Positivismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2958 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
positivismo lógico
I
1') Nenhum dos meus filhos é gordo;
3) Todo o glutão, que seja uma das minhas crianças,
é gordo;
6) Logo, nenhum glutão, que seja uma das minhas
crianças, é meu filho.

Em segundo lugar, por CONVERSÃO e depois
podemos reformular a proposição 2
na proposição equivalente 2': Todas as minhas
crianças saudáveis fazem exercício. Por outro
lado, tomando (no contexto) otermo geral
«filha» como equivalente ao termo geral «não
filho», e, de novo por CONVERSÃO e depois
OBVERSÃO, podemos reformular a proposição 4
na proposição equivalente 4': Todas as minhas
crianças que fazem exercício são meus filhos.
Juntando estas duas proposições como premissas, obtemos o seguinte silogismo válido:
OBVERSÃO,

II
2') Todas as minhas crianças saudáveis fazem exercício;4') Todas as minhas crianças que fazem exercício são
meus filhos;
7) Logo, todas as minhas crianças saudáveis são
meus filhos.

Finalmente, tomamos as conclusões dos
silogismos I e II como premissas e obtemos o
seguinte silogismo válido:
III
7) Todas as minhas crianças saudáveis são meus
filhos;
6) Nenhum glutão, que seja uma das minhas crianças, é meu filho;
5') Logo, nenhum glutão,que seja uma das minhas
crianças, é saudável.

A proposição 5' é, por obversão, reformulável na conclusão geral 5. Nesta cadeia de silogismos, os silogismos I e II são ambos prossilogismos relativamente ao silogismo III; e este
último é um epissilogismo relativamente a cada
um daqueles silogismos. Ver também SILOGISMO; QUADRADO DE OPOSIÇÃO. JB

Carroll, L. 1976. Complete Works. Nova Iorque:Random House.

positivismo lógico Um dos movimentos mais
importantes do pensamento filosófico analítico,
conhecido também por «neopositivismo» e por
«empirismo lógico». Tendo surgido nos anos
vinte com o Círculo de Viena, o positivismo
lógico manteve uma vasta influência durante
cerca de trinta anos. Os elementos deste movimento, unidos por uma postura radicalmente
empirista eanti-metafísica (apresentada como
a «concepção científica do mundo»), procuraram revolucionar a filosofia através do uso dos
recursos da lógica simbólica na análise da linguagem científica.
Liderado por Moritz Schlick, o Círculo de
Viena funcionou inicialmente como um simples
grupo de discussão animado pela presença de
diversos filósofos e cientistas. Rudolf Carnap e
Otto Neurath foram, a par deSchlick, os filósofos do Círculo que mais se destacaram. A partir
de 1929, o Círculo estruturou-se com o objectivo de tornar o positivismo lógico um movimento filosófico verdadeiramente internacional.
Desse esforço consciente, conduzido em grande
parte através da realização de congressos internacionais, resultaram contactos e alianças com
filósofos escandinavos, polacos, britânicos enorte-americanos. O pequeno grupo de filósofos
da escola de Berlim foi especialmente influente
no desenvolvimento do positivismo lógico.
Além de Carl Hempel e de Richard von Mises,
destacou-se nesse grupo Hans Reichenbach, que
dirigiu com Carnap a revista Erkenntnis, o órgão
principal do movimento.
Ao longo dos anos trinta, embora o movimento estivesse em plena ascensão, o Círculo
de Viena conheceuum declínio que culminou
no seu desaparecimento. A morte de Schlick,
que foi assassinado por um ex-aluno que
sofria de perturbações mentais, contribuiu
para esse declínio. O clima de hostilidade
política provocou a dispersão dos elementos
do Círculo, e o grupo de Berlim também não
resistiu à emergência do nazismo. O palco da

577

positivismo lógico
actividade do positivismo lógicodeslocou-se
assim para os Estados Unidos e também para
Inglaterra, onde em 1936 A. J. Ayer publicou
Linguagem, Verdade e Lógica, a introdução
clássica à posição filosófica avançada pelos
filósofos do Círculo de Viena.
A filosofia do positivismo lógico, embora se
tenha apresentado explicitamente em ruptura
com a maior parte da filosofia tradicional, não
deixa de reflectir um vasto leque de...
tracking img