Fudamentos adm

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1894 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
5. FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO
Evolução da Administração

O início da reflexão sobre a vida social organizada é algo difícil de precisar. Entretanto, há razoável grau de consenso em se afirmar que o ponto de partida da reflexão sistematizada sobre as organizações industriais pode ser atribuído a Frederick Winston Taylor, já no final do século XIX e início do século XX. Outros nomes, comoGantt e Gilbreth, merecem quase igual relevância no contexto norte americano. Não se tratava de cientistas sociais ou filósofos, mas sim de homens práticos, que viviam problemas concretos de organizações produtivas, problemas concentrados no aumento de produção e cuja solução dependia de um envolvimento dos trabalhadores nesse processo.
Não devemos esquecer que estávamos em meio ao processo detransformações provocado pela segunda Revolução Industrial (1860): o aço substitui o ferro como matéria prima básica; o petróleo e a energia elétrica substituem o vapor. A máquina automatizada entra em cena. Mas, em especial, o conhecimento começava a ser introduzido na vida industrial: novas técnicas de produção e de trabalho eram exigidas, pois havia um mercado crescente e demandante por produtos aserem consumidos.
A ênfase de Taylor, Gilbreth, Ford e seguidores era absolutamente concentrada na tarefa, na realização, na redução dos tempos de execução. Quando se olha retrospectivamente, é fácil entender sua visão: eram engenheiros por formação, e seu local de trabalho e análise era o chão de fábrica.
Para que possamos entender as propostas de Taylor, materializada nos chamados Princípios daAdministração Científica, é preciso que entendamos certos pressupostos por ele cultivados. Ele entendia que não era a média dos funcionários, mas sim que 19 entre 20 deles acreditavam que era de seu maior interesse trabalhar devagar em vez de andar rápido na execução de suas tarefas. Mais do que isso: entendiam que deveriam contribuir com a menor quantidade possível de trabalho pelo salário querecebiam. Ainda que esses fossem seus pressupostos, ele julgava que o problema de os operários cultivarem essa visão falaciosa não tinha só a ver com eles.
Para dar suporte a seu ponto de vista, de que o aumento da eficiência, com produção de 10, 20 ou 30 vezes maior, acabava tendo como resultado um mercado ampliado, com aumento de empregos e não redução, Taylor usou, entre outros, o exemplo daindústria de algodão em Manchester, que em 1840 empregava 5.000 tecelões. Passados 60 anos, a produção foi duplicada, e o número de funcionários na indústria de tecelagem passou para 265.000, embora nesse mesmo período a população inglesa tivesse apenas duplicado.
Esse exemplo abre possibilidade a inúmeras observações e ponderações, como espaçamento temporal de demasiadamente longo e o número devariáveis não controladas que certamente interferiram no correr do processo, só para exemplificar. Entretanto, essa discussão não faz parte da essência para o entendimento do que acreditamos seja a essência da contribuição de Taylor. Essa essência – que ainda perdura em muitas tecnologias administrativas contemporâneas – repousa no que Taylor chamava de administração científica e nos pré-requisitosbásicos para sua aplicação.

A Administração Científica

Para Taylor, a administração científica não existe, nem pode existir – e aqui se encontram seus pressupostos – “antes que haja uma completa revolução mental dos trabalhadores que venham a empregá-la, em relação a seus deveres para consigo próprios e para com seus empregados. E até que esta grande revolução mental ocorra, a administraçãocientífica não existe” (Caravantes, Geraldo. Panno, Cláudia. Kloeckner, Mônica. “Administração, Teorias e Processo” Cap. 6, p. 58). O que ele está dizendo é que as tecnologias administrativas, por melhores que sejam não trarão nenhuma contribuição efetiva para o desempenho de indivíduos e organizações antes que a forma de pensar dos indivíduos – empregados e empregadores – seja radicalmente...
tracking img