Analise Critica Sobre Neurose E Psicose artigos e trabalhos de pesquisa

  • Psicose Que Clinica Esta

    Psicose: que clinica é esta? Adriana Emídio O presente trabalho nasce da inquietação sobre o manejo da clinica com psicóticos, devido há algumas experiências na clínica. Essas experiências colaboraram para um novo ver e novo conhecer deste universo psíquico aparentemente vago, furado, que é o universo do psicótico, e que ao mesmo tempo mostra-se um universo recheado de conteúdos, embora não simbolizáveis, mas peças soltas que constituem a realidade de um humano que está ali e que precisa ser ouvido...

    1656  Palavras | 7  Páginas

  • Psicose

    O MANEJO DA TRANSFERÊNCIA NA PSICOSE: O SECRETÁRIO DO ALIENADO E SUAS IMPLICAÇÕES Roberto Lopes Mendonça O tratamento da psicose: impasses iniciais No trabalho clínico com a psicose, torna-se cada vez mais necessário a busca de alternativas que escapem às formas de tratamento que apenas lidam com o paciente psicótico a partir do saber próprio da ciência, reafirmando a posição deste paciente como objeto. No caso específico do trabalho psicanalítico com a psicose, esta clínica teve início com impasses...

    1861  Palavras | 8  Páginas

  • neurose

    Neurose, também conhecida como psiconeurose ou distúrbio neurótico, é um termo que refere-se a qualquer desequilíbrio mental que causa angústia e ansiedade, porém ao contrário da psicose e algumas outras desordens mentais, não impede ou afeta o pensamento racional. Neurose é particularmente associada ao campo da psicanálise.   História e uso do termo neurose    Para diferenciar entre neurótico e neurose : "neurótico", ou afetado pela neurose, é o termo que descreve a pessoa com depressão ou...

    903  Palavras | 4  Páginas

  • Teoria da Angustia Neurose e Psiconeurose

    Angústia: Neuroses e Neuropsicoses Para compreendermos melhor especificidade do campo da neurose e da neuropsicose, faz-se necessário conhecer o significado de ambas. A neuropsicose trata-se de uma psicopatologia associada entre a neurose com a psicose. A combinação dos sintomas psíquicos que evolui da neurose de angustia para a psicose paranoide. A neurose não tratada poderá evoluir para uma psicose com variadas afecções psíquicas. Sendo assim, a neuropsicose é uma doença entre a neurose e a psicose...

    817  Palavras | 4  Páginas

  • psicose

     Ciclo 4 Adorável Psicose 2013 Defendi a escolha do tema para esse ciclo pelo meu crescente incômodo de assistir e ler sobre psicopatologias, psicoses, paranoias, e todo essa cena que ainda estou me expondo e que se intensificaram nesse semestre. Um mecanismo de defesa e repulsa foi instalado a medida que os temas eram apresentados, uma fala interna constante a negar e afirmar que aquilo estava tão distante de mim...

    4496  Palavras | 18  Páginas

  • SINTOMA, NEUROSE E PSICOSE

    Espera-se que ao término deste trabalho sejamos contemplados por uma visão um pouco mais clara sobre o tema, possibilitando também aos leitores, esta mesma visão por nós desejada. Antes de nos aprofundarmos nas questões supracitadas, falaremos, de forma breve, da diferença entre sintoma para a medicina e para psicanálise, fazendo também um breve histórico introdutório, para situar os leitores sobre os acontecimentos que julgamos essenciais para que este interesse de Freud se desenvolvesse com...

    8796  Palavras | 36  Páginas

  • Relatório sobre filme estamira

    ANÁLISE CRÍTICA SOBRE O DOCUMENTÁRIO “ESTAMIRA” PSICOPATOLOGIA ESPECIAL 1. Qual aspecto do documentário que mais chamou sua atenção? Por quê? R: O aspecto que mais me chamou a atenção foi à questão da falta de fé de Estamira, pois não era apenas uma idéia de não acreditar mais em Deus, mas ter raiva Dele, xingando-o e falando palavras pesadas relacionadas à religião. No decorrer do documentário percebemos que essa raiva vem do seu sofrimento...

    936  Palavras | 4  Páginas

  • Os efeitos do inconsciente sobre a consciência

    Faculdade Anhanguera de Santo André Psicologia Atividades Práticas Supervisionadas – ATPS Os efeitos do inconsciente sobre a consciência (Material organizado) Santo André 2013 Faculdade Anhanguera de Santo André Teorias Psicanalíticas I Psicologia 3º Semestre – (noturno) – Turma A Integrantes do Grupo Nome: Bruna Badolato RA: 6467303044 Nome: Érika Quintiliano da S. C. dos Santos RA: 6659465923 Nome: Michelle...

