Resumo Alegoria Do Patrimonio artigos e trabalhos de pesquisa

  • A Alegoria Da Caverna De Plat O

    A ALEGORIA DA CAVERNA DE PLATÃO VALQUÍRIA DAS NEVES TEIXEIRA COSTA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI Sócrates entende a Filosofia como a busca da sabedoria e, também, como um modo de viver e não só de saber. Em O Banquete a filosofia consiste em desejar a verdade e procurar realizar este desejo. Para Platão, a Filosofia é o encontro da sabedoria, tornando-se a filosofia uma verdade encontrada e conhecida. Em A República a filosofia é a realização...

    921  Palavras | 4  Páginas

  • Resumo do capítulo v – a invenção do patrimônio urbano

    Resumo do capítulo V – A Invenção do Patrimônio Urbano No livro “Alegoria do Patrimônio”, no capítulo A Invenção do Patrimônio Urbano, François Choay esclarece que na França, a maioria dos que defendiam a preservação do patrimônio histórico também davam força para a modernização das cidades antigas e seu desenho urbano. As antigas construções desmoronavam para dar lugar a novas habitações dignas do homem. Tanto Haussman, assim como Gautier e para o grupo do povo francês da época, a cidade não existe...

    660  Palavras | 3  Páginas

  • Resumo 1º capítulo

    A ALEGORIA DO PATRIMÔNIO FRANÇOISE CHOAY EDITORA UNESP 15/11/2013 RESUMO INTRODUÇÃO: MONUMENTO E MOMUMENTO HISTÓRICO A palavra PATRIMÔNIO significa ORIGEM, neste caso a origem de uma sociedade. Esta origem é transmitida através de estruturas familiares, econômicas e políticas, que são regidas por leis passadas de pais e mães para filhos. Já o PATRIMÔNIO HISTÓRICO, é um bem destinado a usufruto de uma comunidade, para simbolizar seu passado em comum em determinado local, o PATRIMONIO HISTORICO...

    711  Palavras | 3  Páginas

  • Quincas Borba - Resumo

     NORBERTO DANIEL FIGUR - RA 1068744 RESUMO E ANÁLISE DO LIVRO QUINCAS BORBA Centro Universitário Claretiano Curso: Licenciatura em Letras Disciplina: AACC Professor: Alysson Martins Andrade POLO: PALMAS ANO: 2012 Resumo, análise e comentário sobre o romance de Machado de Assis. QUINCAS BORBA Trabalho apresentado à Disciplina Atividades Acadêmicas Cientifico-Culturais, referente ao 2° ano do Curso...

    2165  Palavras | 9  Páginas

  • Patrimônio Histórico de Arcos e a mídia impressa

    ARTIGO: Patrimônio Histórico de Arcos e a mídia impressa AUTORA: MACHADO, Barbara Faleiro – barbara.faleiro@gmail.com TÍTULAÇÃO: Jornalista graduada bacharel pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC Minas – Campus Arcos – em 07 de julho de 2006 GRUPO TEMÁTICO: Comunicações Científicas Resumo Este artigo Patrimônio Histórico de Arcos e a mídia impressa é baseado na Monografia intitulada A representação do Patrimônio Histórico de Arcos na mídia local: uma análise do...

    5078  Palavras | 21  Páginas

  • BREVE ANÁLISE DE PATRIMÔNIO CULTURAL NO LITORAL SUL DA BAHIA

    BREVE ANÁLISE DE PATRIMÔNIO CULTURAL NO LITORAL SUL DA BAHIA Resumo: O Presente artigo pretende desenvolver o tema Patrimônio Cultural relacionando a região do Litoral Sul da Bahia com seus exemplos para destacar a legislação e reflexões pela necessidade da preservação e constituição de uma memória, alem de instrumentos para manutenção desses patrimônios como a restauração e o tombamento. Palavras-chaves: Patrimônio Cultural; Litoral Sul da Bahia; Preservação; Legislação. O conceito...

    1867  Palavras | 8  Páginas

  • Resumo niveis conhecimento

    do conhecer, procura compreender a razão de ser das coisas, aquilo que essencialmente a caracteriza e a define. RESUMO O conhecimento baseado nas práticas diárias, nos resultados alcançados e nas consequências de certas ações é produzido pelo homem, desde o início de sua existência. Diante disso, tais ensinamentos eram transmitidos pela sociedade ao longo das...

    752  Palavras | 4  Páginas

  • Preservação patrimonio cultural

    A PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL E SUA TRAJETÓRIA NO BRASIL Paulo Cesar Tomaz∗ Universidade Presbiteriana Mackenzie paulocesartomaz@gmail.com RESUMO: O presente artigo tem como objetivo discorrer sobre a preservação do patrimônio cultural, bem como refletir sobre sua trajetória de preservação em âmbito nacional. O estudo do patrimônio cultural promove a valorização e a consagração daquilo que é comum a determinado grupo social no tempo e no espaço, visto o mesmo possuir significações relevantes...

