Alfabeto braile

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4360 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução
Considerando que a deficiência visual é um assunto que faz parte da sociedade e pertence ao conjunto da população, optamos pela realização deste projeto para obtermos mais informações sobre o aprendizado das pessoas com deficiência visual, mais especificamente sobre o Alfabeto Braile.
Ele é definido como “Ler no Escuro”. Criado pelo francês Louis Braille, ele dedicou grande parteda sua vida ao estudo e aperfeiçoamento do método. O método Braille é representado por letras, vogais acentuadas, sinais de pontuação, sinais próprios, números, etc...
Justificamos a escolha deste assunto porque ele está cada vez mais presente na vida de muitas pessoas, e como estamos entrando em uma era de grandes tecnologias, isso vai estar cada vez mais presente nas escolas, redes ligadas aeducação e na sociedade em geral.
Temos como objetivos averiguar, e obter mais informações sobre a origem e a história do Alfabeto Braile, saber como e quando aconteceu a oficialização do Braille no mundo e seus períodos, descobrir quais e como os aparelhos são usados para a produção da escrita em Braille na atualidade, averiguar como surgiu a primeira impressão e o primeiro livro em Braille. Paraobtermos essas informações iremos realizar pesquisas em livros, revistas e em sites da internet. Além de entrevistar profissionais da área.









Origem no Mundo
Conforme dados da biblioteca Braile do Centro cultural de São Paulo. O Sistema Braille utilizado universalmente na leitura e na escrita por pessoas cegas, foi inventado na França por Louis Braille, um jovem cego, no ano de1825. Antes desse histórico invento, registram-se inúmeras tentativas em diferentes países, no sentido de se encontrarem meios que proporcionassem às pessoas cegas condições de ler e escrever. Dentre essas tentativas, destaca-se o processo de representação dos caracteres comuns com linhas em alto relevo, adaptado pelo francês Valentin Hauy, fundador da primeira escola para cegos no mundo, em1784, na cidade de Paris, denominado Instituto Real dos Jovens Cegos.
Foi nesta escola, que estudou Louis Braille. Onde os estudantes cegos tinham acesso apenas à leitura, através do processo de seu fundador. O ensino constituía em fazer os alunos repetirem as explicações e os textos ouvidos. Alguns livros escritos no sistema de Valentin Haüy, método oficial de leitura para cego da época, permitiamleitura suplementar. Esses poucos livros eram os únicos existentes. Até então, não havia recursos que permitissem à pessoa cega comunicar-se pela escrita individual.
As dificuldades enfrentadas por Louis Braille em seus estudos o levaram desde cedo, a preocupar-se com a possibilidade de criação de um sistema de escrita para cego. Para isso, ele contou com a ajuda de outras pessoas como CharlesBarbier de La Serre, oficial do exército francês criador de um sistema de sinais em relevo denominado sonografia ou código militar. O invento tinha como objetivo possibilitar a comunicação noturna entre oficiais nas campanhas de guerra.
Barbier pensou na possibilidade de seu processo, servir para a comunicação entre pessoas cegas, transformando-o num sistema de escrita com o nome de "grafiasonora" apresentou na escola onde Louis Braille estudou e foi professor, para a experimentação entre as pessoas cegas do Instituto Real dos Jovens Cegos. O invento de Barbier não logrou êxito no que se propunha, inicialmente Louis Braille, jovem estudante, tomou conhecimento dessa invenção desenvolvida por Charles Barbier, que se baseava em doze sinais, compreendendo linhas e pontos salientes,representando sílabas na língua francesa.
Através deste sistema, qualquer frase podia ser escrita, mas como era um sistema fonético as palavras não podiam ser soletradas. Um grande número de sinais era usado para uma única palavra, o que tornava a decifração longa e difícil. Louis Braille rapidamente aprendeu a usar o sistema, que praticava sempre com um amigo, escrevendo como auxílio de uma régua...
tracking img