    5889  Palavras | 24  Páginas

  • O que é neurose

    O Que é Neurose? RESENHA DO LIVRO: O QUE É NEUROSE? BIOGRAFIA DA AUTORA Maria Luiza Silveira Teles, nasceu em Belo Horizonte (MG) em 4 de maio de 1943, tem longa vida dedicada à educação. Licenciada em pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras do Norte de Minas, inglês e terapia reichiana, com pós-graduação em psicologia e sociologia. Diplomas de Lower Cambridge, Técnicas de Ensino, Diagnose e Prognose em Educação, Psicologia Comportamental do Adolescente. Professora titular de...

    906  Palavras | 4  Páginas

  • Diagnóstico da psicose em fenomenologia e psicanálise

    RESUMO: O presente artigo visa discutir questões sobre fenomenologia, suplência, laço social, fenômenos elementares e delírio no que tange a psicose. Proponho uma breve discussão sobre esses temas sob a luz da psicanálise e da fenomenologia, fazendo um paralelo com esses dois epistemes em relação ao diagnóstico. PALAVRAS CHAVE: Psicose, diagnóstico, suplência, laço social; INTRODUÇÃO: John Nash foi um talentoso gênio louco e matemático nascido em Bluefield Estados Unidos em 13 de junho de 1928...

    1716  Palavras | 7  Páginas

  • Sobre depressão pura

    investigação realizada pelo autor sobre a hostilidade recalcada no menino em relação a mãe em um momento teórico que privilegiou o recalque do erotismo em relação a mesma. Utilizou do artigo Giovanni Segantini: A Psycho-analytical Study (Abraham,1955-1911) como referência no levantamento bibliográfico de artigos em fontes indexadas (Scielo,IndexPsi,PubMed,PsycoInfo) e livros publicados nacional e internacionalmente. Ernest Jones,1 (1970) classifica o trabalho sobre Segantini como um estudo clássico...

    6577  Palavras | 27  Páginas

  • Resenha Crítica do FIlme "Um método Perigoso"

     Resenha Crítica: Filme “Um Método Perigoso” (Imagem Filmes - 2011) O filme inicia-se com um caso da jovem Sabina Spielrein que, por traumas ocorridos na infância, manifesta efeitos físicos em seu corpo como a retração dos membros e a dificuldade na fala e risos incontroláveis. O médico responsável por seu tratamento é o amante dos estudos da psicanálise e grande fã dos trabalhos do Professor Sigmund Freud, Carl Jung, que denomina o método de “cura pela conversa”. Esse caso retrata de forma...

    1190  Palavras | 5  Páginas

  • A Etiologia da Neurose

    A.P.E.P – ACADEMIA PSICANALÍTICA DE ENSINO E PESQUISA ETIOLOGIA DA NEUROSE Edson Ferreira da Costa Rio de Janeiro 2012 A.P.E.P – Academia Psicanalítica de ensino e pesquisa Etiologia da neurose Monografia Edson Ferreira da Costa 08/04/2012 Folha de Aprovação AGRADECIMENTO À minha querida esposa Maria do Socorro Melo que muitas vezes ouviu com candura, paciência, me incentivando a lutar diante dos meus desabafos de...

    6963  Palavras | 28  Páginas

  • Resenha Crítica Homem dos Ratos

     Resenha crítica da obra “O Homem dos ratos”, de Sigmund Freud. Processos e fenômenos psicológicos I – Psicanálise Docente: Cristiane Carrijo Erick Herzog de Moraes RA:11021721 Jorge Criscimani Filho RA: 11023171 Lucas Antunes Prizoto RA:11021462 Marcos Miguel Rezende RA:11023414 Tomás Parolin RA:11025931 Fernando Faria Rodenas RA:...

    5013  Palavras | 21  Páginas

  • Tese sobre tratamento das psicoses

    respeito a uma psicopatologia infantil, nem sempre as categorias nosográficas propostas pela psiquiatria contemplam as situações que se apresentam ao clínico. No que se refere ao corpo teórico psicanalítico, o vasto campo de pesquisa sobre o tema das PSICOSES INFANTIS e do AUTISMO tem muitas questões em aberto. Desde Melanie Klein (1930), passando por Margaret Mahler (1952), Maud Mannoni (1967), Bruno Bettelheim (1987), Rosine e Robert Lefort (1991), até teóricos mais recentes como Marie-Christine...

    73431  Palavras | 294  Páginas

  • Neurose e Psicose

    NEUROSE E PSICOSE (1924 [1923] NOTA DO EDITOR INGLES NEUROSE UND PSYCHOSE (a) EDICOES ALEMAS: 1924 Int. Z. Psychoanal., 10 (1), 1-5. 1924 G.S., 5, 418-22. 1926 Psychoanalyse der Neurosen, 163-8. 1931 Neurosenlehre und Technik, 186-91. 1940 G.W., 13, 387-91. (b) TRADUCAO INGLESA: ‘Neurosis and Psychosis’ 1924. P., 2, 250-4. (Trad. de Joan Riviere.). A presente tradução inglesa baseia-se na de 1924. Este trabalho foi escrito durante o final do outono de 1923. Constitui uma aplicação de ...

