Pedagogia do oprimido

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5607 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA
DEPARTAMENTO DE LETRAS
































PEDAGOGIA DO OPRIMIDO – PAULO FREIRE


























Tangará da Serra – MT
Maio de 2010




UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRADEPARTAMENTO DE LETRAS










PATRÍCIA QUINTINO DA SILVA
PRISCILA QUINTINO DA SILVA
DAIANE PEREIRA DA SILVA
LUCIANE














Trabalho apresentado à disciplina de Psicologia Educacional ministrada pela professora Dra. Cecília de Campos França – 3° semestre no curso de letras da Universidade do Estado de Mato Grosso –Unemat, Campus Universitário de Tangará da Serra.
























Tangará da Serra – MT
Maio de 2010


Pedagogia do oprimido
(Paulo Freire)


AOS ESFARRAPADOS DO MUNDO
E AOS QUE NELES SEDESCOBREM E, ASSIM
DESCOBRINDO-SE, COM ELES
SOFREM, MAS, SOBRETUDO,
COM ELES LUTAM.
(Paulo Freire 1987)

No livro “Pedagogia do Oprimido”, encontramos conceitos formulados em uma pesquisa realizada em mais de cinco anos de exílio,através de experiências que Paulo Freire obteve em vários setores tais como; social, político, religioso e principalmente na área da educação. Paulo Freire era católico e estava profundamente ligado a entidades de caráter religioso como o (Conselho Mundial das Igrejas – CMI), e devido a isso contribuiu na formação de educadores em suas práticas pedagógicas, aos docentes que nela desejam atuarproporcionando a eles reflexões, partindo do princípio do respeito a individualidade, ensinando dialogar, a considerar o outro, na qual um individuo ouve e outro fala e assim vice-versa, num processo de aprendizagem, sabendo sempre ouvir respeitando cada ser, levando em conta seu processo histórico de forma dialética . Paulo Freire destacou-se como um pedagogo brasileiro respeitado, tanto no Brasil comono exterior, principalmente para as classes mais populares.

“Por seu empenho em ensinar os mais pobres, Paulo Freire tornou-se uma inspiração para gerações de professores, especialmente na América Latina e na África. Pelo mesmo motivo, sofreu a perseguição do regime militar no Brasil (1964-1985), sendo preso e forçado ao exílio.”

Segundo Paulo Freire, não será aconscientização que levará o povo ao fanatismo destrutivo. Pelo contrário, lhe possibilitara ser inserido como sujeito num processo histórico buscando a sua afirmação, quem teme a liberdade, passa a ver o que não existe, prefere a liberdade arriscada. Só os sectários se sentem dono do saber, e terminam sem o apoio do povo. “A sectarização, porque mítica e irracional, transforma a realidade numa falsarealidade, que, assim, não pode ser mudada”. (Paulo Freire, 1987). O sectário busca viver a sua verdade sempre negando a do outro. Por outro, lado o radical transforma a liberdade do homem, não se deixa prender pelos círculos de segurança, sabe dialogar, ouvir, e busca desvendar o mundo, não teme o futuro, anda lado a lado com o povo, não se dizem dono da verdade, nem do tempo, muito menos doshomens.


Na realidade os homens pouco sabem de si e, na medida em que buscam saber, formulam respostas que os levam a novas perguntas, buscando a sua humanização. A desumanização é a vocação histórica dos seres humanos, é um fato concreto, é uma ordem formada injustamente que gera a violência aos opressores. A violência dos opressores faz com que o oprimido mais cedo ou mais tarde busque...
tracking img