    4668  Palavras | 19  Páginas

  • Trabalho sobre o livro Alegoria do patrimonio

    ALEGORIA DO PATRIMÔNIO - RESENHA Uma das pedras de toque do turismo cultural é, sem dúvida, a visitação a monumentos históricos e artísticos, geralmente agrupados no que se convencionou definir, no Brasil, como Patrimônio Histórico. E um grande problema nesta área no Brasil, nos últimos anos, tem sido a gestão, associada à preservação, de bens patrimoniais utilizados como atrativos turísticos. Em muitos casos, no afã de gerar renda, agregar valor a um determinado roteiro e, de alguma forma,...

    715  Palavras | 3  Páginas

  • resenha “A alegoria do patrimônio”

    O Patrimônio e restauro Arquitetônicos “A alegoria do patrimônio” O patrimônio histórico na era da indústria cultural UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL ARQUITETURA E URBANISMO SÃO PAULO, MAIO DE 2013 O Patrimônio Histórico na era Industrial Cultural O monumento e a cidade histórica é a marca da passagem do tempo pelas sociedades, e evidencia a relação do ser humano com o meio ambiente. Segundo Choay, “as antiguidades funcionam como um espelho. Espelho que cria um efeito...

    1673  Palavras | 7  Páginas

  • Resenha: "françoise choay, a alegoria do patrimônio." capítulo vi.

    Resenha: "Françoise Choay, A Alegoria do Patrimônio." Capítulo VI. |   | A Alegoria do Patrimônio, de Françoise Choay, é um marco na literatura que ordena, periodiza, aborda criticamente as ideias sobre a preservação e o restauro, codificando saberes e, identificando o patrimônio cultural, nascido das Revoluções Industrial e Francesa, embalado pelos valores do Romantismo. Processo e conceitos históricos, dos quais o turismo não está alheio, ou antes, nos quais está intimamente ligado...

    614  Palavras | 3  Páginas

  • Resenha Alegoria do Patrimônio

    Crítica: "Françoise Choay, A Alegoria do Patrimônio." Tradução: Teresa Castro, Lisboa: Edições 70, Julho de 2000. Não há hoje quem não tenha ouvido falar sobre patrimônio. Patrimônio cultural, bem entendido, pois, a denominação adquiriu múltiplos significados, dependente do adjetivo que a qualifica. Poderíamos por exemplo, entre inúmeras possibilidades, falar de patrimônio genético de seres vivos... Pois bem, ainda que admitindo seja o nome corrente e que o patrimônio cultural se tenha convertido...

    3644  Palavras | 15  Páginas

  • A Retórica da Perda: os discursos do patrimônio cultural no Brasil

    Fichamento do livro GONÇALVES, José Reginaldo Santos. A Retórica da Perda: os discursos do patrimônio cultural no Brasil. Rio de Janeiro: Editora UFRJ; IPHAN, 1996. O livro traz uma leitura crítica às estruturas narrativas que concebem os patrimônios nacionais, em especial o caso Brasileiro. Utilizando-se da ideologia da perda, os historiadores “criam” o patrimônios nacionais, num processo que também pode ser entendido como contraditório, porque a perda também ocorre através de seus discursos...

    3561  Palavras | 15  Páginas

  • Patrimônio mundial

    1 A Unesco e os patrimônios da humanidade: valoração no contexto das relações internacionais Simone Scifoni1 Resumo Em 1977 a Unesco estabeleceu os critérios para o reconhecimento de bens e áreas como patrimônio da humanidade. Estes critérios fundamentavam-se, principalmente, em experiências ocidentais de preservação, tendo em vista que a gênese da proteção institucional do patrimônio deu-se na França. Baseavam-se em valores como a monumentalidade e a excepcionalidade para os bens naturais e a autenticidade...

    6043  Palavras | 25  Páginas

  • Turismo e patrimônio cultural

    A IMPORTÂNCIA DO TURISMO PARA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO DO CENTRO URBANO DE BELÉM. ESTUDO DE CASO IGREJA DE SANTO ALEXANDRE. ROBERTA ARIHEL DA SILVA E SILVA Universidade da Amazônia – rarihel@hotmail.com RESUMO O presente artigo procura tecer relação entre a preservação do patrimônio histórico cultural com as ações do turismo no centro urbano da cidade de Belém, bem como das importâncias de ações do turismo para a conservação da memória da população e recuperação do orgulho dos...

