a teoria em que a razão, não os sentidos, é a origem do conhecimento. Os racionalistas argumentam que, sem contar com princípios e categorias já dados, os seres humanos não seriam capazes de organizar e interpretar as informações oferecidas...

    1220  Palavras | 5  Páginas

  • Idade moderna, renascimento, racionalismo

    FILOSOFIA: RESUMO IDADE MODERNA Transformações na sociedade geram uma nova mentalidade do homem: - Quebra da Igreja, que possibilita ao homem desenvolver um pensamento racionalista - Passagem do feudalismo pro capitalismo - Formação dos Estados Nacionais - Movimento da Reforma - Desenvolvimento da ciência natural (novos métodos de investigação científica) - Invenção da imprensa (possibilitou a impressão de textos clássicos gregos e romanos, que ficaram acessíveis para uma maior parte...

    775  Palavras | 4  Páginas

  • Resumo Geografia e Modernidade

    GOMES, Paulo César da Costa. Geografia e modernidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996. André Ferreira 3 A EVOLUÇÃO DO RACIONALISMO MODERNO E O PENSAMENTO DA NATUREZA Na se trata aqui de refazer a história da ciência a partir daquilo que chamamos modernidade. Uma das marcas fundamentais da ciência racionalista reside na natureza do saber. As ciências grega e medieval tinha a preocupação de sempre alcançar uma verdade suprema, seja relativamente a uma ordem teológica, ou ontológica. A...

    2370  Palavras | 10  Páginas

  • Resumo de hermeneutica

    CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISCIPLINA: NOÇÕES DE DIREITO ALUNO (A): SUZANA SANTOS RESUMO SOBRE HERMENÊUTICA JURÍDICA Hermenêutica é a ciencia filosófica voltada para o meio de interpretação de um objeto. No caso do Direito, trata-se de técnica específica que visa compreender a aplicabilidade de um texto legal. A transição paradigmática abre grande espaço para a inovação, a criatividade e a opção moral, o que permite um novo conhecimento que, como nos diz Souza Santos (2001...

    639  Palavras | 3  Páginas

  • Metodo cartesiano

    Mas Descartes, de um lado é católico sincero (embora pouco devoto), de outro, ele antes de tudo quer fugir às querelas e preservar a própria paz. Finalmente, em 1637, ele se decide a publicar três pequenos resumos de sua obra científica: A Dióptrica, Os Meteoros e A Geometria. Esses resumos, que quase não são lidos atualmente, são acompanhados por um prefácio e esse prefácio foi que se tornou famoso: é o Discurso sobre o Método. Ele faz ver que o seu método, inspirado nas matemáticas, é capaz de...

    2949  Palavras | 12  Páginas

  • RESUMO ARTIGO

    RESUMO Este texto aborda a construção teórica corporeidade e aprendizagem numa relação político-pedagógica a partir da dissertação de Mestrado de Judite Filgueiras Rodrigues e aponta possíveis contribuições para a Educação em Geral e para a Educação Física em especial. Ao conceber que os conceitos de corporeidade e aprendizagen se interpenetram através de uma lógica recursiva, que o corpo é uma construção biocultural, e ao compreender que o todo é tão importante como cada uma das partes que o complementam...

    1088  Palavras | 5  Páginas

  • Resumo filosofia - conhecimento, descartes e david hume

    Resumo Filosofia - COnhecimento, Descartes e David Hume Conhecimento: * Crença verdadeira racionalmente justificada; * Produto da relação entre um sujeito e um objecto. * Sujeito: quem desenvolve a atividade conducente ao conhecimento, como por exemplo pensar, percecionar, etc. * Objecto: tudo o que pode constituir um tema possível à investigação por parte do sujeito, e que é visado por um sujeito ou uma consciência. O que torna a consciência capaz de se referir aos objetos...

