O cordel como instrumento interdisciplinar nas aulas de história

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 32 (7796 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1 – INTRODUÇÃO

Muito se tem falado a respeito dos baixos índices da educação brasileira e principalmente dos estados nordestinos. A maior prova disso são os resultados do ENEM e de vestibulares em universidades públicas. Há um grande contraste, já que as instituições federais e estaduais foram criadas para atender aos menos favorecidos financeiramente, mas cerca de 80% de seus alunos tem altopoder aquisitivo (dado coletado do jornal O Estadão de São Paulo em 18 de agosto de 2011).
É fato que a educação pública não está atingindo seus objetivos e que o modelo de ensino tradicional ainda prevalece, mas está provado que a aprendizagem se dá através de experiências vivenciadas pelos alunos em sala de aula e que tragam a realidade da região trabalhada. Tendo como base o Nordeste, opresente projeto tratará da cultura vivenciada através do cordel e o seu aproveitamento na sala de aula, mais especificamente nas aulas de História, visto que esse meio de comunicação trabalha a linguagem, a regionalidade e fatos históricos contados pelo povo para o povo.
A interdisciplinaridade é muito relevante no sentido de agrupar conhecimentos que juntos fazem com que o aprendizado sejafuncional, ou seja, leve a uma reflexão sobre sua utilização na prática e gere interesse por parte dos alunos.
O cordel ganhou raízes sertanejas e seus temas estão totalmente vinculados com a realidade do interior de Pernambuco, sua estrutura traz certa leveza, estimulando o prazer pela leitura, além do que é uma ótima forma de quebrar a rotina das aulas expositivas e convidar os discentes a pensar,criar, inovar e aprender de maneira crítica, analisando fatos contados nos folhetos, a maneira como o autor enxerga aquele tema e formulando suas próprias ideias.
O cordel pode deixar as aulas de História menos cansativas e avulsas e fazer o aluno se sentir parte da história e modificador da história, além de evidenciar a riqueza cultural do estado em que vive e sua importância na História do paíse até do mundo. Cabe ao professor compreender que o ensino de História deve ser de dentro para fora, ou seja, começar a explorar a historiografia do município e do estado para poder abrir os caminhos para a História de outros povos e nações destacando a relevância de tudo que estão aprendendo, porque o presente é fruto do passado, assim como o presente modifica o futuro e tudo isso deve ficarmuito claro para os educandos. É claro que o cordel é apenas uma das inúmeras maneiras de levar a interdisciplinaridade para as aulas de História, o que importa é a consciência da importância de envolver os alunos num universo mais amplo do conhecimento, tornando-os assim, agentes ativos e com autonomia para elaborar seus próprios conceitos e ideias.
A história da literatura de cordel começa com oromanceiro luso-espanhol da Idade Média e do Renascimento. O nome cordel está ligado à forma de comercialização desses folhetos em Portugal, onde eram pendurados em cordões, lá chamados de cordéis. Inicialmente, eles também continham peças de teatro, como as de autoria de Gil Vicente (1465-1536). Foram os portugueses que trouxeram o cordel para o Brasil desde o início da colonização. Na segundametade do século XIX começaram as impressões de folhetos brasileiros, com características próprias daqui. Os temas incluem desde fatos do cotidiano, episódios históricos, lendas, temas religiosos, entre muitos outros. As façanhas do cangaceiro Lampião (Virgulino Ferreira da Silva, 1900-1938) e o suicídio do presidente Getúlio Vargas (1883-1954) são alguns dos assuntos de cordéis que tiveram maiortiragem no passado.
Diferentemente de outras formas de literatura, o cordel é derivado da tradição oral. Isto é, surge da fala comum das pessoas, e também das histórias como contadas por elas, e não como fixadas no papel.


"Onde quer que existam populações que não sabem ler nem escrever, existirá poesia oral, conto oral, narrativa oral, porque as pessoas não...
tracking img