    5148  Palavras | 21  Páginas

  • Alegoria da Caverna

    de Ciências e Tecnologias Filosofia ALEGORIA DA CAVERNA DE PLATÃO Professora Maria Mendonça Novembro 2013 INTRODUÇÃO O tema escolhido pela professora Maria Mendonça foi a alegoria da caverna de Platão. Platão foi um filósofo e matemático do período clássico da Grécia Antiga, autor de diversos diálogos filosóficos e fundador da Academia em Atenas. Durante o trabalho iremos mostrar o tema e o problema da alegoria e a tese do filósofo. ...

    672  Palavras | 3  Páginas

  • POLÊMICAS ACERCA DA PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL

     POLÊMICAS ACERCA DA PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL1 Roberta Cunha Martins & Ricardo Stanziola Vieira2 Resumo Este artigo evidencia o estudo dos institutos que protegem o patrimônio cultural na atual conjuntura do mundo jurídico, pretendendo analisar as limitações destes instrumentos. Busca-se, apresentar os conceitos de patrimônio cultural apresentados ao longo da história geral, bem como a evolução deste conceito na esfera jurídica, passando por todas as Constituições...

    7032  Palavras | 29  Páginas

  • PATRIMÔNIO CULTURAL: PERSPECTIVAS HISTÓRICAS E A IMATERIALIDADE PRESENTE NA FESTA DE SÃO BENEDITO /POÇOS DE CALDAS-MG

    PATRIMÔNIO CULTURAL: PERSPECTIVAS HISTÓRICAS E A IMATERIALIDADE PRESENTE NA FESTA DE SÃO BENEDITO /POÇOS DE CALDAS-MG ANUNCIAÇÃO, Ana Paula 1 Resumo O presente trabalho estabelece brevemente como a noção de Patrimônio foi construída ao longo da história, contemplando as mudanças, permanências e ampliações do conceito. Em alguns momentos foram expostos os modos como os bens materiais eram vistos, e o momento histórico em que passaram a ser alvos de proteção e de reconhecimento, considerando...

    5477  Palavras | 22  Páginas

  • Alegoria da caverna

    Escola E.B.2,3/S de Baião A ALEGORIA DA CAVERNA Baião Novembro de 2011 ÍNDICE INTRODUÇÃO 4 RESUMO DA ALEGORIA DA CAVERNA 5 INTERPRETAÇÃO DA ALEGORIA DA CAVERNA 6 REFLEXÃO SOBRE A ALEGORIA DA CAVERNA 7 OS DOIS MUNDOS DE PLATÃO 8 CONCLUSÃO 9 BIBLIOGRAFIA 10 INTRODUÇÃO A alegoria da Caverna é seguramente o texto mais conhecido de Platão e um dos mais comentados em toda a história da Filosofia, o que releva a enorme riqueza das questões que coloca. Este facto ensina-nos...

    1139  Palavras | 5  Páginas

  • ALEGORIA DO PATRIMONIO

    COSTA DO NASCIMENTO QUESTIONÁRIO 01 Questões para discussão sobre o livro “Alegoria do Patrimônio” de Françoise Choay (Introdução e Capítulo I). Manaus 2014 1.0 Analisar a citação de Choay contida no livro “Alegoria do Patrimônio”. a) Em pelo menos uma lauda discorra sobre os três aspectos do conflito que Choay revela no contexto contemporâneo em relação à proteção do Patrimônio Histórico. Discuta o confronto entre os que condenam e os que exigem a preservação...

    1328  Palavras | 6  Páginas

  • alegoria do patrimonio

    CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. Tradução de Luciano Vieira Machado. São Paulo: Estação Liberdade/Ed.UNESP, 2001. Introdução: Monumento e Monumento Histórico Inicialmente Choay trata do “novo conceito” da palavra patrimônio (antes “ligado às estruturas familiares, econômicas e jurídicas de uma sociedade estável, enraizado no espaço e no tempo”); que foi “requalificada por diversos adjetivos” (Choay, p. 11). “A expressão designa um bem estimado ao usufruto de uma comunidade que...

    1312  Palavras | 6  Páginas

  • A alegoria do patrimônio

    Françoise Choay é uma arquiteta francesa, autora do livro A Alegoria do Patrimônio. Aqui ela busca mapear o despontar da política patrimonial na França e a criação do patrimônio histórico, definindo sua noção e uso do Quattrocento até a fase de consagração. A autora começa por discutir a mudança no conceito da palavra patrimônio (antes “ligado às estruturas familiares, econômicas e jurídicas de uma sociedade estável, enraizado no espaço e no tempo”); que foi “requalificada por diversos adjetivos”...