    4482  Palavras | 18  Páginas

  • Ciência: evolução empirismo x racionalismo

    Resumo da Parte 1 do livro: VOLPATO, G. L. Ciência: da filosofia à publicação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013. NOÇÕES DA HISTÓRIA DA CIÊNCIA EMPÍRICA O autor faz um breve relato nesta parte inicial do texto sobre como se originou as duas abordagens que ele denomina de: a) racional, na qual predomina o uso da razão, da lógica para demonstrar e construir ciência; b) empírica, através da qual os resultados são obtidos através de comprovações e evidências empíricas, geralmente precedidas de...

    2635  Palavras | 11  Páginas

  • SEÇÃO RESENHAS / RESUMOS

    SEÇÃO RESENHAS / RESUMOS Autor da Resenha: Afonso de Sousa Cavalcanti* Resenha da obra: DESCARTES, René. O Discurso sobre o método. São Paulo: Escala, 2002. René Descartes (Touraine, 1596 - Estocolmo, 1650), também conhecido como Renatus Cartesius, foi filósofo, físico e matemático francês. O Discurso sobre o método, por vezes traduzido como Discurso do método, ou ainda Discurso sobre o método para bem conduzir a razão na busca da verdade dentro da ciência, é um tratado matemático e filosófico...

    1124  Palavras | 5  Páginas

  • Resumo Do Capitulo 1 Do Livro PRINC PIOS E PERSPECTIVAS DA AGRONOMIA

    Nome: Miguel Francisco Alves Matéria: ECOLOGIA APLICADA A NUTRIÇAO Professor: Rodrigo Resumo do livro : PRINCÍPIOS E PERSPECTIVAS DA AGROECOLOGIA As críticas ao processo de consolidação da ciência moderna e ao modo de apropriação de seus resultados, são dirigidas ao “modelo científico empírico”, “baconiano”, ao “paradigma cartesiano”, ao “positivismo” ou ao “reducionismo”, desconhecendo que existem diferenças conceituais e várias reformulações nessas propostas, ainda que no seu conjunto representem...

    1055  Palavras | 5  Páginas

  • Resumo de metodologia do trabalho científico

    JOZENIAS GOMES – Mat. 200828740 tRabalho sobre metodologia do trabalho científico resumo Resumo do primeiro capítulo do livro Metodologia do Trabalho Científico Teoria e Prática da Professora Dinalva Melo com vistas à evolução do conhecimento em Trabalhos Acadêmicos, apresentado ao Prof. Fabiano Mesquita, Turma ADS-12, do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da FATENE - SUDEP. Faculdade de Tecnologia do Nordeste ...

    1424  Palavras | 6  Páginas

  • Resumo Vida David Hume

    uma recepção completamente negativa. 2 - Características Filosóficas David Hume (1721-1776) foi o principal filósofo da corrente de pensamento empirista moderna. Propõe que todo conhecimento parte e deriva dos sentidos, opondo-se ao racionalismo cartesiano, que acreditava que o conhecimento derivava da razão. Para Hume, no início do conhecimento, estão as percepções: “podemos, pois, dividir aqui todas as percepções da mente em duas classes ou tipos, que se distinguiram pelos diferentes graus...

    1701  Palavras | 7  Páginas

  • resumo da introduçao do livro um toque de classicos

    Resumo da Introdução do Livro um Toque de Clássicos. A marca da Europa moderna foi a instabilidade , vivida nos ambitos da vida material, cultural e moral.Ocorreram mudanças na organização política e jurídica, nos modos de produzir e de comerciar exerciam mutuo efeito multiplicador e geravam muitos conflitos ideológicos e políticos. Profundas mudanças na estrutura das classes e na organização do Estado foram acontecendo em muitas sociedades europeias. A dinâmica do desenvolvimento capitalista...

    1458  Palavras | 6  Páginas

  • Um Toque de Clássicos - Resumo

    Resumo do livro “Um Toque de Clássicos – Marx, Durkheim, Weber” – Quintaneiro, Tania INTRODUÇÃO O livro de Tania Quintaneiro traz na introdução uma forma para melhor compreender o estudo da Sociologia, onde devemos considerar as mudanças nos âmbitos econômicos, políticos e sociais, e as linhas de pensamento que faziam parte da modernidade europeia, como o empirismo, racionalismo e o iluminismo. Esse período também foi definido por instabilidade por parte da vida material, moral e cultural...

