Transtornos alimentares

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2893 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
2. As vivências de trabalho em diferentes contextos encontrados na atualidade
O olhar atento para o trabalho permite observar uma enorme gama de modos de trabalhar e de estar no trabalho, que vão muito além das linhas de produção fordistas que historicamente moldaram e simbolizaram a idéia de trabalho no imaginário social. Além da atividade fabril, podemos observar a ampliação do trabalhoterceirizado, do trabalho informal e de atividades no setor de serviço.
Assim, buscamos a seguir mostrar como o olhar a partir do cotidiano de trabalho evidencia distintos modos de vivenciar, de atribuir sentido e de estar em diferentes tipos de organização do trabalho. Optamos por apresentar sinteticamente três exemplos de situações de trabalho que foram objetos de pesquisas no campo da psicologiasocial do trabalho (Bernardo, 2006; Sato, 2006; Oliveira, 2005), nas quais se buscou compreender os arranjos, as permutações, as combinações e as negociações que configuram diferentes formas de estar no trabalho. As três pesquisas apoiaram-se em metodologias qualitativas, partindo da análise dos processos cotidianos de trabalho através da observação etnográfica ou de entrevistas semi-estruturadas.São situações muito distintas, mas que, justamente por isso, são representativas em relação ao “caleidoscópio” (Ianni, 1992) que configura o mundo do trabalho. Os três casos ilustram diferentes situações de governo do trabalho, nas quais é possível visualizar matizes no espectro que vai da heterodeterminação à autodeterminação, dentro do qual negociações, acordos e conflitos abertos são conduzidos.A contribuição que se pretende oferecer é a de uma psicologia social que aborda os processos cotidianos de trabalho como processos micropolíticos, isto é, processos em que poder e controle comparecem como categorias fundamentais.
As situações mostradas são: a) a diferença entre o discurso gerencial e a vivência dos trabalhadores em duas montadoras de automóveis de origem japonesa, cujo modelo deorganização da produção é considerado pela literatura gerencial como o “paradigma” da modernidade; b) a construção da organização da feira livre , uma forma de trabalho tradicional que tem origem séculos atrás e ainda se preserva nas grandes cidades do Brasil, congregando diversos “micro-empresários”; e c) as diferenças entre cooperativas de trabalho autogestionária e as de terceirização demão-de-obra.

2.1. A fábrica toyotista: o contraste entre o discurso e a prática
Nas últimas décadas, tem-se observado, na literatura de gestão empresarial, o predomínio de um discurso que afirma a superação do rígido taylorismo-fordismo por um modelo de organização do trabalho que seria mais “flexível”: o toyotismo. Esse modelo de organização tem sido foco de muitas pesquisas, mas poucas dedicaram-sea estudar esse novo contexto a partir da vivência dos trabalhadores, o que, ao contrário, é priorizado no enfoque da psicologia social que se quer demonstrar. Essa perspectiva possibilita compreender as sutilezas e as nuances encontradas no cotidiano de trabalho e, ao empreender essa tarefa, lança um novo olhar sobre as promessas do toyotismo.
É importante dizer que o discurso que acompanha adivulgação do modelo toyotista de produção destaca que ele seria mais humanizado, pois superaria características que, historicamente, foram alvos das críticas dos trabalhadores organizados. Esse modelo de organização, segundo o discurso predominante, possibilitaria, assim, a participação, o trabalho em equipe e a autonomia dos trabalhadores, além de respeitar suas competências. Mas, será que ostrabalhadores submetidos a essa proposta de trabalho a vivenciam do mesmo modo como é sugerido pelo discurso hegemônico?
A partir de uma pesquisa realizada junto a trabalhadores em duas montadoras de automóveis de origem japonesa instaladas no Brasil – que adotam o modelo toyotista –, Bernardo (2006) aponta que a resposta à questão é negativa. A investigação demonstrou que os temas presentes no...
tracking img