    615  Palavras | 3  Páginas

  • MISSÕES: AS REPRESENTAÇÕES DE UM PASSADO ATRAVÉS DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO

    FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA CURSO DE HISTÓRIA MISSÕES: AS REPRESENTAÇÕES DE UM PASSADO ATRAVÉS DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO JOICE SCHEILA CALONI Taquara 2010 JOICE SCHEILA CALONI MISSÕES: AS REPRESENTAÇÕES DE UM PASSADO ATRAVÉS DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO Trabalho de Conclusão apresentado ao Curso de História das Faculdades Integradas de Taquara, como requisito parcial para obtenção do grau de Licenciada em História, sob orientação da Profª....

    23114  Palavras | 93  Páginas

  • Alegoria da caverna - platão

    Alegoria da caverna - Platão Platão, na República, descreve um grupo de homens acorrentados desde a infância, prisioneiros no fundo de uma caverna, ligados e contemplando num muro a sua frente as sombras de objetos projetados por um fogo aceso atrás deles; um dos prisioneiros consegue libertar-se e caminha para sair da caverna, subindo por uma escada escavada nas paredes da caverna; fora da caverna, o prisioneiro olha as imagens ou reflexos das coisas na água, depois as coisas e, finalmente, o...

    1781  Palavras | 8  Páginas

  • A ampliação das ações de preservação do patrimônio histórico: do monumento isolado à paisagem cultural

    A AMPLIAÇÃO DAS AÇÕES DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO: DO MONUMENTO ISOLADO À PAISAGEM CULTURAL Andressa da Silveira Morelato andressamorelato@hotmail.com Universidade Federal do Espírito Santo Este artigo tem como objetivo discutir a ampliação das ações de preservação, uma vez que, anteriormente, o patrimônio era protegido como um bem isolado e, com as necessidades surgidas, as ações ampliaram-se, passando para a preservação do conjunto, até chegar a paisagem cultural, que, além de...

    6821  Palavras | 28  Páginas

  • Patrimônio histórico: estudando a memória do coletivo

    1- Conceito Patrimonial: Uma Reflexão Para Reginaldo Santos (1996), os processos de entendimentos sobre a concepção de patrimônio não são somente um reflexo das ações somadas de diversos agentes no processo de transformação de idéias, e sim o resultado de invenções discursivas previamente formuladas e com o propósito de formar uma consciência histórico-cultural definida. Tomando a diferenciação de Riegl, ressalta Choay que a diferença fundamental entre o monumento e o monumento histórico é que...

    1093  Palavras | 5  Páginas

  • Porque preservar o patrimônio histórico e cultural?

    de Rondônia – UNIRON Por que Preservar o Patrimônio Histórico e Cultural Curso de Arquitetura e Urbanismo Disciplina: Técnicas Retrospectivas, Restauração e Patrimônio Histórico I Docente: Giovani Barcelos Discente: Carina Giovana Cipriano Carvalho Turma: 8º Período Turno: Noturno Porto Velho - RO, 25 de Setembro de 2012. Por que Preservar o Patrimônio Histórico e Cultural? Discute-se muito hoje a necessidade de preservação do Patrimônio Cultural, valorização do passado e memória...

    1087  Palavras | 5  Páginas

  • Alegorias

    ALEGORIA E SEGREDO I O traçado da interpretação – da Antiguidade à Idade Média “Dizem que Deus escreve direito por linhas tortas, e eu diria que essas são precisamente as que ele prefere, em primeiro lugar, para mostrar seu virtuosismo, a divina habilidade prestidigitante, e, em segundo lugar, porque não há outras. Todas as linhas humanas são tortas, tudo é labirinto. Mas a linha recta, mais do que aspiração, é uma possibilidade. O próprio labirinto contém a linha recta, quebrada, sim, interrompida...

    2871  Palavras | 12  Páginas

  • Alegoria da caverna resumo

    Alegoria da caverna – Alma e Corpo (Conhecimento Platônico) Três pessoas foram aprisionadas em tal forma que eles olhavam apenas uma parede, que a luz do sol batia e mostrava só as sobras de quem passava atrás deles, o lado de fora da caverna. Para eles o mundo real são as sombras, só que as sombras não são reais, mas eles não sabiam que o que era o mundo real de verdade. Segundo Platão, as pessoas dentro da caverna representam a humanidade, todos os Homens, e a caverna é o mundo em que vivemos...

    1075  Palavras | 5  Páginas

  • Resumo: A alegoria da Caverna - Platão

     PESQUISA ACADÊMICA Em “A Republica de Platão” - livro VII, elaborar resumo de uma lauda sobre a “Alegoria da caverna”. A Alegoria da caverna narra uma metáfora contada por Sócrates a Glauco, na qual prisioneiros vivem acorrentados desde a infância pelos pés e cabeças em uma caverna, sendo obrigados a olhar sempre para uma parede a sua frente. Por de trás desses prisioneiros há uma abertura, onde entra a luz do sol e a claridade de uma fogueira. Entre os prisioneiros e as luzes que penetram...