    3397  Palavras | 14  Páginas

  • Resumo dolivro: Introdução a visão holistica

     Teoria Holística. 1. Resumo do livro: Introdução à Visão Holística: Breve relato de viagem do velho ao novo paradigma. São Paulo: Summus,1988. Presenciamos através de uma tomada de consciência da humanidade, a adoção de uma nova visão de mundo, e como toda nova cosmovisão, esta vem sustentada por paradigmas que regem os valores, geram problemas e as soluções para o funcionamento da sociedade e compreensão de sua realidade. Para que o novo aconteça, o velho tende a ruir, e é quando...

    3110  Palavras | 13  Páginas

  • Racionalismo Cartesiano

    O Racionalismo é uma corrente filosófica pertencente à área da Epistemologia (Teoria do Conhecimento). Isto quer dizer que é uma teoria que pretende explicar como formamos uma idéia de qualquer objeto (e o conhecemos) e como justificamos o nosso conhecimento acerca do mundo. Dito por outras palavras, o Racionalismo irá defender que alguns desses conhecimentos são justificados intuitiva ou dedutivamente. Isto quer dizer que algum desse conhecimento informativo pode ser justificado por ser evidente...

    1022  Palavras | 5  Páginas

  • racionalismo e dialética

     RACIONALISMO E A DIALÉTICA RACIONALISMO O PRESENTE TRABALHO VISA ABORDAR A IMPORTÂNCIA DO RACIONALISMO E DA DIALÉTICA, MOSTRANDO A AMPLITUDE E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A FILOSOFIA, COM ENFOQUE A RAZÃO, AO SER HUMANO E SUAS POSSIBILIDADES DE CONHECIMENTO E A MANEIRA DE VER O MUNDO; RACIONALISMO – CORRENTE FILOSÓFICA CIENTÍFICA DA IDADE MODERNA, ASSEGURANDO QUE O...

    812  Palavras | 4  Páginas

  • Empirismo e Racionalismo

    1. RACIONALISMO X EMPIRISMO O pensamento dos séculos XVII e XVIII 2. A Idade Moderna A Idade Moderna, inaugurada como o Renascimento, época ainda de transição entre o "novo" e o "velho", se estabelece de fato como os séculos XVII e XVIII. Os dois grandes movimentos filosóficos dos séculos XVII e XVIII são o Racionalismo, corrente vinculada ao pensamento francês, e o Empirismo, tendência positiva e prática, expressa pela cultura anglo-saxônica. 3. A Razão Ainda que a "razão" seja um componente...

    1323  Palavras | 6  Páginas

  • Resumo introdução de Um toque de clássicos

    RESUMO: INTRODUÇÃO DO LIVRO UM TOQUE DE CLÁSSICOS Introdução A reflexão sobre as origens e a natureza da vida social data de meados do século XIX. Para entender o processo é preciso analisar as mudanças ocorridas no século XVI e as correntes de pensamentos que se estabeleceram nesse período. A marca da Europa Moderna foi a instabilidade. Foi nesse contexto que nasceu a sociologia. Mudanças resultantes da industrialização As principais mudanças ocorreram no modo de produzir e comerciar...

    2143  Palavras | 9  Páginas

  • O racionalismo de Descartes

    O RACIONALISMO COMO VERTENTE MODERNA DO PENSAMENTO E SUA REFLEXÃO NA FORMAÇÃO HUMANA NO SÉCULO VXII: DESCARTES René Descartes foi considerado o “Pai” da filosofia moderna. Descartes foi um importante filósofo, matemático e físico francês do século VXII. É considerado o criador do pensamento cartesiano, sistema que deu origem a filosofia moderna. Sua preocupação era com a ordem e a clareza. Propôs fazer uma filosofia que nunca acreditasse no falso, que fosse fundamentada única e exclusivamente...