    1736  Palavras | 7  Páginas

  • Psicose

    Transmissão da Psicanálise diretor: Marco Antonio Coutinho Jorge COLETTE SOLER O inconsciente a céu aberto da psicose Tradução: VERA RIBEIRO Consultoria: MARCO ANTÔNIO COUTINHO JORGE ão técnica:CO ANTONIO COUTINHO JORGE Rio de Janeiro Título original: L’Inconscient a ciel ouvert de la psychose Tradução autorizada da primeira ediçãofrancesa, publicada em 2002 por Presses Universitaires du Mirail, de Toulouse, França Copyright © 2002, Presses Universitaires du Mirail Copyright da edição em...

    80383  Palavras | 322  Páginas

  • diferença de neurose e psicose

    Diferença entre neurose e psicose Na neurose o indivíduo além de saber que é um neurótico, ele tem plena consciência dos seus atos, mas não consegue controlá-los, já os psicóticos não têm essa consciência, eles perdem a noção da realidade. Os sintomas mais frequentes de um neurótico são: Insatisfação geral, excesso de mentiras, manias, problemas com o sexo, dentre outros. Exemplos deles são o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) Depressão e a Síndrome do Pânico. Já a psicose é marcada...

    2330  Palavras | 10  Páginas

  • Neurose e psicose

    NEUROSE E PSICOSE Freud relembra um pouco do que foi visto em “o eu e o isso” (1923) e, a partir disso, propõe uma diferença entre a neurose e a psicose. “A neurose é o resultado de um conflito entre o eu e o isso, ao passo que a psicose é o desfecho análogo de um distúrbio semelhante nas relações entre o eu e o mundo externo.” Freud diz ainda que suas análises demonstram que as neuroses transferenciais têm origem quando o eu se recusa a aceitar um poderoso impulso instintual do isso ou do...

    548  Palavras | 3  Páginas

  • As 4 + 1 Condições de Análise

    tem como objetivo apresentar e refletir sobre alguns conceitos e princípios da Psicanálise, a partir de discussões do livro “As 4 + 1 Condições de Análise”, do autor Quinet, que introduzir estas condições do tratamento analítico. O autor aponta a cerca do princípio da psicanálise sobre a forma de ato, abrindo o inconsciente à sua formalização. Esse ato fundador se restaura em cada psicanálise, Freud alega a missão de reinventá-la a cada inicio de uma análise. Assim, o início de uma sessão depende...

    1644  Palavras | 7  Páginas

  • Neurose e psicose

    Gabrielle Nobili – dre: 112175464 NEUROSE E PSICOSE Freud relembra um pouco do que foi visto em “o eu e o isso” (1923) e, a partir disso, propõe uma diferença entre a neurose e a psicose. “A neurose é o resultado de um conflito entre o eu e o isso, ao passo que a psicose é o desfecho análogo de um distúrbio semelhante nas relações entre o eu e o mundo externo.” Freud diz ainda que suas análises demonstram que as neuroses transferenciais têm origem quando o eu se recusa a aceitar um poderoso...

    552  Palavras | 3  Páginas

  • Neuroses

    INTRODUÇÃO: 1.1 OBJETIVO DO TRABALHO O objetivo desse trabalho é o conhecimento de o que se entende por neuroses, suas classificações, sintomas e possíveis curas de forma mais ampla do que se conhece popularmente, porém não de modo muito aprofundado, visto que o aprofundamento neste tema demanda disponibilidade extensa de tempo e pesquisa. 1.2 INTRODUÇÃO AO TEMA Para iniciar o estudo das neuroses, é preciso antes conhecer termos da estrutura da personalidade que psicanalistas utilizaram para estudá-la...

    4477  Palavras | 18  Páginas

  • NEUROSE E PSICOSE PSICANÁLISE

    Neurose trata-se de uma reação exagerada do sistema nervoso em relação a uma experiência vivida. Neurose é uma maneira da pessoa SER e de reagir à vida. O Enfermo tem plena consciência do seu problema e, muitas vezes, sente-se impotente para modificá-lo. Diante de um compromisso social a pessoa neurótica reage com muita ansiedade, mais que a maioria das pessoas submetidas à mesma situação (desproporcional). Diante desse mesmo compromisso social a pessoa começa a ficar muito ansiosa uma senana antes...