    541  Palavras | 3  Páginas

  • Le goff e Certau e o patrimonio cultural

    goff como Certau realizam estudos sobre o que é um patrimônio cultural e seu entendimento real sobre o que é isso em estudos históricos. Le Goff em sua obra trata principalmente a idéia de patrimônio no caso do documento e monumento especificando bem cada termo e mostrando como a idéia de documento chegou a ser entendida como um monumento mas se teve um retrocesso sobre isso, em virtude de varias criticas, Le Goff vem tratar como um patrimônio o monumento onde se encaixa a idéia daquilo que é...

    713  Palavras | 3  Páginas

  • Monumento e Monumento Histórico

     Francisco Felipe Naki Mangueira Resumo do Texto “Monumento e Monumento Histórico”, “A Alegoria do Patrimônio”.(CHOAY, Françoise), (Págs.11 à 29). Nesse texto a autora começa primeiramente definindo sobre a expressão Patrimônio Histórico, que designa ao uso comum aquele que se relaciona diretamente com a vida de todos. Na França criou-se a primeira Comissão dos Monumentos Históricos, mas oque seriam esses tais “monumentos históricos”? Seriam edifícios individuais, aglomerados, casas, bairros...

    838  Palavras | 4  Páginas

  • Alegoria da Caverna

    Resumo de Filosofia Alegoria da Caverna 1- Quem foi o autor da “alegoria da caverna”? Platão 2- Que simboliza a luz? A luz simboliza o conhecimento, sageza, a verdadeira realidade e a sabedoria. 3- Que simboliza a escuridão? A escuridão simboliza a falta de conhecimento, ignorância e a aparência. 4- Qual o significado dos prisioneiros? Os prisioneiros significam sempre o pseudo (falso) conhecimento, os preconceitos, ou as falsas crenças. É alguém a quem está habituado a ver uma...

    545  Palavras | 3  Páginas

  • CONCEITO DE PERFORMANCE E O TEATRO GREGO: ALEGORIA E SENTIDO DA REPRESENTAÇÃO

    CONCEITO DE PERFORMANCE E O TEATRO GREGO: ALEGORIA E SENTIDO DA REPRESENTAÇÃO Acadêmico: Ruann Karllos Oliveira1 Orientadora: Laysmara Carneiro Edoardo2 RESUMO: Este artigo formula algumas hipóteses para se analisar os aspectos performáticos e teatrais utilizados por intérpretes gregos e as suas questões significativas para a transmissão do sentido de suas apresentações, onde são utilizadas as construções simbólicas de alegoria corporal. Uma destas hipóteses é a influência que se obteve através...

    3947  Palavras | 16  Páginas

  • Resumo e análise da obra : "Sermão de Santo António aos Peixes" do Padre António Vieira

    PORTUGUÊS “SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS PEIXES” RESUMO E ANÁLISE DA OBRA DISCURSO POLÍTICO É um texto no qual se defende uma tese com base em argumentos devidamente exemplificados. ESTRUTURA: Introdução – Tese. Desenvolvimento – Argumentos positivos; Argumentos negativos ou contra-argumentos, falácias (no caso dos argumentos inválidos); Conclusão – Síntese dos argumentos. “Sermão de Santo António aos Peixes”, Padre António Vieira Esta obra foi proferida na cidade...

    2481  Palavras | 10  Páginas

  • Resumo do Capítulo I (Iconologia e Iconografia) de Panofsky

    ................................................................................................!3! 1.1!BIOGRAFIA!............................ 2.!RESUMO!DO!CAPITULO!I!–!“ICONOGRAFIA!E!ICONOLOGIA:!UMA!INTRODUÇÃO!AO!ESTUDO!DA! ARTE!DO! RENASCIMENTO ”! ..........................................................................................................! ! . 5 3.!CONCLUSÃO!.....................

    2517  Palavras | 11  Páginas

  • Fichamento do livro alegorias do patrimônio- cap iii

    Fichamento 1 CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. Tradução de Luciano Vieira Machado. São Paulo: Estação Liberdade/Ed.UNESP, 2001. Capítulo III: A Revolução Francesa 1.1 - Na Revolução Francesa verificou-se uma relevante transformação em relação à conservação do monumento histórico. - A conservação que preservava a representação dos objetos (iconográfica abstrata) observada nos antiquários, que tinha Aubin-Louis Millin como o idealizador, cedia lugar a uma conservação real...

