Resumo do livro "o que faz o brasil, brasil?"

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2829 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo do livro “O que faz o brasil, Brasil?” de Roberto DaMatta .


1. O que faz o brasil, Brasil? A questão da identidade.


Inicia-se o capítulo com a distinção radical entre um “brasil” escrito com letra minúscula, nome de um tipo de madeira de lei, objeto sem vida, sem condição de se reproduzir com sistema, e o Brasil que designa um povo, uma nação, um conjunto de valores, decultura, entidade viva, cheia de auto reflexão e consciência.
O Brasil com “B” maiúsculo é algo muito complexo. É igualmente um tempo singular, e também temporalidade. Tempo e temporalidade de ritmos localizados, insubstituíveis.
Como um Deus que está em todos os lugares e em nenhum, o Brasil é um ser parte conhecido e parte misterioso, mas que precisa dos homens para ser superior e onipotente.Afinal de contas, o que faz o brasil, Brasil?O primeiro “brasil” é dado nas possibilidades humanas, mas o segundo Brasil é feito de uma combinação de possibilidades universais (modo de ser, “jeito” exclusivamente brasileiro). Sendo assim, DaMatta afirma: “ Tanto os homens como as sociedades se definem por seus estilos, seus modos de fazer as coisas”.Essa é a questão da identidade social.
Mas comose constrói uma identidade social? Assim, como uma sociedade, através de afirmativas e negativas diante de certas questões relacionadas à cultura. Sendo esta uma expressão de um estilo, modo, jeito de fazer as coisas.
Um americano é diferente do brasileiro, pois, cada sociedade define a identidade de seu cidadão. Existem dois modos de construir a identidade brasileira. Num deles, utilizamos dadosprecisos (PIB, renda per capita, inflação e etc.), dados relativos ao sistema político e educacional, ou seja, dados quantitativos, onde somos sempre uma coletividade que deixa a desejar. No outro modo de classificação utilizam-se dados sensíveis e qualitativos, onde nos podemos ver a nós mesmos como algo que vale a pena.
Pode-se entender a sociedade brasileira como sendo uma chave dupla. De umlado é moderna, mas do outro é antiga e trabalhada pelos anos. Essa capacidade relacional entre antigo e moderno tipifica e singulariza a comunidade brasileira.
Será preciso discutir o Brasil como uma moeda, algo que tem dois lados. Um “brasil” pequeno e defasado, e um Brasil dos milagres e autoritarismos políticos e econômicos. DaMatta deixa então uma pergunta em aberto: “Como se ligam as duasfaces de uma mesma moeda?”.










2. A casa, a rua e o trabalho.


As cidades brasileiras vivem um nítido movimento rotineiro. Casa e rua se interagem e se completam.
Há uma divisão clara entre estes dois espaços sociais fundamentais: o mundo da casa e o da rua, onde está, aliás, o trabalho, o movimento, a surpresa e a tentação.
Na casa somos membros de uma família, de umgrupo fechado com fronteiras e limites bem-definidos, somos únicos e insubstituíveis. A casa é um lugar moral, dimensão da vida social permeada em valores.
Os brasileiros consideram suas moradas como lugares singulares, espaços exclusivos, que tem uma tendência de produzir sempre um discurso conservador.
São exprimidas numa rede complexa e fascinante de símbolos, marcada por um supremoreconhecimento pessoal que provê uma leitura especial do mundo brasileiro.
A rua significa a “dura realidade da vida”. Move-se sempre num fluxo de pessoas indiferenciadas e desconhecidas que nós chamamos de “povo”, “massa” (grupos desarticulados de indivíduo). É um lugar de “luta”, de “batalha”; um reino de engano, confuso e logro; ninguém nos respeita como “gente” ou “pessoa”; o comando é dado àautoridade que governa com a lei.
Conforme DaMatta “A rua compensa a casa e a casa equilibra a rua”. São como dois lados de uma mesma moeda. O que se perde de um lado, se ganha do outro.
A rua é espaço que permite à mediação pelo trabalho - o famoso “batente”. Trabalho este que o nosso sistema concebe como castigo, na qual há uma relação patrão-empregado de confusão, por exemplo, a das “empregadas...
tracking img