Staphylococcus

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5256 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE DE FILOSOFIA CIÊNCIAS E LETRAS DE ALEGRE

CURSO DE FARMÁCIA





Bruna Álvares
Daniel Pirovani
Leandro Garcia
Sânia Rodrigues














TRANSPLANTEALEGRE
2012
1- INTRODUÇÃO



Neste seminário iremos falar sobre os principais transplantes que são os de medula, renal, hepático e coração, como o organismo reage e sobre as rejeições que acontecem.
O transplante de órgãos e tecidos é um procedimento cirúrgico que procura substituir um órgão doente por outro normal de um doador compatível ou até mesmo alguém quetenha falecido recentemente.
Trata-se de um assunto bastante elaborado e com bastante complexidade. Os transplantes podem trazer benefícios a pessoas que afetadas por doenças, que de outro modo seriam incuráveis, ou até mesmo por acidentes. Este tipo de transferências pressupõe diversos riscos, tais como, rejeição do órgão transplantado ou mesmo complicações em órgãos vitais.
Devido a agentespatogênicos pode haver rejeição por parte do sistema imunitário. Quando o organismo é invadido por uma agente patogênico, desencadeiam-se mecanismos de defesa o que permite ao organismo reconhecer corpos estranhos ou anormais, neutralizando-os e eliminando-os.

































2.0- TRANSPLANTE


2.1- O que é um transplante?





Àtransferência de células, tecido ou órgãos vivos de uma pessoa, a qual se
dá o nome de doador, para a outra, o receptor, ou até de uma parte para a outra do corpo, dá-se o nome de Transplante. Esta prática é feita com a finalidade de restabelecer uma função perdida ou de reconstrução de uma parte do corpo.
A recorrência a um transplante pode trazer enormes benefícios às pessoas afetadas por doençasque, de outro modo, seriam incuráveis. As transfusões de sangue, que se realizam todos os anos em milhões de pessoas, são o tipo mais vulgar de transplantes. Quanto ao transplante de outros órgãos, pressupõe-se, na maioria dos casos, a procura de um doador compatível e da aceitação de uma série de fatores de risco, pois o doente tem que enfrentar uma grande cirurgia onde poderão ser utilizadospoderosos fármacos imunossupressores ou até a possível rejeição do órgão que poderá levar à morte.

2.2- Onde se pode encontrar os órgãos?

Os tecidos ou órgãos doados podem ser provenientes de uma pessoa viva ou alguém que tenha acabado de morrer, sendo que a taxa de sucesso é maior quando o órgão é originário de um doador vivo. No entanto, alguns órgãos só podem ser retirados de alguém quetenha morrido recentemente devido a um acidente e não por uma doença. Normalmente os doadores vivos são membros da família do receptor do órgão doado, sendo em maior número as doações de medula óssea e dos rins.
Alguns órgãos podem aguentar ativos durante algumas horas fora do corpo humano, enquanto que outros se conservam no frio durante dias até ser feito o transplante. Não podem serconsiderados doadores, pessoas portadoras de doenças infecciosas incuráveis ou doenças que pela sua evolução tenham comprometido o estado do órgão.
2.3- Tipos de transplantes


A intensidade de resposta imune pode variar de acordo com o tipo de transplante.
Auto-transplante: tecido transferido de um local do corpo para outro sítio do próprio corpo ou utilização de células estaminais do cordãoumbilical, por exemplo, excertos de pele.
Transplante Isogénico: transferência de órgãos ou tecidos entre indivíduos idênticos, como gémeos homozigóticos sem que ocorra rejeição.
Transplante Alogénico: neste tipo de transplantes são realizados entre indivíduos da mesma espécie, geneticamente diferentes, por exemplo, transplante de medula, que iremos referir.
Transplantes Xenogénico: os tecidos...
tracking img