    699  Palavras | 3  Páginas

  • O racionalismo cartesiano no contexto da teoria do conhecimento.

    O Racionalismo Cartesiano no contexto da Teoria do Conhecimento. Para entender a história... ISSN 2179-4111. Ano 2, Volume fev., Série 21/02, 2011, p.01-08. A despeito da discussão iniciada na antiguidade, durante a Idade Moderna, René Descartes revolucionou a maneira de pensar a construção do conhecimento, podendo ser considerado o pai da moderna Teoria do Conhecimento. A despeito de grande parte dos historiadores da filosofia considerar John Locke como o fundador da Teoria do Conhecimento...

    2446  Palavras | 10  Páginas

  • O contexto do surgimento do racionalismo cartesiano

    O contexto do surgimento do racionalismo cartesiano Descartes (1596–1650) viveu em um tempo de profunda crise da sociedade, tempo de transição entre uma tradição que sobrevivia e outra que estava surgindo, resultando em uma nova visão de mundo. As teorias científicas de Copérnico e Galileu revolucionaram a maneira de se considerar o mundo físico. A decadência do sistema feudal propiciou o surgimento de uma nova ordem econômica baseada no comércio livre e no individualismo. A Reforma de Lutero abalou...

    7899  Palavras | 32  Páginas

  • racionalismo e impirismo

    O que é Racionalismo: O racionalismo é uma teoria filosófica que dá a prioridade à razão, como faculdade de conhecimento relativamente aos sentidos. O racionalismo pode ser dividido em diferentes vertentes: a vertente metafísica, que encontra um caráter racional na realidade e indica que o mundo está ordenado de forma lógica e sujeito a leis; a vertente epistemológica ou gnosiológica, que contempla a razão como fonte de todo o conhecimento verdadeiro, sendo independente da experiência; e a...

    2148  Palavras | 9  Páginas

  • O Racionalismo Cartesiano

    O Racionalismo Cartesiano Itajaí, SC. A razão Como observamos no texto, para Aristóteles o homem é dotado de razão esta por sua vez denominada a faculdade de julgar. Em contrapartida, Descartes destaca que o homem é em sua essência, racional, atribuindo ainda adjetivos como a igualdade, bom senso e a citada razão. Veja: Para Aristóteles, o homem é animal político (zoon politikón). E a razão é a faculdade que todo homem possui de julgar. Para Descartes, ele é, essencialmente, um animal racional...

    830  Palavras | 4  Páginas

  • Racionalismo de Descartes

    Racionalismo de Descartes Como corrente filosófica, o racionalismo nasce com Descartes, e atinge o seu auge em B. Espinoza, G. W. Leibniz e Ch. Wolff. O racionalismo cartesiano indica que só é possível chegar ao conhecimento da Verdade através da razão do ser humano. Para Descartes, existiam três categorias de ideias: as adventícias, as factícias e as inatas. As adventícias representam as ideias que surgem através de dados obtidos pelos nossos sentidos; factícias são as ideias que têm origem na...

    1321  Palavras | 6  Páginas

  • Empirismo e racionalismo

    Empirismo e o racionalismo “As transformações ocorridas a partir do Renascimento e o início da ciência moderna levaram a um grande questionamento sobre os critérios e métodos para aquisição ;conhecimento verdadeiro. Uma das funções da filosofia moderna passa a ser a de investigar em que medida o saber científico atinge o seu objetivo de gerar esse conhecimento. Há, inicialmente na filosofia, duas vertentes sobre a questão do conhecimento: o racionalismo e o empirismo. O Racionalismo, é habitualmente...

    857  Palavras | 4  Páginas

  • Resumo de rené descartes

    RESUMO DO DISCURSO DO MÉTODO DE RENÉ DESCARTES Werner Schrör Leber PARTE 1 O tom de Descartes é a pessoalidade. Seu Discurso se inicia na primeira pessoa. Descartes narra como chegou ao Método, isto é, como chegou a uma nova maneira de compreender a razão e o pensamento, pois é isso que está a buscar, reportando-se sempre ao percurso que seguiu para encontrar um elemento filosófico substancialmente...

