conflitos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1712 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de maio de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
CONFLITOS ÉTNICOS NACIONALISTAS NA EUROPA
- A questão basca:
Os bascos habitam a região norte da Espanha e sul da França há mais de 5 mil anos. São cerca de 2,5 milhões de pessoas que possuem identidade, idioma e culturas próprias, contituindo-se numa verdadeira nação no interior desses países.
Na Espanha, durante a ditadura de Francisco Franco os bascos foram impedidos de se expressar em seupróprio idioma, comemorar suas festas nacionais e manifestar sua cultura. A repressão forjou um forme movimento nacionalista e a formação de gurpos de resistência política. Terminado o período da ditaura franquista (1939 - 1975), os bascos conquistaram relativa autonomia, consolidada pela criação da Região Autônoma do País Basco.
- A questão Irlandesa
Em 1800, por decreto da coroa inglesa, aIrlanda passou a pertencer ao Reino Unido, provocando a ira dos nacionalistas que reagiram organizando a luta pela independência.
Foi no início do século XX que os conflitos entre a Irlanda e o Reino Unido ganharam maiores proporções, obrigando o Reino Unido a assinar, em 1921, o Tratado Anglo-Irlandês. Pelo tratado, os condados do Sul formaram o Estado Livre da Irlanda; os condados do Nortepermaneceram ligados ao Reino Unido. Esse processo de independência encerrou-se somente em 1937, quando foi constituído o novo país, denominado República do Eire, reconhecido pelo Reino Unido apenas em 1949. A Irlanda do Norte permaneceu ligada ao Reino Unida.
Com a realização de vários atentados contra autoridades e instituições britânicas, o apoio dado pelos protestantes do Reino Unido fez o IRAtambém agir contra a população civil.
Em 1998, depois de anos de luta armada e cerca de 3600 mortos, os dois lados do conflito entraram em negociação e assinaram um acordo de paz.
Em 2007, formou-se um governo de coalizão, reunindo o Partido Unionista Democrático (DUP) e o Sinn Féin, garantindo à Irlanda do Norte o retorno à autonomia regional. Nesse mesmo ano, o exército britânico encerrou umaintervenção militar de quase quatro décadas na Irlanda do Norte e instalou um governo compartilhado entre católicos e protestantes.
CONFLITOS ÉTNICOS NA ÁFRICA
A origem dos conflitos étnicos na África está ligada à partilha do continente feita pelos colonizadores europeus que criaram fronteiras ainda mantidas após os processos de independência dos países africanos.
Contribuem para a multiplicaçãodos conflitos na África o baixíssimo nível socio-econômico da maioria dos países, a inexistência de governos democráticos em muitos deles, as disputas por territórios e pelo controle de recursos minerais - em particular, diamantes e outras pedras preciosas.
- Ruanda:
Ruanda foi colônia belga desde o final da Primeira Guerra Mundia até sua independência, em 1960. Durante esse período, os belgasfomentaram a rivalidade entre os dois grupos étnicos que ocupavam essa região africana - tutsis e hutus - como estratégia para manter o domínio sobre Ruanda. Os tutsis tinham privilégios na administração belga, tornavam-se funcionários públicos, membros do exército colonial e conquistaram cargos importantes.
Em 1962, após a conquista da independência, sob a liderança dos hutus, os tutsis passaram aser perseguidos. Exilados nos países vizinhos, formaram a Frente Patriótica Ruandesa (FPR), retornando a Ruanda em 1990 e dado início a uma guerra civil que arrasou o país e produziu mais de 800 mil mortes e cerca de 2 milhões de refugiados.
Em abril de 1994, o presidente Juvenal Habyarimana, de etnia hutu, morreu em um acidente aéreo, desencadeando assim, a fase mais violenta e dramática daguerra civil ruandesa. As principais vitmas foram os tutsis, incluindo mulheres e crianças, mortas a facões, foices e pauladas.
Em 1995, nova investida da FPR (tutsi) tomou Kigali e apoiou a presidência de um hutu (Pasteur Bizimungu), que se opunha ao massacre no país e realizou uma política de reconciliação entre as duas etnias.
Em 2000, Paul Kagame tornou-se o primeiro tutsi a assumir a...
tracking img