    1444  Palavras | 6  Páginas

  • alegoria do patrimonio

    UNIVERSIDADE SALVADOR TÉCNICAS RETROSPECTIVAS FICHAMENTO 01 MARCELA BAHIA SALVADOR 2014 FICHAMENTO CAPITULO I DO LIVRO “A ALEGORIA DO PATRIMÔNIO” FRANCOISE CHOAY OS HUMANISMOS E MONUMENTO ANTIGO O primeiro capítulo do livro entra desde a Antiguidade Clássica, até o Renascimento, explicando e exemplificando o nascimento do monumento...

    1057  Palavras | 5  Páginas

  • Resumo de um capitulo do livro significado nas artes visuais

    ARTES UNIVERSIDADE DE LISBOA LICENCIATURA EM ESCULTURA [pic] 2010 INDICE INTRODUÇÃO 1. Biografia de Erwin Panofsky 1.1. Principais obras do autor 2. Introdução ao capítulo I do livro O Significado nas Artes Visuais RESUMO Iconografia e iconologia: uma introdução ao estudo da arte do renascimento 1. I 2. II CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA Iconografia – descrição das imagens, quadros, bustos e pinturas antigas e moderna; conjunto de imagens a respeito de um...

    5768  Palavras | 24  Páginas

  • CHOAY, Françoise. A Revolução Francesa. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Estação Liberdade/UNESP, 2001, p.95-123.

    CHOAY, Françoise. A Revolução Francesa. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Estação Liberdade/UNESP, 2001, p.95-123. Capítulo III - A REVOLUÇÃO FRANCESA - A Revolução Francesa desencadeou uma série de danificações de igrejas, que foram incendiadas, de estátuas que foram destroçadas, de castelos que foram saqueados, etc. essas ações foram denominadas “vandalismo” pelo abade Gregoire e desde então “o pesado balanço das destruições da revolução foi feito, e a historiografia de sua abordagem historiográfica...

    1187  Palavras | 5  Páginas

  • Resumo – “República” de Platão – Livro VII

    Resumo – “República” de Platão – Livro VII jul9r Paulo Abe             O livro VII começa puxando o assunto da educação dos filósofos e o tema da luz do livro VI, onde se esboçou também uma idéia que se concretiza neste instante sobre alegoria da caverna de Platão.             Pessoas moram presas numa caverna. Pela entrada, vem uma luz de uma fogueira. Todos os moradores estão lá desde a infância, ou seja, foram educados de uma mesma maneira desde então. Há um muro entre eles e o fogo e não...

    942  Palavras | 4  Páginas

  • Resumo a república platão livro vii

    perfeita, harmônica, simbiótica. Para isso lança mão da alegoria da caverna, que põe em xeque um par de distinções muito ligado à natureza da alma do ser humano: é o par essência e aparência, representados, respectivamente, pelo mundo inteligível e pelo mundo sensível. Platão utiliza, para desenvolver a dicotomia aparência/ideias, dois mecanismos bastante peculiares e acessórios ao desenvolvimento retórico-filosófico, a saber: a dialética e a alegoria, cuja conceituação se dará a seguir. A dialética é...

    1468  Palavras | 6  Páginas

  • Resumo do Livro VII de A Repúlica - PLATÃO

    Resumo do Livro VII de A República – Platão O Livro VII se inicia já com tão conhecida descrição feita por Sócrates do “Mito da Caverna”. Pessoas, desde a infância, moram em uma caverna, incapazes de mexer as pernas e os pescoços. A luz que chega à caverna vem por detrás desses homens e é reproduzida por uma fogueira. Há um muro entre eles e o fogo. Atrás deste muro, caminham outros homens que transportam estátuas de todos os tipos, uns falando e outros seguindo em silêncio - desta forma, os...

    843  Palavras | 4  Páginas

  • Os ornamentos dos casarões de jaguarão

    DOS CASARÕES DE JAGUARÃO: Uma contribuição para um roteiro turístico. Leila Menezes Carvalho 1 Alice Gorete Tebacker Berrutti2 Renize Araujo³ Resumo: Jaguarão está localizada no extremo sul do Rio Grande do Sul na fronteira com Rio Branco no país vizinho Uruguai, com uma população de 27.931 hab. segundo dados do IBGE 2010, a cidade foi tombada como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN - em maio de 2011, com o maior numero de exemplares de imóveis do estado. São mais de 800 edificações...

    2577  Palavras | 11  Páginas

  • O patrimônio cultural edificado e sua gestão

    O patrimônio cultural edificado e sua gestão A preservação e conservação do patrimônio histórico na cidade moderna Patricia Trentin Vitruvius 012.05ano 06, ago 2005 No conjunto de bens culturais produzidos pela humanidade, a arquitetura constitui um testemunho excepcional na formação da memória histórica dos povos e, na formação da identidade. Ela é um testemunho sedimentado e acumulado dos modos de vida do homem, não só daqueles que a conceberam na origem, mas também dos que ali viveram através...