    4017  Palavras | 17  Páginas

  • racionalismo e empirismo

     Trabalho de Filosofia Racionalismo x Empirismo A concepção racionalista Concepção filosófica que afirma a razão como única faculdade a propiciar o conhecimento adequado da realidade. A razão, por iluminar o real e perceber as conexões e relações que o constituem, é a capacidade de apreender ou de ver as coisas em suas articulações ou interdependência em que se encontram umas com as outras. Ao partir do pressuposto de que o pensamento coincide com o ser, a filosofia ocidental, desde...

    1029  Palavras | 5  Páginas

  • racionalismo x empirismo

    Constantes AO Longo da História da Filosofia. O Modo Como se ma respondido a questões ESTAS conduziu à Existência de multiplas Teorias explicativas do Conhecimento, um sabre, empirismo, racionalismo, apriorismo, cepticismo, dogmatismo, OUTRAS entre. Nas Três Lições seguintes, analisaremos Primeiro o Racionalismo cartesiano, EM SEGUIDA o Empirismo Humiano e consolidaremos com a elaboração de hum Esquema comparativo. Posteriormente estudaremos UMA Teoria muitas Vezes Chama de conciliadora, OU SEJA, Onde...

    1525  Palavras | 7  Páginas

  • o que é racionalismo?

     O que é Racionalismo: O racionalismo é uma teoria filosófica que dá a prioridade à razão, como faculdade de conhecimento relativamente aos sentidos. Existem diferentes tipos de racionalismo: metafísico, que encontra um caráter racional na realidade e considera que o mundo está ordenado logicamente e sujeito a leis; epistemológico ou gnosiológico, que considera a razão independente da experiência e fonte de todo o conhecimento verdadeiro; ético, que sublinha a importância da racionalidade, respectivamente...

    1843  Palavras | 8  Páginas

  • O Racionalismo Cartesiano

    Racionalismo Cartesiano no contexto da Teoria do Conhecimento. A  despeito  da  discussão  iniciada  na  antiguidade,  durante  a  Idade  Moderna,  René  Descartes  revolucionou  a maneira  de  pensar  a  construção  do  conhecimento,  podendo  ser  considerado  o  pai  da  moderna  Teoria  do Conhecimento. Descartes e o Racionalismo. René  Descartes  (1596­1650)  nasceu  na  França,  em  uma  família  burguesa  enobrecida,  estudou  em  colégio jesuíta,  onde  aprendeu   autodisciplina ...

    2665  Palavras | 11  Páginas

  • O Racionalismo Cartesiano

    Racionalismo Cartesiano no contexto da Teoria do Conhecimento. A  despeito  da  discussão  iniciada  na  antiguidade,  durante  a  Idade  Moderna,  René  Descartes  revolucionou  a maneira  de  pensar  a  construção  do  conhecimento,  podendo  ser  considerado  o  pai  da  moderna  Teoria  do Conhecimento. Descartes e o Racionalismo. René  Descartes  (1596­1650)  nasceu  na  França,  em  uma  família  burguesa  enobrecida,  estudou  em  colégio jesuíta,  onde  aprendeu   autodisciplina ...

    2665  Palavras | 11  Páginas

  • Trabalho de Filosofia - Racionalismo

    1.0 - O RACIONALISMO NA MODERNIDADE O racionalismo cartesiano irrompeu de forma decisiva aos alicerces da modernidade. Seu principal protagonista, Renée Descartes, contemporâneo de Galileu Galilei, recorrendo às mais profundas considerações racionais e, amparado pelos inquestionáveis princípios matemáticos, empenhou-se em demolir racionalmente a totalidade das estruturas instituídas por séculos de divagações e incertezas tradicionais. Como diz Marcondes em: Textos Básicos de Filosofia. “Descartes...

