Ingredientes de origem animal destinados a fabricação de rações

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4787 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INGREDIENTES DE ORIGEM ANIMAL DESTINADOS À FABRICAÇÃO DE RAÇÕES 1
Claudio Bellaver 2

1. Introdução

O título desse trabalho envolve uma grande quantidade de ingredientes e torna-se excessivamente complexo para apenas uma apresentação, devido ao volume de informações e a grande quantidade de fontes de origem animal, assim como, pelas implicações de uso de subprodutos de origem animal naalimentação animal. Por isso, o trabalho cobrirá apenas alguns dos subprodutos de abatedouros que são os comercialmente mais disponíveis e representam o maior volume, deixando de abordar ingredientes como farinhas de ostras, crisálidas, subprodutos do leite e de ovos, farinhas de ossos e de peixe. É necessário portanto conhecer alguns aspectos gerais do uso de ingredientes protéicos alternativos e deorigem animal, rever definições de subprodutos, processamento, limitações de uso, as

quais envolvem aspectos nutricionais e sanitários, composição dos ingredientes e por fim, mostrar algumas simulações quando da mudança de preço do farelo de soja e os efeitos sobre a valorização das farinhas de carne ou vísceras. Na última década houve um significativo aumento de produção de rações (147 %) ,partindo de 15 milhões de toneladas em 1990 para uma estimativa de 37 milhões de toneladas em 2001 de acordo com dados de Perfil (2000 e 2001). Por isso, a indústria de rações depara-se com a necessidade de grandes volumes de ingredientes, havendo com freqüência escassez de ingredientes alternativos ao milho e farelo de soja. Mesmo não havendo falta de farelo de soja, deve-se lembrar que seu preço éregulado no mercado internacional, que, se alto, chama por ingredientes alternativos. De toda a sorte a formulação é dependente da qualidade, bem como dos preços dos ingredientes e por isso a competição entre as empresas comprime a margem de lucro e põe mais pressão para redução dos custos de
1

Simpósio sobre Ingredientes na Alimentação Animal de 18 a 20 de Abril de 2001 – Colégio Brasileirode Nutrição Animal - Campinas SP; 2 Claudio Bellaver, PhD Nutrição - Embrapa Suínos e Aves, C.P. 21, 89700 000 - Concórdia – SC, Brasil. (bellaver@cnpsa.embrapa.br),

2

produção das rações. As boas fontes protéicas tem em geral alto custo e os ingredientes alternativos podem ser usados, mas na dependência do conhecimento de sua qualidade, preço e o resultado que pode gerar no desempenho dosanimais. John (1991), mostrou que nos EUA existiam 365 fábricas de processamento de resíduos animais, incluindo os abatedouros e os misturadores de proteínas animais recicláveis. Na data do levantamento, essas fábricas processavam cerca de 16,3 milhões de t métricas de resíduos/ano. O percentual de produtos recicláveis não comestíveis corresponde a aproximadamente 50 % do animal e depende doconsumo americano de carnes, que é de 100 kg / habitante /ano. Com a reciclagem, são produzidas cerca de 4 milhões de t de proteínas para a industria de rações e 4 milhões de t de gorduras para uso industrial, rações e exportações. Esses produtos são oriundos dos bovinos (45 %), suínos (16 %), ovinos (2 %), aves (19 %), animais mortos (10 %), gorduras de restaurantes (6 %) e outros (2 %). No Brasilpara uma produção de cerca de 12 milhões de toneladas de carnes (Desouzart, 1998) e assumindo algumas cifras citadas por John (1991) (82 % produtos animais; 50 % de perda/animal e 50 % de água, 25% de proteína e 25 % de gordura na carcaça), chega-se ao valor de 4,9 milhões de t em produtos não comestíveis e(ou) recicláveis (farinhas e gordura animal). Isso tem um valor econômico significativoultrapassando a cifra de R$ 2 bilhões/ano. Uma grande parte desse valor é agregado na industria de rações, a qual movimenta cerca de R$ 10 bilhões/ano. Então, toda consideração que se faça aos subprodutos de origem animal, deve se ter em mente algumas dessas estimativas e o que elas representam para o país. Evidentemente que, defendemos a melhoria da qualidade dos subprodutos de modo a tratá-los como...
tracking img