O acesso a classe c aos bens de consumo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1061 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
| UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSOCAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA | |

Resíduos Sólidos de Saúde





Tangará da Serra, 2012.
| UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSOCAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA | |

Ana Carolina Salgado Silva
Bruna Ferreira
Jéssie Taline de Santana
Lívia Tatiana de Lima
Thais Renata RibeiroTrabalho apresentado a disciplina de Biossegurança sob orientação da professora Letícia F. de Aguiar como requisito parcial para obtenção do titulo de Bacharel em Enfermagem

Tangará da Serra, 2012.

1. Introdução

O presente trabalho tem como objetivo descrever as ações do manejo dos resíduos sólidos de saúde observando suas características, decomo é o manuseio destes resíduos nos estabelecimentos de saúde,esclarecer as duvidas quanto as responsabilidades referentes a este tão complexo assunto já que estes resíduos depositados de maneira incorreta afetam o meio ambiente com grande impacto ,também sobre a regulamentação do programa de gerenciamento de resíduos sólidos de saúde,abordando o objetivo do programa,onde é implementado e quempode gerenciá-lo.
Os resíduos são classificados conforme o seu grau de contaminação e risco a saúde publica e ao meio ambiente sendo eles: grupo A, grupo B, grupo C, grupo D, grupo E,
O manejo desses resíduos tem por finalidade focar os aspectos dentro e fora dos estabelecimentos certificando-se da geração ate a disposição final sendo assim isto inclui nove etapas que seguem a risca sua presenteordem,segregação, acondicionamento, identificação, transporte interno, armazenamento temporário, tratamento, armazenamento esterno, coleta e transporte externo e por fim disposição final.

2. DESENVOLVILMENTO

2.1 O QUE É RESÍDUOS SÓLIDOS DE SAÚDE?

São resíduos gerados por clinicas médicas,odontológicas,laboratorial, farmacêutica e instituições de pesquisa e ensino, sendo estes objetosque oferecem grande risco a população e ao meio ambiente onde pode causa infecções graves, pois na sua maioria são perfuro-cortantes, materiais biológicos contaminados, peças anatômicas, substancias tóxicas, inflamáveis e radioativas onde há necessidade de cuidados específicos de condicionamento,transporte, armazenamento, coleta, tratamento e disposição final.
Além de estes resíduos serem muitoprejudiciais a população e ao meio ambiente, são gerados em grandes quantidades, sendo que representam 20% dos lixos gerados no país todo; no final da década de 70 pelo ministério do interior foi publicada a portaria MINTER de nº 53 de 01 de março de 1979 que tem como objetivo orientar o controle de resíduos sólidos no país, sendo resíduos domésticos, industriais e de saúde gerados pelas diversasatividades humanas. Mas foi na década de 90 que estes resíduos de saúde ganham uma atenção maior e destaque onde foram estabelecidos normas e procedimentos de como descartar esses resíduos nos estados e municípios pela CONAMA. Resolução CONAMA Nº 005/1993 define resíduos sólidos como: “Resíduos nos estados sólido e semi-sólido que resultam de atividades de origem industrial,domestica,hospitalar,comercial,agrícola e de serviços de varrição. Ficam incluídos nesta definição os lodos provenientes de sistemas de tratamento de água aqueles gerados em equipamentos e instalações de controle de poluição, bem como determinados líquido cuja as particularidades tornem inviável seu lançamento na rede publica de esgotos, ou exijam para isso soluções técnica e economicamente inviáveis em face a melhortecnologia disponível.
Há determinados locais onde a produção de RSS são maiores com isto a pesquisas que compravam este índice.
[...] A pesquisa Nacional de Saneamento Básico (PNSB 2000), do IBGE, mostra que a maioria dos municípios brasileiros não utilizam um sistema apropriado para efetuar a coleta, o tratamento e a disposição final dos RSS. De um total de 5.507 município brasileiros...
tracking img