    1077  Palavras | 5  Páginas

  • FICHAMENTO Livro: Alegoria do Patrimônio (Françoise Choay) – Introdução: Monumento e Monumento Histórico

    FICHAMENTO Livro: Alegoria do Patrimônio (Françoise Choay) – Introdução: Monumento e Monumento Histórico “Bem de herança que é transmitido, segundo as leis, dos pais e das mães aos filhos”, Dictionnarie de la langue français de É. Littré. (Definição de “patrimônio”; nota de rodapé, p. 11). Patrimônio histórico. A expressão designa um bem destinado ao usufruto de uma comunidade que se ampliou a dimensões planetárias, constituído pela acumulação contínua de uma diversidade de objetos...

    1284  Palavras | 6  Páginas

  • Resumo de Aulas PP UAM

    Resumos de aula – Estrutura de Roteiro Tipologia Textual Narração = ato de narrar acontecimentos reais ou fictícios. Relata mudanças progressivas de estado que ocorre através do tempo. Sempre tem relação de anterioridade e posterioridade. É dividido em: romance, novela, conto, crônica, fabula... Deve responder a questões: Quem? Quando? Como? Onde? Por quê? Exercício da imaginação explorando tempo passado. Elementos básicos: Fato Tempo Lugar Personagens Causa Modo Conseqüências Protagonista:...

    1158  Palavras | 5  Páginas

  • Resposta questionário a alegoria do patrimônio- restauro

    Questionário 01 ALEGORIA DO PATRIMÔNIO 1. a) O conflito abordado nessa passagem gira em torno de três aspectos, o primeiro deles seria os arquitetos, que almejam ser considerados artistas, pois não querem trabalhar fora da cidade ou ficar criando pastiches arquitetônicos, assim trabalhar no monumento histórico significaria deixar suas marcas na cidade e na eternidade como os artistas, pois quando se faz um restauro o nome do arquiteto fica marcado na obra,...

    2027  Palavras | 9  Páginas

  • "A formação das Almas" , resumo por capítulo.

    RESUMO POR CAPÍTULOS: Carvalho, José Murilo de, 1939. A formação das almas: O imaginário da República do Brasil / São Paulo: Companhia das Letras, 1990. UTOPIAS REPUBLICANAS Neste capítulo o autor trabalha alguns temas importantes para a formação desse imaginário social: As duas liberdades; A herança imperial; A opção republica; A cidadania e a estadania. Sobre as duas liberdades José Murilo de Carvalho identifica-as como a liberdade dos antigos que era aquela defendida e adotada...

    876  Palavras | 4  Páginas

  • O IPHAN, O PATRIMÔNIO E A EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

    AMAPÁ - CESPAP CNPJ: 07.285.139/0001-78 DIREÇÃO EXECUTIVA AMAPÁ Coordenação do Curso de Licenciatura Plena em História Disciplina: Educação Patrimonial – Prof.º: Doval Tomaz O IPHAN, O PATRIMÔNIO E A EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Sobre a instituição A criação do organismo federal de proteção ao patrimônio, ao final dos anos 30, foi confiada a intelectuais e artistas brasileiros ligados ao movimento modernista. Era o início do despertar de uma vontade que datava do século XVII em proteger os monumentos...

    15258  Palavras | 62  Páginas

  • Resumo sobre o idealismo

    Resumo sobre o “Idealismo” O idealismo foi uma corrente filosófica formulada por Platão. Em essência a corrente enfatiza a realidade das idéias, dos pensamentos, da mente. Desconsidera objetos materiais e forças. A maneira mais simples de entender o idealismo é analisar o raciocínio do pai desta teoria. Platão. A idéia desenvolvida por ele foi uma resposta à situação que a Grécia vivia. A política da época havia conduzido o país a diversas mudanças sociais e culturais. Tais mudanças trouxeram...

    922  Palavras | 4  Páginas

  • Resumo Livro VII de "A república" - Platão

    “República” de Platão – Livro VII O livro VII começa puxando o assunto da educação dos filósofos e o tema da luz do livro VI, onde se esboçou também uma idéia que se concretiza neste instante sobre alegoria da caverna de Platão. Pessoas moram presas numa caverna. Pela entrada, vem uma luz de uma fogueira. Todos os moradores estão lá desde a infância, ou seja, foram educados de uma mesma maneira desde então. Há um muro entre eles e o fogo e não conseguem olhar para trás...

    1007  Palavras | 5  Páginas

  • Patrimonio vivo

    O Patrimônio Vivo Se entende por Patrimônio Vivo Pernambucano, conforme a Lei criada para regulamentá-lo. A lei do Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco (RPV-PE), Lei nº 12.196, foi aprovada durante o governo de Jarbas Vasconcelos em maio de 2002. A já mencionada Lei é de autoria de Raul Henry, o então secretário de Educação e Cultura à época. De acordo com a referida Lei, o Estado, poderá registrar como Patrimônio Vivo Pernambucano pessoas físicas ou jurídicas que possuam conhecimentos...

