Maquiavel, hobbes, locke, durkheim e simmel

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4318 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Pontifica Universidade Católica de Minas Gerais
















Discussão da Ordem e do Conflito

Maquiavel, Hobbes, Locke, Durkheim e Simmel










Ana Maria Pedrosa

Frâncio Túlio Silva Leite

Luis Henrique Francelino

Mariana Teixeira Ramos

Ronildo Rodrigues Alves
















BeloHorizonte

2011

1 INTRODUÇAO







Esta síntese aborda as teorias da ordem e do conflito nos autores clássicos Maquiavel, Hobbes e Locke no âmbito da filosofia política, Durkheim e Simmel, na sociologia.

O trabalho está ordenado com a primeira discussão sobre política relacionando a compreensão dos autores quanto à instabilidade vivida pelos homens antes doEstado, apresentando o mesmo, como solução para conter o conflito e manter a ordem. Na sociologia ambos os temas são expostos em autores diferentes, onde Durkheim aponta a solidariedade mecânica e orgânica como produtoras da coesão social e Simmel, afirma que o conflito esta presente em todas as formas de sociedade e apresenta um lado positivo que é a sociação dos indivíduos.

Todas as obrasde Nicolau Maquiavel focalizam principalmente a existência e manutenção do Estado e isso será afirmado em sua carta a Francesco Vettori (13-03-1513) “O destino determinou que eu não saiba discutir sobre a seda, nem sobre a lã, tampouco sobre questões de lucro ou perda.Minha missão é falar sobre o Estado”(...) –Clássicos da política. Vol 1 cap. I. Para tanto, discutira sobre as formas de governo(republicas, principados ou mista), qual é forma é a mais adequada a determinada sociedade e sobretudo, como ter virtude para mantê-lo forte e com os conflitos sob controle. Este trabalho abordará o ultimo problema.

O conteúdo que consta de Thomas Hobbes pautou as origens do conflito entre os homens, as formas como relacionam a liberdade que usufruíam no Estado de natureza. Falamos tambémsobre a ordem que se estabelece através de um pacto entre todos os membros da comunidade no intuito de preservar antes de tudo a integridade física.

Em Locke, um contratualista como Hobbes, escrevemos sobre o estado de natureza em que os homens vivem em plena harmonia e liberdade, sobre a teoria da propriedade fundamentada na vida, liberdade e bens e também no contrato que visa oestabelecimento da ordem para legitimar as propriedades.

Émile Durkheim (1858-1917) formou-se em filosofia e instituiu a sociologia como uma disciplina acadêmica que visa entender um fenômeno social em comparação com outro. Sendo este o seu método de estudo, e objeto, os fatos sociais. Os fatos sociais devem ser compreendidos como uma coesão social presente em todas as sociedades, onde ele écaracterizado em geral, externo e coercitivo aos indivíduos.




“ Fato social é toda maneira de fazer, fixada ou não, suscetível de exercer sobre o individuo uma coerção exterior: ou então, que é geral no âmbito de uma dada sociedade tendo, ao mesmos tempo, uma existência própria, independente das suas manifestações individuais” p 40.




Para estabelecer um estudocomparativo é preciso identificar as causas sociais, ou seja, elementos encontrados numa sociedade que permite analisar a variabilidade e especificidade das diferentes categorias sociais, que por sua vez, são criadas pelo homem. Portanto devendo ser explicadas pela sociologia e não pela biologia ou psicologia.

Desta forma, o que garante a ordem social (entendida como a moral -solidariedade social) é a consciência coletiva que abarca os valores e as crenças que regem com intensidade forte ou fraca os indivíduos de uma dada sociedade. Em De La Division Du Travial Social (1893), Durkheim descreve a relação dos indivíduos em dois tipos de sociedade: moderna e tradicional. Sendo que os indivíduos estabelecem uma solidariedade que os move e os ordena de acordo com a intensidade da...
tracking img