Uso do crack um problema social restrito as metropolis?

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1741 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]






















































































SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3


2 DESENVOLVIMENTO 4
2.1 A representação social do uso do crack em nossa sociedade, e como a população compreende esse problema.
2.2 O trabalho do assistente social pode contribuir parar oatendimento à população, buscando articular as causas ou razões.
2.3 Historicamente ocorreu a relação urbanização x população. Exclusão nos diferentes pontos do Brasil. Em 1808 com a chegada da Família Real: em 1903/4 com as reformas de Pereira Passos. O mesmo ocorre em São Paulo?
2.4 As consequências emocionais e afetivas do dependente químico e seus familiares. E o papel da família noprocesso de estruturação.


3 CONCLUSÃO 7

4 REFERÊNCIAS 8

INTRODUÇÃO

Neste estudo abordaremos assuntos que consideramos bastante relevantes para esclarecimento da função do assistente social em nosso pais. Será também exclarecido que o uso do crack, ou droga em gerais infelizmente estão presente em todas as regiões do país e que isto é um grave problema social.
No entanto, sabemos quemuitos desafios devem ser enfrentados pelos assistentes sociais, principalmente estando direcionado aos dependentes químicos, mas, é um trabalho que quando o objetivo é alcançado gratifica a todos.
Contudo percebemos que a visão e a atuação do assistente social é indispensável para o enfrentamento desta realidade, ou de qualquer outro problema social, tanto para os usuários, quanto para suasfamílias.
Este trabalho será desenvolvido em tópicos que esclarecem situações como a representação do uso do crack em nossa sociedade, como o trabalho do assistente social contribui para melhorara situação dos dependentes químicos, retrata também, como ocorreu a urbanização e população enfatizando as circunstâncias de exclusão e por fim, mostra as consequências econômicas e afetivas de um dependentequímico e o papel de sua família neste processo de estruturação emocional.








DESENVOLVIMENTO

2.1 A representação social do uso do crack em nossa sociedade, e como a população compreende esse problema.

Hoje, as drogas são uma das maiores preocupações para o mundo. O crack é uma delas. Seu uso e a imensa comercialização na sociedade é motivo de inquietação para todos, poisseu comercio ilegal não faz distinção de raça, nível e nem de sexo.
Nos últimos anos houve um aumento acelerado do consumo do crack, ultrapassando todos os limites econômicos, políticos, sociais e nacionais. Esses fatores, podem ser atribuídos a falta de informação sobres os perigos do consumo abusivo das drogas ilícitas, assim como o caráter limitado das ações preventivas. Pouca afetividade nasestratégias governamentais, que garantem intervenção na prevenção e no combate ao uso de drogas. E assim formam-se”cracolândias” que a cada dia se multiplicam por toda a cidade de forma espantosa e preocupante.
Sabemos que para enfrentarmos o surto do crack, não bastam apenas operações policiais, também é social. Portanto, devemos buscar meios que possam ajudar os dependentes químicos a lutarempor sua recuperação. Os mesmos necessitam sair das ruas, terem acessos a rede de serviço de saúde, assistência social, trabalho, renda e moradia.
Contudo, podemos observar que tudo estar relacionado ao meio social. Os usuários de drogas necessitam de um acompanhamento especializado para que possam sair do vicio que os domina. No entanto deve-se buscar formas que não sejam pela força, mas pelaconscientização, de forma que eles despertem a vontade de procurar ajuda e por meio da assistência social seja garantindo um tratamento e assim melhore sua vida.


2.2 O trabalho do assistente social pode contribuir parar o atendimento à população, buscando articular as causas ou razões.

Faz-se necessário um conhecimento fundamentado de forma que capacite os profissionais e...
tracking img