A economia como um atributo de sobrevivência à crise brasileira

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2343 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

ROSENILDA SILVA SANTOS

A ECONOMIA COMO UM ATRIBUTO DE
SOBREVIVÊNCIA À CRISE BRASILEIRA

Eunápolis - BA
2010

rosenilda silva santos

A ECONOMIA COMO UM ATRIBUTO DE
SOBREVIVÊNCIA À CRISE BRASILEIRA

Trabalho apresentado ao Curso Bacharelado em Administração da UNOPAR -Universidade Norte do Paraná, para a disciplina Teoria Econômica.

Prof. Wilson Salvalagio

Eunápolis – Ba

2010

1 - INTRODUÇÃO

O cenário macroeconômico brasileiro passou nos ultimos anos por várias fases econômicas.

A comerçar pela crise da década de oitenta e a tentativa de vários governantes com estratégias e planos econômicos que só fazia aumentara crise a cada dia mais. Com um passar do tempo e depois de tantas tentativas surgiu uma moeda forte que consegiu estabilizar a inflação, o com poder de compra e a maior estabilidade nos preços.

O comércio internacional é de fundamental importância para todos os paises e principalmente para o Brasil, que é um país rico em industria e agricultura mista.

Depois do controle da inflação asexportações subiram extraordinariamente e a economia continuou a crescer em ritmo moderado.

Através do controle do risco país é que se consegui medir o grau de perigo que um país representa para o investidor estrangeiro, fazendo a conversão o investidor passa a saber o preço de se arriscar a fazer o nogóco num determinado pais.

2 - DESENVOLVIMENTO

No inicio da decada de 80 a economiabrasileira passou por um de seus piores momentos. O deficit lhe causou muitos transtonos com suas contas internacionais. Os governantes da época criaram planos econômicos os quais não conseguiram atingir o sucesso, levando o país a passar por desastrosos período de crescimento econômico, o qual o tempo foi considerado como perdido para a economia brasileira. Outros paises também passaram pelacrise na mesma época, chegando a admitir que não teria como pagar seus compromissos.

Várias Atitudes foram tomadas para voltar a pagar a dívida externa , mas não obteram sucesso. A inflação não era contida e assim a moeda forte extrangeira (o dolar) fez com que a moeda brasileira perdesse o poder que em consequência aumentava a inflação que não parava de acelerar.

Diante de várias medidastomadas para conter a recessão brasileira, surgi um governante com o seu plano que confiscaria todo o dinheiro que estivesse depositado no banco nas contas das pessoas e empresas do país.

Foi um corre corre de pessoas procurando estratégias para que seu dinheiro não fosse confiscado pelo governo, o que não adiantou, pois todo valor acima de 50.000,00 foi sequestrado pelo governo, com ointuíto de devolver em 12 parcelas, prejudicando a todo.

Tal atitude fracassou diante de todos os brasileiros, trazendo a incredibilidade por todos dentro e fora do país. Foram varias as tentativas utilizadas pelos governantes, possibilitando a abertura no mercado à competição com produtos externos.

O país precisava de uma moeda forte para iniciar a abertura do mercado à competição comproduto externo. E assim foran surgindo a URV, uma unidade que não substituia a moeda em circulação “ O Cruzeiro”, que logo após seria convertidos em cruzeiros reais que não estabilizava a moeda e continuava em disparada. Mas a URV´S os preços continuaria fixo que mais tarde começou a chamar-se de Real.

2.1 – A ESTABILIDADE DO REAL

Essa moeda forte foi a salvação para controlar o índicede inflação abaixo de 10%. O lançamento em circulação das cédulas e moedas com padrão Real ocorreu no dia 1º de julho de 1994, através de um comunicado do Banco Central do Brasil. Com a introdução da nova moeda como unidade do Sistema Monetário Nacional, deixaram de ter validade a Unidade Real de Valor (URV) e o Cruzeiro Real.

A nova moeda surgiu no país na busca de garantir uma maior...
tracking img