Nbr 100067

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1955 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Cópia não autorizada

MAIO 1995

NBR 10067

Princípios gerais de representação em desenho técnico
ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas
Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210 -3122 Telex: (021) 34333 ABNT - BR Endereço Telegráfico: NORMATÉCNICA

Procedimento Origem: Projeto NBR 10067/1993CB-04 - Comitê Brasileiro de Máquinas e Equipamentos Mecânicos CE-04:005.04 - Comissão de Estudo de Desenho Técnico Geral e de Mecânica NBR 10067 - Technical drawings - General principles of presentation Procedure Descriptor: Technical drawing Esta Norma foi baseada na ISO 128/1982 Esta Norma substitui a NBR 10067/1987 Válida a partir de 30.06.1995 Palavra-chave: Desenho técnico 14 páginasCopyright © 1995, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

1 Objetivo
Esta Norma fixa a forma de representação aplicada em desenho técnico.

3 Condições gerais
3.1 Método de projeção ortográfica
3.1.1 1º diedro

2 Documentos complementares
Na aplicação desta Norma é necessário consultar:

O símbolo deste método érepresentado na Figura 1.
3.1.2 3º diedro

NBR 8402 - Execução de caracteres para escrita em desenhos técnicos - Procedimento NBR 8403 - Aplicação de linhas em desenho técnico - Procedimento NBR 12298 - Representação de área de corte por meio de hachuras em desenho técnico - Procedimento

O símbolo deste método é representado na Figura 2. 3.2 Cor de representação do desenho técnico O desenhotécnico é representado na cor preta. Se outras cores forem necessárias para melhor esclarecimento do desenho, o seu significado deve ser mencionado em legenda.

Figura 1

Figura 2

Cópia não autorizada

2

NBR 10067/1995

4 Condições específicas
4.1 Denominação das vistas Os nomes das vistas indicadas na Figura 3 são os seguintes: a) vista frontal (a); b) vista superior (b); c) vistalateral esquerda (c); d) vista lateral direita (d);

4.2 Posição relativa das vistas no 1º diedro Fixando a vista frontal (A) conforme as Figuras 4-(a) e 4-(b), as posições relativas das outras vistas são as seguintes: a) vista superior (B), posicionada abaixo; b) vista lateral esquerda (C), posicionada à direita; c) vista lateral direita (D), posicionada à esquerda; d) vista inferior (E),posicionada acima;

e) vista inferior (e); f) vista posterior (f). e) vista posterior (F), posicionada à direita ou à esquerda, conforme a conveniência.

Figura 3

Figura 4-(a) Figura 4

Figura 4-(b)

Cópia não autorizada

NBR 10067/1995

3

4.3 Posição relativa das vistas no 3º diedro Fixando a vista frontal (A) conforme as Figuras 5-(a) e 5-(b), as posições relativas das outras vistassão as seguintes: a) vista superior (B), posicionada acima; b) vista lateral esquerda (C), posicionada à esquerda;

c) vista lateral direita (D), posicionada à direita; d) vista inferior (E), posicionada abaixo; e) vista posterior (F), posicionada à direita ou à esquerda, conforme a conveniência

Figura 5-(a) Figura 5

Figura 5-(b)

Cópia não autorizada

4

NBR 10067/1995

4.4 Escolhadas vistas
4.4.1 Vista principal

4.5 Determinação do número de vistas Devem ser executadas tantas vistas quantas forem necessárias à caracterização da forma da peça, sendo preferíveis vistas, cortes ou seções ao emprego de grande quantidade de linhas tracejadas.
4.6 Vistas especiais 4.6.1 Vista fora de posição

A vista mais importante de uma peça deve ser utilizada como vista frontal ouprincipal. Geralmente esta vista representa a peça na sua posição de utilização.
4.4.2 Outras vistas

Quando outras vistas forem necessárias, inclusive cortes e/ou seções, elas devem ser selecionadas conforme os seguintes critérios: a) usar o menor número de vistas; b) evitar repetição de detalhes; c) evitar linhas tracejadas desnecessárias.

Não sendo possível ou conveniente representar uma...
tracking img