    2187  Palavras | 9  Páginas

  • Sobre a psicoterapia

    FREUD,S. SOBRE A PSICOTERAPIA (1905 [1904]) Nota do Editor inglês ÜBER PSYCHOTHERAPIE (a) EDIÇÕES EM ALEMÃO (l904 12 de dezembro: pronunciada como conferência perante o Wiener medizinisches Doktorenkollegium.) 1905 Wien. med. Presse, 1º de janeiro, pp. 9-16. 1906 S.K.S.N. I, pp. 205-217. (1911, 2ª ed., pp. 201-212; 1920, 3ª ed.; 1922, 4ª ed.) 1924 Technik und Metapsychol., pp. 11-24. 1925 G.S., 6, pp. 11-24. 1942 G.W., 5, pp. 13-26. (b) TRADUÇÕES EM INGLÊS: “On Psychotherapy” ...

    4136  Palavras | 17  Páginas

  • Psicose

    Psicose A psicose pode ser considerada como um conjunto de sintomas no qual o indivíduo apresenta prejuízo da capacidade de reconhecer a realidade, comunicar-se e relacionar-se com os outros, além do prejuízo da capacidade mental e da resposta afetiva. No CID-10 o termo psicótico é indicativo de presença de alucinações, delírios ou de um número limitado de várias anormalidades de comportamento, tais como: excitação e hiperatividade grosseiras; retardo psicomotor marcante e comportamento catatônico...

    1032  Palavras | 5  Páginas

  • teoria e clinica psicanalítica da psicose

    CLÍNICA PSICANALÍTICA DA PSICOSE EM FREUD E LACAN * Tania Coelho dos Santos # Flávia Lana Garcia de Oliveira RESUMO. Vamos demonstrar que o tema da psicose é tratado por Freud, tanto clínica quanto teoricamente, com base em sua prática com as neuroses – tendo como pilar conceitual o mecanismo do recalque (Verdrängung). A segunda tópica do funcionamento mental e os desdobramentos da teoria do narcisismo permitem um passo adiante na concepção freudiana da psicose. A diferença estrutural ...

    7959  Palavras | 32  Páginas

  • Neurose Histérica

    NEUROSE HISTÉRICA História das neuroses – a Histeria ao longo dos tempos: Egipto, Idade Média, Renascença, Idade das Luzes, Século XIX, XX, XXI. Quando se faz um balanço sobre a história da histeria, ao longo do tempo, percebe-se que se trata de um fenómeno ou «problemática» largamente atribuída às mulheres, encarada como uma doença, a princípio com origem em fenómenos orgânicos e muita mais tarde, a conflito intrapsíquico. Verifica-se também ser transversal a todas as épocas históricas de sempre...

    4788  Palavras | 20  Páginas

  • Introdução a uma clínica das psicoses

    MOREIRA DE SOUZA TÍTULOS EDITADOS Calligaris, C: Hipótese sobre o Fantasma na Cura Psicanalítica Calligaris, C: Introdução a uma Clínica Dife­ rencial das Psicoses D o r g e u i l l e , C l a u d e : A Segunda Morte de Jacques Lacan D o r , Joel: Introdução à Leitura de Lacan — O Inconsciente Estruturado como Lin­ guagem Milner, J e a n C l a u d e : O Amor da Língua M e l m a n , C h a r l e s : N o v o s Estudos Sobre a Histeria S a f o u a n . M o u s t a p h a : Jacques Lacan...

    12906  Palavras | 52  Páginas

  • Analise Terminável e Interminável ( Freud)

    ANÁLISE TERMINÁVEL E INTERMINÁVEL FREUD (1937) I Tentativas de encurtar a duração da análise > visando a liberação de alguém de seus sintomas, inibições e anormalidades de caráter neurótico Crítica a O.Rank > O trauma do Nascimento (1924) > apontado como produto de seu tempo > projetado para adaptar o ritmo da terapia analítica à pressa da vida americana. Freud – declara ter ele próprio acelerado um tratamento analítico, mesmo antes da guerra > paciente não progredia no esclarecimento...

    3019  Palavras | 13  Páginas

  • Neurose

    O que é Neurose? A palavra "neurótico", da maneira como costuma ser usada hoje, tem sentido impróprio e pode ser ofensivo ou pejorativo. Pessoas que não entendem nada dessa parte da medicina podem usar a palavra "neurose" como sinônimo de "loucura". Mas isso não é verdade, de forma alguma. Trata-se de uma reação exagerada do sistema nervoso em relação a uma experiência vivida (Reação Vivencial). Neurose é uma maneira da pessoa SER e de reagir à vida. A pessoa É neurótica e não ESTÁ neurótica...