    1976  Palavras | 8  Páginas

  • Teoria do conhecimento, empirismo, racionalismo

    espírito é o pensamento, pois o espírito "pensa sempre". A conclusão é que existe uma substância pensante e uma substância que compõe os corpos físicos, e que ambas são irredutíveis entre si e totalmente separadas. É a isso que se chama o "dualismo" cartesiano. Então, se o corpo é uma simples magnitude espacial, não existe espaço vazio; a matéria é infinita, e as mudanças qualitativas nos corpos são simples mudanças de lugar no espaço: trata-se de uma explicação puramente mecanicista do mundo, que permite...

    1087  Palavras | 5  Páginas

  • Racionalismo

     Racionalismo Racionalismo Uma série de acontecimentos, durante a Idade Média, deflagrou diversos processos que levaram a grandes transformações nas sociedades europeias e o início da Idade Moderna. Com o movimento da Reforma Protestante e a consequente quebra da unidade religiosa europeia a razão humana e suas verdades passaram a ganhar mais importância, até mesmo do que a igreja, e a partir desse momento o indivíduo pode pensar livremente e responsabilizar-se...

    1699  Palavras | 7  Páginas

  • O Racionalismo Cartesiano

    Racionalismo Cartesiano no contexto da Teoria do Conhecimento. A  despeito  da  discussão  iniciada  na  antiguidade,  durante  a  Idade  Moderna,  René  Descartes  revolucionou  a maneira  de  pensar  a  construção  do  conhecimento,  podendo  ser  considerado  o  pai  da  moderna  Teoria  do Conhecimento. Descartes e o Racionalismo. René  Descartes  (1596­1650)  nasceu  na  França,  em  uma  família  burguesa  enobrecida,  estudou  em  colégio jesuíta,  onde  aprendeu   autodisciplina ...

    2665  Palavras | 11  Páginas

  • RACIONALISMO VERSUS EMPIRISMO E A SÍNTESE KANTIANA

    Matéria de HPF RACIONALISMO VERSUS EMPIRISMO E A SÍNTESE KANTIANA O racionalismo de Descartes defende que as pessoas possuem algumas idéias inatas, ou seja, idéias que já nascem com a pessoa, portando, que são independentes da sua experiência com o mundo exterior. Jonh Locke, representante do empirismo, no seu Ensaio acerca do entendimento humano, critica a teoria das idéias inatas de Descartes. Ele concebe que a alma é como uma lousa sem inscrições, como uma lousa em branco, e, dessa...

    12145  Palavras | 49  Páginas

  • Raciocínio Cartesiano

    Sustentável de cruzeiro do sul Campus de cruzeiro do Sul Curso de administração Estudo dirigido: O RACIONALISMO CARTESIANO; O Empirismo Inglês. Cruzeiro do Sul - Acre 2014 antônio roberto edilene - irmã patrícia magno marinho Sarah mELO tainara de castro zuila carine Estudo dirigido: O RACIONALISMO CARTESIANO; O Empirismo Inglês. Estudo dirigido em grupo proposto como requisito parcial à da segunda nota da disciplina de...

    595  Palavras | 3  Páginas

  • empirismo x racionalismo

    profundas transformações da sociedade, filosofia, inaugurando uma nova era do pensamento humano. Com a supervalorização do racionalismo, houve a busca pela liberdade de o homem usar a razão, explicar a natureza, o universo e a si próprio, desprendendo-se da visão puramente religiosa, ou seja, de qualquer tradição. Racionalismo X Empirismo Razão e raciocínio para se conhecer.  Para reconhecer algo como verdadeiro, René Descartes considera necessário...

