A influencia dos fatores sociais sobre a aprendizagem

FACINTER – FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA

SILVANA BECHER

A INFLUÊNCIA DA AFETIVIDADE SOBRE A APRENDIZAGEM INFANTIL

SANTA MARIA
2008
INTRODUÇÃO

A escola é o ambiente primordial quando se fala em processo ensino-aprendizagem, tendo em vista o compromisso que ele exerce perante a sociedade, por isso temos o compromisso de apresentar um plano que vá proporcionar aos educandos umdesenvolvimento em todas as áreas, seja cognitiva social ou afetiva.
Sabe-se que a afetividade acompanha o ser humano desde seu nascimento até sua morte. De maneira geral, pode-se dizer que até a segunda infância, a vida da criança é inteiramente afetiva, e que no fim deste período, as principais formas de afetividade do futuro adulto já estão estabelecidas.
As dimensões cognitiva e afetiva dofuncionamento psicológico têm sido tratadas, ao longo da história da psicologia como ciência, de forma separada, correspondendo a diferentes tradições dentro dessa disciplina. Atualmente, no entanto, percebe-se uma tendência de reunião desses dois aspectos, numa tentativa de recomposição do ser psicológico completo. Essa tendência parece assentar-se em uma necessidade teórica de superação de umadivisão artificial, a qual acaba fundamentando uma compreensão fragmentada do funcionamento psicológico.
As situações concretas da atividade humana, objeto de interesse de áreas aplicadas como a educação, por exemplo, também pedem uma abordagem mais orgânica do ser humano: as lacunas explicativas tornam-se óbvias quando se enfrenta indivíduos e grupos em situações reais de desempenho nomundo.
Ao questionarmos a influência que os fatores sociais e a afetividade podem exercer sobre a aprendizagem infantil levantam-se algumas hipóteses a serem investigadas como a relação entre desenvolvimento escolar da criança e o meio social em que esta está inserida. Afinal, a afetividade pode ser atribuída como uma condição inevitável na construção da inteligência interferindo assim noprocesso ensino aprendizagem e resultando no fracasso escolar?
O processo de conhecer a si mesmo e ao outro está internalizado, e nessa relação está a importância da afetividade para o bom desenvolvimento integral do ser humano. As dimensões cognitiva e afetiva do funcionamento psicológico têm sido tratadas, ao longo da história da psicologia como ciência, de forma separada, correspondendo adiferentes tradições dentro dessa disciplina.
Atualmente, no entanto, percebe-se uma tendência de reunião desses dois aspectos, numa tentativa de recomposição do ser psicológico completo. Essa tendência parece assentar-se em uma necessidade teórica de superação de uma divisão artificial, a qual acaba fundamentando uma compreensão fragmentada do funcionamento psicológico.
As situações concretasda atividade humana, objeto de interesse de áreas aplicadas como a educação, por exemplo, também pedem uma abordagem mais orgânica do ser humano: as lacunas explicativas tornam-se óbvias quando se enfrenta indivíduos e grupos em situações reais de desempenho no mundo.
Este projeto irá investigar na pratica essa relação, confrontando a realidade observada com a teoria apresentada por grandesnomes como Jean Piaget, Vigotski e Henri Wallon, buscando alternativas perante os resultados encontrados.
Na maioria das vezes, os conhecimentos que dizem respeito à afetividade -relacionamentos pessoais, cidadanias, direitos e deveres - considerados pilares da solidariedade e da cooperação humana, em geral são omitidos pela escola e muitas vezes pelos próprios pais. Além de a afetividade estarausente nos currículos, a agressividade encontra-se presente, quer em estudos acríticos das guerras e conflitos, quer na competitividade do dia-a-dia da escola.
O desenvolvimento da autonomia e da afetividade permite aprimorar as relações interpessoais; a sociedade necessita de pessoas capazes de respeitar as opiniões dos demais e, por sua vez, de defender os próprios direitos. Nessa medida, a...
tracking img