    8744  Palavras | 35  Páginas

  • Neuroses

    I - NEUROSES Toda generalização pode conter erros, mas comumente o neurótico: - mostra perturbações cognitivas e emocionais severas; - raramente deixa de estar voltado para seu ambiente; - continua mais ou menos em contato com a realidade; - tem alguma compreensão da natureza do seu comportamento; - dificilmente se comporta de maneira perigosa para si ou para os outros; - raramente exige hospitalização. Sendo a neurose fenômeno da vida humana, não devemos admirar seja complexa, como...

    3603  Palavras | 15  Páginas

  • NEUROSES

    AS NEUROSES ABORGADEM SOB A ÓTICA PSICANALÍTICA Mahibi Manuelle Fagundes Barbosa RESUMO A introdução conceitua o psiquismo humano - a neurose segundo a teoria psicanalítica e discorre sobre o objetivo do trabalho, que consiste basicamente em apresentar as diferenças estruturais e sintomáticas entre cada tipo de neurose de acordo com as teorias psicanalíticas. O presente trabalho foi realizado a partir de revisão bibliográfica em textos e artigos científicos sobre o tema proposto. Os resultados...

    7368  Palavras | 30  Páginas

  • resenha crítica sobre palestra do psicólogo clínico Ileno Izídio da Costa

    Aluna: Ana Clara de Oliveira Alves Universidade de Brasília Curso de Psicologia Resenha Crítica sobre a palestra do psicólogo Ileno Izídio da Costa A psicologia clínica é certamente a mais famosa vertente da psicologia em função de sua grande divulgação midiática e pela revolução freudiana com a psicanálise, além da contribuição significativa na melhora da qualidade de vida das pessoas. Sobre essa área da psicologia trata a palestra do psicólogo Ileno Izídio da Costa, doutor em psicologia...

    778  Palavras | 4  Páginas

  • Um olhar sobre a loucura

    Um olhar sobre a loucura Introdução Diz o adágio popular de que de médico e louco cada um tem um pouco. No entanto, retirando o conhecimento popular, a realidade que quem sofre transtornos mentais é dura, cruel e solitária. Conhecer os sintomas, causas e reações ainda são o melhor remédio para auxiliar quem sobre de algum tipo de insanidade. A loucura ou psicose como é chamada tecnicamente é quando a se perde ou diminui de forma importante o contacto com a realidade, ou seja os conteúdos...

    6763  Palavras | 28  Páginas

  • Algumas considerações sobre o sujeito na psicose

    AlgumAs considerAções sobre o sujeito nA psicose Gabriela Rinaldi Meyer Psicanalista; Mestre em Teoria Psicanalítica pela UFRJ; Doutora em Psicologia Clínica pela USP; Psicóloga do CAPS Clarice Lispector. resumo: Faz-se uma reflexão sobre a questão do sujeito na psico- eX ágora (Rio de Janeiro) v. XI n. 2 jul/dez 2008 299-312 Pe rt Tr P ia D l F A se, sustentando a hipótese da presença de sujeito nesta estrutura. É a partir da fala e do modo como esta é endereçada ao outro na clínica...

    6895  Palavras | 28  Páginas

  • Estruturas Clínicas: Neurose e Psicose

    Estruturas clínicas: Neurose e Psicose De acordo com o Dicionário Aurélio, neurose é “uma perturbação mental que não compromete as funções essenciais da personalidade e em que o indivíduo mantém penosa consciência de si mesmo”. Já Van Den Berg afirma que a neurose é uma perturbação do contato inter-humano. É possível ainda adicionar às duas definições a idéia de que o centro dos conflitos humanos é a angústia, tendo a ansiedade como pano de fundo. Na explicação de Freud, a impressão traumática...

    1056  Palavras | 5  Páginas

  • Análise Histórica Esquisofrenia

    O termo esquizofrenia não tem mais de noventa anos, e nesse período, o termo, que fora criado para definir a fragmentação ou dissolução dos processos psíquicos própria de uma forma de psicose, generalizou-se para denominar todos os processos de divisão e fragmentação, seja na esfera da família, da comunicação, ou da sociedade. O termo esquizo-frenia é composto pelo verbo grego schízo, que significa fender, separar, clivar; e pelo substantivo grego phrén, que significa espírito, inteligência. O...

    918  Palavras | 4  Páginas

  • psicose

    Psicose é um quadro psicopatológico clássico, reconhecido pela psiquiatria, pela psicologia clínica e pela psicanálise como um estado psíquico no qual se verifica certa "perda de contato com a realidade".1 Nos períodos de crises mais intensas podem ocorrer (variando de caso a caso) alucinações ou delírios,2 desorganização psíquica que inclua pensamento desorganizado e/ou paranoide, acentuada inquietude psicomotora, sensações de angústia intensa e opressão, e insônia severa. Tal é frequentemente acompanhado...

