A arte de argumentar

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1694 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Síntese do livro:O livro “A arte de argumentar: Gerenciando Razão e Emoção”, de Antônio Suárez de Abreu, tem como principal objetivo auxiliar as pessoas a argumentarem corretamente, para terem maior sucesso tanto na vida profissional quanto na pessoal. Esse sucesso não depende apenas da formação e do conhecimento das pessoas, mas também da sua habilidade em se relacionar e decompreender e comunicar idéias, ou seja, de entender e principalmente de se fazer entendido.Fazemos isso gerenciando tanto as informações que queremos passar para aqueles que estão nos ouvindo quanto a nossa relação com os mesmos.Para gerenciar a informação, é importante que saibamos selecionar bem as mesmas, ou simplesmente transformar todas essas informações que recebemos em conhecimento. Para o autor,é muito importante variarmos as nossas fontes de informação. Aquele que restringe o seu ponto de vista apenas às informações que são apresentadas pela televisão, por exemplo,não estão realmente enxergando toda a situação. É preciso que se examinem todos os pontos de vista possíveis para que se tenha conhecimento verdadeiro acerca das informações.Saber gerenciar relações também é muito importante nomundo de hoje e no futuro que nos espera, tanto do ponto de vista pessoal quanto do ponto de vista profissional. Para isso, basta ver que vários dos diálogos que travamos hoje em dia é puro gerenciamento da relação. Quando dizemos bom dia, ou quando utilizamos formas de tratamento, estamos gerenciando a relação. E esse gerenciamento da relação está muito além dos diálogos verbais. Está até mesmona maneira que nos portamos, ou também no modo que nos aproximamos ou simplesmente como nos sentamos para conversar. Um exemplo usado pelo autor é o do redescobrimento da “távola redonda” por algumas concessionárias de automóveis na hora de vender os carros: vendedor e comprador se sentam em pequenas mesas redondas para discutir coisas relativas à compra, como as condições de pagamento, e com issohá uma maior aproximação entre vendedor e cliente, pois não há uma hierarquia entre aquele que fica atrás da mesa e aquele que pretende realizar a compra. Ou seja, se dá uma maior segurança àquele a quem devemos expor nossas idéias, e assim há uma maior aceitação dos nossos pontos de vista pelo mesmo.A idéia de estar diante de um poder assusta as pessoas. Elas podem acabar aceitando a idéia por“imposição”, mesmo que não tenha sido necessariamente imposta, ou se esquivado da mesma. Um ponto muito relevante levantado pelo autor é de que “NÓS ATURAMOS OS DÉSPOTAS QUE NÓS QUEREMOS ATURAR” (p. 21). Ou seja, o poder que uma pessoa tem sobre ela é o poder ao qual ela concedeu esse direito. A qualquer momento uma pessoa pode retirar um poder de cima de si mesma.Em seguida, o autor faz umadistinção entre argumentar, convencer e persuadir. Argumentar seria a arte de convencer e persuadir. Convencer,que etimologicamente significa vencer junto com o outro, é saber gerenciara informação. Persuadir, por outro lado, é gerenciar a relação, falar à emoção do outro. “ARGUMENTAR É, POIS, EM ÚLTIMA ANÁLISE, A ARTE DE,GERENCIANDO INFORMAÇÃO, CONVENCER O OUTRO DE ALGUMA COISA NO PLANO DAS IDÉIAS E DE,GERENCIANDO A RELAÇÃO, PERSUADI-LO, NO PLANO DAS EMOÇÕES, A FAZER ALGUMA COISA QUE NÓS DESEJAMOS QUE ELE FAÇA.”(p. 26)No capítulo seguinte Suárez começa fazendo um passeio histórico,falando sobre a Grécia antiga, sobre como eles valorizavam a retórica do discurso. A retórica se valia do uso de variados pontos de vista ou paradigmas, aplicados sobre objetos de seu estudo. A segunda parte destecapítulo versa sobre o senso comum, o paradoxo e o maravilhamento. O senso comum é o discurso mais significativo, presente em todas as classes sociais. Ele não é um discurso articulado, mas sim fragmentos de discursos articulados. Tem um grande poder para dar sentido à vida cotidiana, mesmo levando, muitas vezes, ao caminho do retrógrado e do maniqueísta. O paradoxo seria a técnica mais utilizada...
tracking img