Terceira idade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1344 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
J’ACUSE !!!
(Eu acuso !)
(Tributo ao professor Kássio Vinícius Castro Gomes)
« Mon devoir est de parler, je ne veux pas être complice. (Émile Zola)
Meu dever é falar, não quero ser cúmplice. (...) (Émile Zola)
Foi uma tragédia fartamente anunciada. Em milhares de casos, desrespeito. Em outros tantos, escárnio. Em
Belo Horizonte, um estudante processa a escola e o professor que lhe deu notasbaixas, alegando que teve
danos morais ao ter que virar noites estudando para a prova subsequente. (Notem bem: o alegado “dano
moral” do estudante foi ter que... estudar!).
A coisa não fica apenas por aí. Pelo Brasil afora, ameaças constantes. Ainda neste ano, uma professora
brutalmente espancada por um aluno. O ápice desta escalada macabra não poderia ser outro.
O professor Kássio ViníciusCastro Gomes pagou com sua vida, com seu futuro, com o futuro de sua esposa
e filhas, com as lágrimas eternas de sua mãe, pela irresponsabilidade que há muito vem tomando conta dos
ambientes escolares.
Há uma lógica perversa por trás dessa asquerosa escalada. A promoção do desrespeito aos valores, ao bom
senso, às regras de bem viver e à autoridade foi elevada a método de ensino e imperativode convivência
supostamente democrática.
No início, foi o maio de 68, em Paris: gritava-se nas ruas que “era proibido proibir”. Depois, a geração do
“não bate, que traumatiza”. A coisa continuou: “Não reprove, que atrapalha”. Não dê provas difíceis, pois
“temos que respeitar o perfil dos nossos alunos”. Aliás, “prova não prova nada”. Deixe o aluno “construir
seu conhecimento.” Não vamosavaliar o aluno. Pensando bem, “é o aluno que vai avaliar o professor”.
Afinal de contas, ele está pagando...
E como a estupidez humana não tem limite, a avacalhação geral epidêmica, travestida de “novo paradigma”
(Irc!), prosseguiu a todo vapor, em vários setores: “o bandido é vítima da sociedade”, “temos que mudar
‘tudo isso que está aí’; “mais importante que ter conhecimento é ser ‘crítico’.”Claro que a intelectualidade rasa de pedagogos de panfleto e burocratas carreiristas ganhou um imenso
impulso com a mercantilização desabrida do ensino: agora, o discurso anti-disciplina é anabolizado pela
lógica doentia e desonesta da paparicação ao aluno – cliente...
Estamos criando gerações em que uma parcela considerável de nossos cidadãos é composta de adultos
mimados, despreparados para osproblemas, decepções e desafios da vida, incapazes de lidar com conflitos
e, pior, dotados de uma delirante certeza de que “o mundo lhes deve algo”.
Um desses jovens, revoltado com suas notas baixas, cravou uma faca com dezoito centímetros de lâmina,
bem no coração de um professor. Tirou-lhe tudo o que tinha e tudo o que poderia vir a ter, sentir, amar.
Ao assassino, corretamente , deverãoser concedidos todos os direitos que a lei prevê: o direito ao tratamento
humano, o direito à ampla defesa, o direito de não ser condenado em pena maior do que a prevista em lei.
Tudo isso, e muito mais, fará parte do devido processo legal, que se iniciará com a denúncia, a ser
apresentada pelo Ministério Público. A acusação penal ao autor do homicídio covarde virá do promotor de justiça. Mas,com a licença devida ao célebre texto de Emile Zola, EU ACUSO tantos outros que estão por
trás do cabo da faca:
EU ACUSO a pedagogia ideologizada, que pretende relativizar tudo e todos, equiparando certo ao errado e
vice-versa;
EU ACUSO os pseudo-intelectuais de panfleto, que romantizam a “revolta dos oprimidos”e justificam a
violência por parte daqueles que se sentem vítimas;
EU ACUSO osburocratas da educação e suas cartilhas do politicamente correto, que impedem a escola de
constar faltas graves no histórico escolar, mesmo de alunos criminosos, deixando-os livres para tumultuar e
cometer crimes em outras escolas;
EU ACUSO a hipocrisia de exigir professores com mestrado e doutorado, muitos dos quais, no dia a dia,
serão pressionados a dar provas bem tranqüilas, provas de...
tracking img