    1145  Palavras | 5  Páginas

  • Psicose Psicanalise

    TRATAMENTO DA PSICOSE POR MEIO DA PSICANÁLISE WINNICOTTIANA Curso: PSICOLOGIA Disciplina: TEORIAS DA PERSONALIDADE II Professor: ROBERTO MAC FADDEN Universidade Cruzeiro do Sul SÃO PAULO – 2015 1 INTRODUÇÃO Pretendemos abordar nesse trabalho o conceito de Psicose numa abordagem psicanalítica. Mais especificamente pretende-se iniciar o entendimento da clínica winnicottiana no tratamento do transtorno psicótico. 2 CONCEITUAÇÃO PSICANALÍTICA Inicialmente entenderemos o conceito de Psicose de acordo...

    1813  Palavras | 8  Páginas

  • Psicose e mediação de conflitos

    DIREITO DISCIPLINA DE PSICOLOGIA JURÍDICA Título: Psicose e Mediação de conflitos Jairo Vieira de Jesus Partindo dos estudos de Jacques Lacan em seu livro Seminário 3 – As Psicoses, sobre a psicose, suas peculiaridades em comparação com a neurose e os procedimentos formais e habituais de mediação e arbitragem descritos na legislação regulamentadora e no código de ética dos mediadores e ainda, na própria visão da sociedade em geral sobre a psicose, buscando encontrar a melhor forma do mediador/conciliador...

    3128  Palavras | 13  Páginas

  • Psicoses

    INTRODUÇÃO Este trabalho discute a questão da Psicose, em seus dois tipos clínicos; a paranóia e a esquizofrenia, a partir da Psicanálise. Segundo Quinet (2000), sabe-se que, o indivíduo chega ao mundo, antes mesmo do aparecimento do sujeito do significante, como objeto. A criança realiza a presença do objeto a, designado por Lacan, citado por Quinet. Esta identificação ocorre a partir da relação da criança com a mãe, tornando acessível a esta, o que falta ao sujeito masculino, ou...

    4892  Palavras | 20  Páginas

  • Resumo sobre transferencia,narcisismo e mal estar na civilização

    transferência em 1905 , isso se deve graças a uma paciente que Freud tratou, chamada Dora, que com apenas 11 semanas de tratamento, abandonou o tratamento. Freud se culpa por não ter descoberto a tempo essa transferência, em um artigo que publica sobre o tema, ele diz: “ A transferência, destinada a ser o maior obstáculo à psicanálise, torna-se seu mais poderoso auxiliar sempre que consegue desvendá-la e traduzir seu sentido para o doente.” Freud percebeu com 20 anos mais tarde, que essa interrupção...

    2587  Palavras | 11  Páginas

  • um estudo psicanalitico sobre a paranoia

    Faculdade de Ciências da Saúde - FACS Curso de Psicologia A ESTRUTURA PSICÓTICA: UM ESTUDO PSICANALÍTICO SOBRE A PARANÓIA Renato Gondim Pollis Brasília junho de 2003 Renato Gondim Pollis A ESTRUTURA PSICÓTICA: UM ESTUDO PSICANALÍTICO SOBRE A PARANÓIA Este trabalho consiste em uma monografia realizada para conclusão do curso de graduação em Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde do Centro Universitário de Brasília, elaborado sob orientação da professora Tânia Inessa. Brasília, junho...

    19638  Palavras | 79  Páginas

  • As neuroses atuais e a psicossomática

    As neuroses atuais e a psicossomática 2 SUMÁRIO Agradecimentos -----------------------------------------------------------------------------iv Apresentação----------------------------------------------------------------------------------2 1 INTRODUÇÃO ----------------------------------------------------------------------------3 2 O PERCURSO DA PSICOSSOMÁTICA NO CAMPO PSICANALÍTICO: PRINCIPAIS QUESTÕES-----------------------------------------------------------------8 3 O CONCEITO DE NEUROSE...

    18213  Palavras | 73  Páginas

  • Precisamos falar sobre kevin

    PRECISAMOS FALAR SOBRE KEVIN Professora: Sandra Mara dos Santos Disciplina: Psicologia do Desenvolvimento II Acadêmicos: III Período José Leilson de Sousa Alfredo Daiany Angélica de Sousa 1. Introdução. O filme Precisamos Falar Sobre Kevin é um longa-metragem de (112 min), baseado no livro da escritora norte-americana Lionel Shriver que conta a saga de um jovem primogênito de 15 anos de idade que cometeu uma chacina num colégio dos EUA que culminou com a morte...