    911  Palavras | 4  Páginas

  • Racionalismo x Empirismo

    Parte superior do formulário ESCOLA DE ENSINO MEDIO ADAUTO BEZERRA MATERIAL DE FILOSOFIA PARA OS 3 ANOS PROFESSOR: JOSE ALDO CAMURÇA RACIONALISMO x EMPIRISMO O Racionalismo argumenta que a obtenção do conhecimento científico se dá pelas idéias inatas, que seriam pensamentos existentes no homem desde sua origem que o tornariam capazes de intuir (deduzir) as demais coisas do mundo. Tais idéias inatas seriam o fundamento da Ciência. Para o Empirismo, a Experiência é a base do conhecimento...

    1721  Palavras | 7  Páginas

  • Racionalismo cartesiano

    Trabalho Filosofia Aluna:Barbara Carneiro Texto Racionalismo Cartesiano 1- Por que Descartes é considerado o pai do racionalismo moderno? Ele foi o primeiro filosofo a pensar que a compreensão dependia da cabeça, da análise racional, que através dela se podia chegar à verdade, ao contrário dos empíricos, que achavam que a verdade, material, só se percebia com observação dos mundo e das coisas. 2- Em que sentido ele proclamou a autonomia do Sujeito? É pela conclusão da própria existência que...

    787  Palavras | 4  Páginas

  • Metodo Cartesiano

    O Método Cartesiano O método seria um instrumento, que bem manejado levaria o homem à verdade. Esse método consiste em aceitar apenas aquilo que é certo e irrefutável e consequentemente eliminar todo o conhecimento inseguro ou sujeito a controvérsias. O objetivo de Descartes era de abranger numa perspectiva de conjunto unitário e claro, todos os problemas propostos a investigação cientifica. O fundamento principal da filosofia cartesiana consiste na pesquisa da verdade, com relação a existência...

    1599  Palavras | 7  Páginas

  • Evolução do racionalismo moderno

    A evolução do racionalismo moderno e o pensamento da natureza GOMES, Paulo César da Costa. Geografia e modernidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996 Por Kelly Regina Stori Esse artigo exerce grande importância na aquisição de conhecimentos, pois permite o entendimento do desenvolvimento da ciência em geral e da geografia na modernidade, mostrando avanços e fases históricas sobre o saber e o pensamento sobre a natureza . O autor mostra como era a preocupação com o saber em diferentes...

    990  Palavras | 4  Páginas

  • Racionalismo geral

    Racionalismo (GERAL) O racionalismo teve o seu primórdio se tratando de filosofia moderna através da obra de René Descartes, mas não unicamente nele, mas também em outros filósofos seguidores como Baruch Spinosa e G. W. Leibniz que vincularam no principio racionalista a razão juntamente com a matemática. A obra mais marcante, a de Descartes se trata de uma ruptura com a idéia de que a verdade viria através de preceitos divinos, o que era indiscutível durante a Idade Média, iniciando com a preocupação...

    815  Palavras | 4  Páginas

  • Resumo 1º, 2º e 3º acto frei luis de sousa

    (fazer uma revisão geral para ter a certeza que nada foi omitido). No método cartesiano, a razão tem 2 poderes fundamentais: intuição intelectual (apreensão imediata de um objecto ou ser, que é presente imediatamente à razão o que leva a existência de ideias inatas) e o poder de raciocinar (construir cadeias de deduções oi demonstrações). A importância da matemática A matemática é o conhecimento mais certo. O método cartesiano adopta o modelo matemático à investigação filosófica. O comprimento rigoroso...

    1654  Palavras | 7  Páginas

  • O Que Racionalismo

    O que é Racionalismo: O racionalismo é uma teoria filosófica que dá a prioridade à razão. E que só possível chegar ao conhecimento da verdade através da razão do ser humano. O racionalismo pode ser dividido em diferentes vertentes: a vertente metafísica, que encontra um caráter racional na realidade e indica que o mundo está ordenado de forma lógica e sujeito a leis; a vertente epistemológica ou gnosiológica, que contempla a razão como fonte de todo o conhecimento verdadeiro, sendo independente...

