O filme- sindicato

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1614 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
O filme, Eles não usam black tié trata-se de uma peça de grande sucesso do saudoso Gianfrancesco, a qual foi adaptada ao cinema brasileiro, recebera vários títulos devido ao sucesso que alcançara não só no Brasil, como também no exterior. O filme tem como cenário a grande cidade de São Paulo dos anos 70, local que foi palco de grandes movimentos sociais.

O drama que envolve família, sindicato,e industria, traça um perfil vivo e emocionante do Brasil no processo de transição do regime ditatorial para o sistema capitalista, marcado pela incerteza, confusão e fanatismo, qualidades que sempre estão presente entre a decadência do antigo e estabelecimento do novo. As marcas dessa transformação podem ser percebidas nos processos de trabalho, hábitos de consumo, poderes e práticas do estado,as quais atendem a reprodução do sistema, segundo Harvey (1994) um sistema de acumulação só pode existir se o seu sistema de reprodução for uno e coerente. Dessa forma buscou-se moldar os comportamentos dos indivíduos (materialização do regime), na tentativa de garantir a unidade do processo.

Para que o sistema permanecesse viável, era necessário a fixação de preços e exercer suficientecontrole sobre o emprego da força de trabalho, este ultimo posicionamento é bastante evidenciado no filme, o espaço da fábrica era controlado a todo momento por vigias e polícias, os quais intervíam sempre que preciso, no intuito de manter a ordem caso esta fosse ameaçada. No entanto, o controle da força de trabalho estava também atrelado as ideologias que o sistema pregava. Instituições como a igreja, aescola e o estado buscavam reproduzir o modo de produção capitalista, despertando sentimentos sociais, como a ética do trabalho, lealdade aos companheiros e a busca de identidades através do trabalho. Era necessário forjar um tipo particular de trabalhador, o qual se adequasse ao novo tipo de sociedade democrata que emergia.

A fábrica simboliza em todas as dimensões o sistema capitalista, seuespaço é caracterizado pelas longas horas de trabalho rotinizado, pela obediência e disciplina do trabalhador, no entanto, o acumulo destes em fábricas de larga escala traz consigo a ameaça de uma organização trabalhista mais forte e aumento da sua classe operária. Nesse emaranhado de ligações e poder que constitui a sociedade capitalista, as relações de classe variavam muito de local para local,muitos direitos foram adquiridos através de lutas e mobilizações, o complexo ABC Paulista na cidade de São Paulo (local onde o filme fora retratado) foi palco dessa união de trabalhadores, que através de sindicatos se organizaram e tomaram consciência enquanto classe social, na busca de melhores condições de trabalho e direitos trabalhistas.

O capital corporativo, o trabalho organizado e oestado passam a ser protagonistas do novo sistema, o estado em especial assumiu vários posicionamentos, passando a financiar políticas fiscais como transportes, equipamentos públicos, gastos com seguridade social, assistência médica, educação e habitação, no intuito de controlar os ciclos econômicos do capitalismo e garantir a legitimidade do modo de produção. Entretanto, os gastos começaram a gerarum déficit na economia pública, nesse espaço de oscilações e crises, a abertura ao comércio internacional traz uma variedade de atividades e serviços, porém nem todos eram atingidos pelos benefícios do sistema, consequentemente, houveram várias críticas e práticas contra-culturais paralelas aos movimentos das minorias excluídas, agravando ainda mais o papel do estado.

Nesse espaço de oscilaçõese incertezas, começa a tomar forma o regime de acumulação flexível ( vejo com mais uma vertente do capitalismo), caracterizado pela flexibilidade dos processos de trabalho e dos mercados de trabalho, envolvendo rápidas mudanças dos padrões de desenvolvimento desigual e compressão espaço-tempo. Concomitantemente, afloram-se os individualismos em detrimento do poder sindical. O personagem Tião...
tracking img