    1768  Palavras | 8  Páginas

  • Sigmund-freud-estudos-sobre-a-histeria

    VOLUME II Estudos sobre a histeria Josef Breuer e Sigmund Freud VOLUME II (1893-1895) SIGMUND FREUD EM 1891 NOTA DO EDITOR INGLÊS (James Strachey) (A) ÜBER DEN PSYCHISCHEN MECHANISMUS HYSTERISCHER PHÄNOMENE (VORLÄUFIGE MITTEILUNG) (a) EDIÇÕES ALEMÃES: 1893 Neurol. Centralbl., 12 (1), 4-10 (Seções I-II), e 12 (2), 43-7 (Seções III-V). (1º e 15 de janeiro.) 1893 Wien. med. Blätter, 16 (3), 33-5 (Seções I-II), e 16 (4), 49-51 (Seções III-V). (19 e 26 de janeiro.) 1895, etc. Em Studien über Hysterie...

    112912  Palavras | 452  Páginas

  • 1AULA Esquizofrenia Psicose E Imputabilidade

    www.youtube.com/watch?v=fwnCQUf9anQ O que são Psicoses A Esquizofrenia é a principal psicose. Psicoses Psicoses são distúrbios psiquiátricos graves onde o paciente perde contato com a realidade, emite juízos falsos (delírios), podendo também apresentar alucinações (ter percepções irreais quanto a audição, visão, tato), distúrbios de conduta levando à impossibilidade de convívio social, além de outras formas bizarras de comportamento. O termo Psicose (e sintomas psicóticos) é empregado para se...

    24176  Palavras | 97  Páginas

  • Resenha e Analise Filme "Uma Mente Brilhante"

    Resenha Crítica do filme “Uma Mente Brilhante” O filme retrata a vida de John Forbes Nash, que no começo nos reflete uma personalidade aparentemente normal e um pouco arrogante, mas logo no ínicio vemos John passar por uma crise agressiva. John consegue provar que a teoria de Adam Smith sobre a Dinâmica do Governo esta incorreta e a refaz. Ao se passarem cinco anos, John consegue o desejado cargo de Professor Investigador do Instituto de Tecnologia de Massachussets...

    1171  Palavras | 5  Páginas

  • Considerações sobre estrutura em freud e lacan 

    1  CONSIDERAÇÕES SOBRE ESTRUTURA EM FREUD E LACAN  Texto elaborado por João Fernando Calsavara – Jornada de Estudos do Traço  26 de maio de 2006.  INTRODUÇÃO  A questão da estrutura é um assunto recorrente em Freud, na clínica do  cotidiano e, como afirma Lacan, nas “formações do inconsciente”.  Lacan assim  a aborda:  É  bem  isso  que  tenciono  lhes  falar  este  ano  a  respeito  das  formações  do  inconsciente. Das questões da estrutura, ou seja, para chamar as coisas simplesmente...

    3950  Palavras | 16  Páginas

  • Os impasses da teoria do desencadeamento na clínica das psicoses da criança

    1 Os impasses da teoria do desencadeamento na clínica das psicoses da criança Suzana Faleiro Barroso Introdução O desencadeamento de uma psicose assumiu na teoria e na clínica lacaniana uma importância decisiva do ponto de vista do diagnóstico e da direção do tratamento. Primeiramente, porque o desencadeamento explica os fenômenos clínicos característicos do início de uma psicose, cuja lógica implica também as soluções possíveis para o sujeito diante do sofrimento psicótico. A importância...

    2412  Palavras | 10  Páginas

  • Resenha sobre o enigma da religião

    como objetivo retratar sob forma de uma produção textual uma parte da obra: O Enigma da Religião do autor Rubem Braga. O texto fala sobre a religião, sua conceituação, algumas fases vivenciadas, o espaço que a religiosidade ocupou mediante os avanços tecnológicos e sua contraposição aos dogmas científicos. É de extrema importância essa análise visto que apesar de inúmeras reviravoltas como a quase certa morte de Deus, ainda hoje a religião, se faz presente na realidade social...

    2288  Palavras | 10  Páginas

  • UM ESTUDO SOBRE A RELAÇÃO ENTREA CONSTITUIÇÃO DO SUJEITO EM PSICANALISE E AS ESTRUTURAS CLINCAS

    clinicas nos quais são: psicose, neurose e perversão. Para se poder falar da estruturação do sujeito em psicanalise é necessário falar sobre a estrutura do psiquismo e do aparelho simbólico, sendo sem essas estruturas o ser humano não se estrutura como tal. A psicanalise vem dizer que o sujeito se constitui na sua relação com o outro. Onde esse sujeito e subvertido e dividido pela linguagem e parcialidade da pulsão, para poder falar dessa construção do sujeito falaremos sobre a primeira experiência...