    1766  Palavras | 8  Páginas

  • Resenha

    ALEGORIA DO PATRIMÔNIO – Françoise Choay Resumo/ interpretação: Ana Luisa Coelho Monumento= Construção executada para ser monumento (a priori); lembra, toca a emoção por uma memória viva: acontecimentos importantes, sacrifícios, ritos e crenças. Função antropológica. Com o passar do tempo, o ideal de memória é substituído por beleza. • Barthes= A fotografia é um monumento individual que permite a cada um a volta dos seus mortos. Monumento Histórico= Invenção ocidental, construído como...

    4579  Palavras | 19  Páginas

  • Patrimônio cultural: conceitos, políticas, instrumentos

    1.1. CASTRIOTA, Leonardo Barci. Patrimônio Cultural: conceitos, políticas, instrumentos. São Paulo, Annablume, 2009. O FIM DA TRADIÇÃO, A REINVENÇÃO DA TRADIÇÃO: NARRAR E CONSTRUIR NUM MUNDO EM TRANSFORMAÇÃO. TRADIÇÃO E MUDANÇAS CULTURAIS “ A antropologia reforça essa perspectiva ao apontar para o fato de que todos os sistemas culturais, mesmo aqueles tradicionais, estão em continuo processo de modificação. Não haveria, assim, uma cultura estática, e o próprio processo de transmissão incorporaria...

    1763  Palavras | 8  Páginas

  • RESUMO POR CONSTRUÇÃO DO TEXTO “SENSO COMUM, MITO E FILOSOFIA”

    Eduardo Amaral Silva RESUMO POR CONSTRUÇÃO DO TEXTO “SENSO COMUM, MITO E FILOSOFIA” Belo Horizonte 2014 RESUMO POR CONSTRUÇÃO DO TEXTO “SENSO COMUM, MITO E FILOSOFIA” Trabalho apresentado ao professor Marcelo José Caetano, disciplina Metodologia do trabalho científico Belo Horizonte 2014 RESUMO POR CONSTRUÇÃO DO TEXTO “SENSO COMUM...

    551  Palavras | 3  Páginas

  • Resumo do mito da caverna

    EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA E CIENCIAS SOCIAIS CAMPUS: XVII VIGIA DE NAZARÉ CURSO: LICENCIATURA PLENA EM GEOGRAFIA DISCENTE: MATEUS DE SOUSA FREITAS “O MITO DA CAVERNA” RESUMO VIGIA- PA DEZ – 2011 DISCIPLINA: FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO DOCENTE: MERYNILZA OLIVEIRA “O MITO DA CAVERNA” RESUMO ESTE RESUMO É UM REQUISITO PARCIAL DE AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA, FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ- UEPA. DOCENTE: MERYNILZA OLIVEIRA ...

    744  Palavras | 3  Páginas

  • Resumo de obra: Cidade

    Resumo Literário: Obra “Cidade” Introdução O projeto interdisciplinar, coordenado pelo prof. Antonio Mateus Soares, é em sua base ministrado por 5 etapas: formação dos grupos, fundamentação da pesquisa, incursão a Salvador (feira de São Joaquim), produção do banner e, por último, Apresentação dos seminários. Este documento consiste em sua 2° etapa, a fundamentação da pesquisa, cujo o produto final é este resumo literário...

    6431  Palavras | 26  Páginas

  • RESUMO CRÍTICO: LIVRO DE ELI

    CENTRO ECUMENICO SUPERIOR DO PIAUI UNIDADE ESCOLAR JOÃO CALADO POLO DE VALENÇA DO PIAUI DISCIPLINA : ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA PROFESSOR: RESUMO CRÍTICO LIVRO DE ELI VALENÇA DO PIAUÍ 2012 RESUMO Num futuro pós-apocalíptico, um cenário mostra a devastação da terra possivelmente causada por uma guerra nuclear. Onde não há estado...

    814  Palavras | 4  Páginas

  • Resumo do Livro "A república" de Platão

    right-304165Universidade Estadual da Bahia Docente: Valério Hillesheim Discente: Caique e Silva Andrade Curso: Direito – 1º Semestre Data de entrega: 22/10/2014 Resumos do Livro “A República” de Platão Resumo do Livro I No primeiro livro de sua obra, Platão nos apresenta e desenvolve o que para ele é o conceito de justiça. Ele aborda que a justiça não está vinculada sempre aos conceitos de sempre se falar a verdade e ao de devolver...

    5540  Palavras | 23  Páginas

tracking img