Os efeitos do uso do ginkgo biloba l.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2005 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS




















Os efeitos do Uso de Ginkgo biloba L.








































Mogi das Cruzes
2012
UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS




















Os efeitos do Uso de Ginkgo biloba L.Monografia apresentada a matéria do Projeto Integrador III do Curso de Farmácia da Universidade Braz Cubas para a obtenção de aprovação do semestre.






















Mogi das Cruzes
2012

SUMÁRIO
INTRODUÇÃO 4
OBJETIVO 5
DESENVOLVIMENTO 6
1.1. Ginkgo Biloba L. 6
1.2. Posologia 7
1.3. Princípios Ativos 7
2. Utilização da Ginkgo biloba L. 8
3.Interações Medicamentosas e Contra Indicações 9
4. O Papel do Farmacêutico em Relação aos Fitoterápicos 10
conclusão 12
REFERÊNCIAS 13

































INTRODUÇÃO



“A utilização de plantas para fins medicinais é tão antiga quanto à própria humanidade, sendo a forma de tratamento mais usual até o século XVIII” (Sampaio, 2009).
Estasplantas possuem princípios ativos, que nas dosagens corretas podem ser mais eficazes ou tão quanto os demais medicamentos, e com a vantagem de serem mais baratos. (G. S. Oliveira, 2011)
Desde 1978, a Organização Mundial de Saúde reconhece oficialmente o uso de fitoterápicos. No Brasil, a política de uso de plantas medicinais teve inicio em 1981. Mas recentemente o decreto 5.813/2006instituiu a Política Nacional de Plantas Medicinais. (Carlos Augusto/ANVISA)
Segundo ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, os fitoterápicos são medicamentos obtidos empregando-se, como princípio ativo, exclusivamente derivado de drogas vegetais, é conhecido pela eficácia e riscos de seu uso, como também pela sua estabilidade funcional.
Fitoterápicos são regulamentados no Brasilcomo medicamentos convencionais e tem que apresentar qualidade, segurança e eficácia requeridos para todos os medicamentos. A utilização de fitoterápicos esta em vigor pela RDC nº 48, de 16 de março de 2004, emitida pela ANVISA que, revoga a RDC nº 17, de 24 de fevereiro de 2000.
Em 11 de novembro de 2011, foi aprovado pela RDC 60/2011, publicada no Diário Oficial da União, o FormulárioNacional de Fitoterápico, que integra a Farmacopeia Brasileira, onde se encontram 83 monografias de medicamentos. (Portal ANVISA)
A Ginkgo biloba L. é um fitoterápico de origem japonesa e tem trazido grandes benefícios com o seu principio ativo. As indicações mais comuns são o tratamento e a prevenção das condições médicas relacionadas ao envelhecimento, em particular para melhoria devertigens, tonturas, zumbido (tinido), má circulação, entre outros tipos de tratamento. (Luo, 2001)
O seu extrato tem sido utilizado em diversas formas farmacêuticas como cápsulas, cremes, xampus e outras formas, tendo múltipla utilização para o tratamento de diversas patologias e sendo um dos medicamentos mais antigos utilizados e estudados até hoje. (TF Oliveira da Silva, 2011)

OBJETIVOAvaliar os efeitos do extrato de Ginkgo biloba L., apresentando os benefícios e malefícios desse medicamento, incluindo efeitos causados no organismo, seu mecanismo de ação e a eficiência de seu uso no tratamento de doenças.



























































06


DESENVOLVIMENTO


1.1. Ginkgo BilobaL.



O primeiro bombardeio atômico da história ocorrido em 06 de agosto de 1945, na cidade de Hiroshima no Japão, arrastou destruição, mas também revelou uma única espécie, que sobreviveu ao caos: a Ginkgo Biloba L. (Álvaro Rotiré Hidalgo, 2011)
O nome Ginkgo vem da palavra chinesa sankyo, que significa “damasco do campo”. Esse nome faz referência ao pseudofruto totalmente...
tracking img