    988  Palavras | 4  Páginas

  • Neurose Obsessiva homem dos ratos

    pessoas próximas 2 h) Das ideias obsessivas 2 i) Associação com ratos 2 2.4 Desfecho e compreensão do caso 2 3. NEUROSE OBSESSIVA SEGUNDO FREUD 2 4. HISTERIA, NEUROSE OBSESSIVA E PSICOSE 2 CONCLUSÃO 2 BIBLIOGRAFIA 2 INTRODUÇÃO O trabalho que se segue tem como objetivo fazer a relação do caso descrito no livro de Freud (1909) identificado como “Um caso de neurose obsessiva - O homem dos ratos” e os principais sintomas e caracterizações da doença descrita. Para tanto se faz necessário...

    4866  Palavras | 20  Páginas

  • “UM BREVE HISTÓRICO SOBRE A HISTERIA DE ANGÚSTIA”

    “UM BREVE HISTÓRICO SOBRE A HISTERIA DE ANGÚSTIA” Segundo Laplanche e Pontalis (2008), a Hsteria de Angústia é um “termo introduzido por Freud para isolar uma neurose cujo sintoma central é a fobia, e para sublinhar a sua semelhança estrutural com a histeria de conversão”. Para Valls (1995), na Histeria de Angústia, a angústia está ligada a uma representação, é uma angústia diante de algo. Para entender a dinâmica da Histeria de Angústia é preciso pensar para além de seu conceito; é necessário...

    2112  Palavras | 9  Páginas

  • Estudo de caso psicose esquizoafetiva

    Estudo de Caso psicose esquizoafetiva Enfermagem de Saúde Metal e Psiquiátrica- Estudo de Caso Saúde mental define-se como “o estado de bem estar, no qual cada indivíduo tem conhecimento total do seu próprio potencial, consegue lidar com o stress normal da vida, consegue trabalhar produtivamente e com resultados e ser capaz de fazer uma contribuição para a sua comunidade”. (OMS) Enfermagem de Saúde Metal e Psiquiátrica- Estudo de Caso Índice INTRODUÇÃO………………………………………………………………………...

    3743  Palavras | 15  Páginas

  • A din mica da neurose obsessiva e os impasses no

    Psychê ISSN: 1415-1138 clinica@psycheweb.com.br Universidade São Marcos Brasil Rinaldi, Doris A dinâmica da neurose obsessiva e os impasses no campo do desejo: o trajeto de uma análise Psychê, vol. VII, núm. 12, dezembro, 2003, pp. 65-79 Universidade São Marcos São Paulo, Brasil Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=30701205 Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina...

    6517  Palavras | 27  Páginas

  • Perversão: um enfoque psicanalítico atual sobre o fetichismo

    PERVERSÃO: Um enfoque psicanalítico atual sobre o fetichismo Rio de Janeiro Novembro 2010 KELLI MARIA P. C. RODRIGUES PERVERSÃO: Um enfoque psicanalítico atual sobre o fetichismo Rio de Janeiro Novembro 2010 PERVERSÃO: Um enfoque psicanalítico atual sobre o fetichismo KELLI MARIA P. C. RODRIGUES ...

    5606  Palavras | 23  Páginas

  • Tempos Modernos de Chaplin: análise ergonômica

    menos é o mais citado em aulas de Ergonomia. É Brilhante em todos os sentidos, por conta de sua sequência inicial de cenas, onde vemos o adorável vagabundo trabalhando numa fábrica! Quando eu era criança vi esse filme e não entendi a inteligente crítica ao industrialismo taylorista do início do século XX que Chaplin faz no roteiro. Chaplin quis denunciar, com sua genial arte, as condições desumanas as quais os trabalhadores eram submetidos, sem escolha. O filme é apresentado com uma imagem de...

    644  Palavras | 3  Páginas

  • neurose obsessiva

    CEFAS – Centro de Formação e Assistência à Saúde: Unidade Sorocaba NEUROSE OBSESSIVA Profa. Dra. Delia Maria de Césaris Aluna: Helen Gonçalves Toledo de Lima SOROCABA Agosto - 2014 Neurose Obsessiva Compulsiva Delorenzo (2007), nos convida a pensar sobre a neurose obsessiva como estrutura que foi construída à partir do conflito entre desejo e culpa. Um conflito vivido nos primeiros anos de vida da criança, em que ocorreu o Édipo, porém a criança fantasia a...

    1949  Palavras | 8  Páginas

  • Tres ensaios sobre a sexualidade

    Os Três Ensaios Sobre a Sexualidade (1905) A sexualidade está presente nos escritos de Freud desde os Estudos sobre a histeria (1893-1895) - sedução sexual real, trauma, repressão Duas descobertas implicam na superação da teoria da sedução: - o papel da fantasia e da sexualidade infantil Essas duas descobertas podem ser concentradas numa só: - a descoberta do Édipo (1ª. referência, carta a Fliess, 15 de outubro de 1897) Verifiquei, também no meu caso, o apaixonamento pela mãe e ciúmes...

    5744  Palavras | 23  Páginas

tracking img