Psicologia escolar

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1564 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

O presente trabalho aborda o tema – O Papel do Psicólogo na Escola a partir das idéias de Ana Mercês B. Bock onde nos remete a uma psicologia escolar e não uma psicologia do escolar, com uma breve introdução sobre as diferenças entre a escola tradicional e a nova escola.
Este tema foi abordado a partir dos princípios de análise do comportamento, Psicologiacomportamental, autores: Márcio Borges Moreira e Carlos Augusto de Medeiros e reflexões de Paulo Freire, a fim de exemplificar a importância do psicólogo no cotidiano das escolas, para interagir na relação entre escola – governo – alunos – pais.
Entendemos que o psicólogo escolar tem o papel de prevenir as dificuldades vividas no cotidiano escolar de forma a interferir preventivamente, com um olhar sobtodos os contextos da realidade vivida pelos membros da escola.
Como Bock (2003) bem diferencia, atualmente temos uma nova escola, diferente de uma escola tradicional que foi até o início do século XX.


“... na educação ocidental, foi à chamada Escola tradicional, não houve necessidade de uma Psicologia para acompanhar a prática educativa. A Psicologia sóse tornou necessária quando o Movimento da Escola Nova revolucionou a educação e construiu demandas específicas para a Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem”. Bock (2003).

Assim, na Escola Tradicional, pensavam em seus alunos como sujeitos corrompidos, que suas ações eram sempre voltadas para maus hábitos e também fincadas em princípios disciplinares e regras.
Enquantoque na Escola Nova, passou a se ter espaço para liberdade de comunicação. Busca por perguntas, curiosidade, interesse, motivação e experiência são princípios desta nova idéia de escola.
O papel do psicólogo neste novo formato de escola não é o clínico e sim de avaliador, visa apoiar aos diferentes sujeitos envolvidos no contexto escolar, e se houver um fracasso escolar este deve seranalisado de forma macro, e não indicar que o problema está no aluno que não consegue aprender.


Paulo Freire (1987) condenava o ensino oferecido pela ampla maioria das escolas (isto é, as "escolas burguesas"), que ele qualificou de educação bancária. Nela, segundo Freire, o professor age como quem deposita conhecimento num aluno apenas receptivo, dócil. Em outraspalavras, o saber é visto como uma doação dos que se julgam seus detentores. Trata-se, de uma escola alienante, mas não menos ideologizada do que a que ele propunha para despertar a consciência dos oprimidos. "Sua tônica fundamentalmente reside em matar a curiosidade dos educandos, o espírito investigador, a criatividade", escreveu o educador. Ele dizia que, enquanto a escola conservadora procuraacomodar os alunos ao mundo existente, a educação que defendia tinha a intenção de inquietá-los.


Entretanto, partimos da idéia que o psicólogo escolar a partir da Nova escola seja um agente de mudança, que seja capaz de intercalar as idéias de mente saudável com as necessidades sociais envolvidas no cotidiano escolar.
A escola é uma instituição organizada com políticas e regras, sejaela, pública ou particular. Há uma complexidade neste papel do psicólogo, contudo, se faz necessário entender para que se possa haver um ganho no aprendizado do aluno e melhor desenvolvimento da escola como um todo. Essa atuação deve ser focada nas dificuldades que possam ocorrer no processo de aprendizagem orientando e intermediando pais, alunos, e membros da escola de forma assertiva.Deve-se haver também, a preocupação do psicólogo escolar em difundir as regras e políticas governamentais ou mesmo internas, quando se tratar de uma escola particular. Deste modo, disseminar da melhor forma a fim de que todos entendam a melhor maneira de lidar com os processos escolares, tanto burocráticos como, por exemplo, na escola estadual a progressão continuada, ou mesmo dificuldades de...
tracking img