    762  Palavras | 4  Páginas

  • Resumo indicativo de “Um Toque de Clássicos: Marx, Durkheim e Weber”

    Resumo indicativo de “Um Toque de Clássicos: Marx, Durkheim e Weber” de Tani Quintaneiro, Maria Ligia de Oliveira e Barbosa Márcia Gardênia Monteiro de Oliveira. 2003, Editora UFMG, p. 1 a 23. MUDANÇAS RESULTANTES DA INDUSTRIALIZAÇÃO A Sociologia, como um campo delimitado do saber científico, só emerge em meados do século XIX na Europa no auge de dramáticas turbulências políticas, econômicas e sociais ocorridas a partir do século XVI no qual começara a despontar uma separação da Era...

    2714  Palavras | 11  Páginas

  • Metodo cartesiano

    IMPERATRIZ – MA 2012 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO..................................................................................................... 4 2. PRINCIPIOS CARTESIANOS............................................................................4 3. QUAL A INFLUENCIA E A CONTRIBUIÇÃO DOS PRINCIPIOS CARTESIANOS PARA A ADMINISTRAÇÃO?.............................................................................5 ...

    955  Palavras | 4  Páginas

  • M Todo De Descartes Ou M Todo Cartesiano

    Método de Descartes ou método Cartesiano O método cartesiano, criado por René Descartes, consiste no Ceticismo Metodológico - duvida-se de cada ideia que pode ser duvidada. Ao contrário dos gregos antigos e dos escolásticos, que acreditavam que as coisas existem simplesmente porque precisam existir, ou porque assim deve ser, etc, Descartes institui a dúvida: só se pode dizer que existe aquilo que possa ser provado. O próprio Descartes consegue provar a existência do próprio eu (que duvida, portanto...

    640  Palavras | 3  Páginas

  • A razão dentro do pensamento cartesiano

    A razão dentro do pensamento cartesiano Para que seja possível compreendermos a ascensão dos princípios da razão iluminista, somos obrigados a recuar nossos olhares para outras tantas manifestações que embasaram as do século XVIII, o “século das luzes”. Entre elas, damos destaque especial ao debate empreendido pelo filósofo francês René Descartes. Vivendo no século anterior ao iluminismo, esse intelectual lançou os avatares que explicam muitas das concepções defendidas entre os ilustrados. Segundo...

    559  Palavras | 3  Páginas

  • O racionalismo cartesiano

    O Racionalismo Cartesiano Após 1612 quando termina o secundário, René Descartes se mostra ainda insatisfeito, por não ter encontrado a verdade que tanto procurava, foi quando decidiu aventurar-se a encontrá-la no mundo. Alista-se em tropas e luta guerras e ainda sem resposta dedica-se ao estudo da filosofia, buscando uma forma de conciliar a ciência com o cristianismo. Tornou-se um crítico de todos os seus conhecimentos escolares, acreditava que estes não eram baseados em fundamentos ou princípios...

    1475  Palavras | 6  Páginas

  • Filosofia - Racionalismo X Empirismo

    O significado do empirismo e o racionalismo para a sociedade moderna. O novo homem e a nova sociedade a nova forma de pensar e ser. Características do período Designam como filosofia moderna aquele saber que tendo como referência principais o cartesiano- isto é a filosofia de René Descartes, a nova idéia do conhecimento como síntese entre observação, experimentação e razão teórica baconiana - isto é, a filosofia de Francis Bacon- e as declarações acerca da origem e das formas da soberania...

    1069  Palavras | 5  Páginas

  • Racionalismo e Enterismo

    RACIONALISMO E EMPIRISMO Racionalismo cartesiano: No século XVII, o racionalismo pode ser definido como a doutrina que, por oposição ao ceticismo, atribui à Razão humana a capacidade exclusiva de conhecer e de estabelecer a verdade; por oposição ao empirismo, considera a Razão como independente da experiência sensível, posto ser ela inata, imutável e igual em todos os homens; contrariamente ao misticismo, rejeita toda e qualquer intervenção dos sentidos e das emoções, pois, no domínio do conhecimento...

    1139  Palavras | 5  Páginas

tracking img