Alexandria

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1187 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
NADIA LEILA WELTER













ALEXANDRIA


Comentário crítico sobre o filme Alexandria, para fins de composição de nota da 1ª avaliação da disciplina de Metodologia Científica, do curso de Administração.


Docente:
Henrique Alexander Grassi Keske












NOVO HAMBURGO
20121 INTRODUÇÃO


O filme Ágora ou Alexandria, seu título no Brasil, do diretor espanhol Alejandro Amenábar, retrata a vida e morte de Hipátia, filósofa e matemática na cidade de Alexandria, no Egito, no século 4, bem como o domínio do cristianismo sobre as demais religiões e culturas daquela época. Apresenta também a destruição da Biblioteca de Alexandria, a maior da antiguidade,com suas obras únicas e de grande valor filosófico. Segundo Amenabar, seu filme pode ser interpretado como uma espécie de reflexão sobre os fundamentalismos religiosos de todos os tempos.


























2. DESENVOLVIMENTO


O filme Ágora, do diretor espanhol Alejandro Amenabar, passa-se em Alexandria, no Egito, no ano 391 d.C. e retrata ahistória da filósofa, astrônoma e matemática Hipátia. Seu pai, Theon é o diretor da Biblioteca de Alexandria e incentiva a filha em sua profissão de professora e na busca do conhecimento em domínios considerados exclusivamente masculinos. Entre seus alunos, Orestes que mais tarde se tornaria prefeito, é seu maior admirador, mas Hipátia sempre voltada aos seus estudos matemáticos e filosóficos jamaisaceita o casamento ou envolvimentos amorosos e imagina-se também alheia às questões religiosas e sociais de sua época.
O período histórico retratado pelo filme remete ao momento em que o cristianismo deixa de ser religião perseguida e passa a perseguir, e com seu número de fiéis crescendo consideravelmente, passa a enfrentar os judeus e a cultura greco-romana, tomando aos poucos aliderança da sociedade da época, através do líder cristão Cyril. Com os conflitos aumentando em número e violência, a Biblioteca de Alexandria, sediada junto a um templo pagão chamado de Serapeum, passa a ser alvo dos cristãos, que a destruíram juntamente com a maioria das obras ali guardadas.
Várias cenas deste filme são marcantes, entre elas quando Hipátia tenta desesperadamenteescolher quais livros salvaria da destruição e foge abraçada aos rolos de papiro que era o principal meio de escrita da época, enquanto uma multidão está prestes a invadir o Serapeum. O filme retrata com belas imagens diversas estantes repletas de rolos de papiro. Acredita-se que a Biblioteca chegou a ter cerca de 700 mil rolos de papiro, com obras inteiras e ou diversas partes de uma mesma obra,que eram exemplares únicos, e que se perderam para sempre.
Passados alguns anos, em 415 d.C., Hipátia está concentrada em suas hipóteses sobre a órbita do planeta e movimento dos astros. Para explicar os fenômenos, ela usa a teoria do astrônomo Ptolomeu, porém também não está inteiramente convencida desta. O filme retrata muito bem esta mudança nas crenças de Hipátia, que muda aorientação de suas pesquisas para possibilitar novas respostas. Suas pesquisas são constantemente acompanhadas por Sinésio, seu aluno e também filósofo. Porém, paralelamente ao mundo científico em que vive e se concentra, as pressões sociais e religiosas a forçavam a aderir à fé cristã com sua visão e dogmas imutáveis, mas o caráter questionador e investigativo de Hipátia a impede de tomar talpostura. Cyril, líder cristão que se tornara bispo de Alexandria, encontra na ligação entre Hipátia e Orestes, ex-aluno agora prefeito e sempre leal admirador de Hypátia, o ponto frágil do poder romano. Sendo assim, obriga Orestes a se tornar cristão e inicia uma perseguição a Hypátia, a quem acusa de ateísmo e bruxarias, e em uma tarde de março de 415 d.C., quando andava desacompanhada pelas ruas de...
tracking img