Vegetarianismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4972 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Artigo Original

Perfil audiológico de pacientes com diabetes mellitus tipo II Audiologic profile of patients with diabetes mellitus type II
1 2 3

Juliana Mota Ferreira , Fernanda Mônica de Oliveira Sampaio , Joyce Monte Silva Coelho , 4 Nádia Maria Girão Saraiva de Almeida

RESUMO
Objetivo: Pacientes acometidos por Diabetes Mellitus (DM) do tipo II constituem uma população de risco paraalterações auditivas, uma vez que alterações metabólicas podem afetar tecidos nervosos e vasculares, que atingem diretamente os órgãos responsáveis pela audição. O presente estudo buscou investigar o perfil audiológico de pacientes com DM do tipo II. Métodos: Foi realizado um estudo descritivo, no qual foram avaliados 44 sujeitos (88 orelhas). A população selecionada encontrava-se na faixa etáriade 25 a 65 anos de idade. Todos os sujeitos realizaram avaliação audiológica, sendo submetidos a audiometria tonal liminar, audiometria vocal e imitância acústica. Resultados: A prevalência de pacientes com DM do tipo II foi maior no sexo feminino (77,3%). Trinta e um (70,4%) pacientes apresentavam DM tipo do II a um período inferior a 10 anos. Trinta e três orelhas (37,5%) apresentaram perdaauditiva neurossensorial de grau leve ou moderado, com predomínio em freqüências altas. Na imitância acústica, 71 orelhas (80,7%) apresentaram curva do tipo A, e 83 orelhas (94,3%) tiveram presença de reflexo estapediano. Conclusão: Observou-se a ocorrência de perda auditiva em pacientes portadores de DM do tipo II, conseqüentemente, a avaliação audiológica desses pacientes é importante para oacompanhamento das alterações auditivas. Descritores: Diabetes mellitus tipo 2/diagnóstico; Diabetes mellitus tipo 2/complicações; Glicemia; Perda auditiva/etiologia

INTRODUÇÃO O diabetes mellitus (DM) é uma alteração metabólica crônica caracterizada por hiperglicemia e alterações no metabolismo da gordura e proteína(1). É diagnosticada quando o corpo é incapaz de controlar efetivamente oprocessamento de açúcar (glicose) na corrente sanguínea, devido à deficiência de ação absoluta ou relativa da insulina(2). Na sua manifestação clínica completa, é caracterizada por alterações metabólicas, complicações vasculares e neuropáticas(3). A prevalência de diabetes vem crescendo nos últimos anos, o que está associado às mudanças no estilo de vida da população. Entretanto, muitos indivíduosdesconhecem ser portadores de diabetes, convivendo anos com hiperglicemia, aumentando o risco de complicações vasculares, renais, carTrabalho realizado na Universidade de Fortaleza – UNIFOR e no Núcleo de Atenção Médica Integrada – NAMI – Fortaleza (CE), Brasil. (1) Pós-graduanda em Audiologia pela Universidade Federal do Ceará – UFC – Fortaleza (CE), Brasil. (2) Mestre, Professora do Curso deFonoaudiologia da Universidade de Fortaleza – UNIFOR – Fortaleza (CE), Brasil. (3) Mestre, Professora do Curso de Fonoaudiologia da Universidade de Fortaleza –UNIFOR – Fortaleza (CE), Brasil. (4) Doutora, Docente da Escola de Saúde Pública do Ceará – ESP – Fortaleza (CE), Brasil. Endereço para correspondência: Juliana Mota Ferreira. R. Joaquim Albano, 76, Padre Andrade, Fortaleza – CE, CEP 60356-340. E-mail:julianamf04@yahoo.com.br Recebido em: 9/3/2007; Aceito em: 12/11/2007 Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2007;12(4):292-7

díacas, neurológicas, oftalmológicas e infecciosas(4). No Brasil, estima-se que existam cinco milhões de indivíduos diabéticos, dos quais metade desconhece o diagnóstico(3,5). Um levantamento realizado na cidade de Fortaleza, pela Associação Nacional de Diabéticos, revelou prevalênciado diabetes mellitus na população de 30 a 69 anos de 6,48%(6). Dos pacientes diabéticos, 5 a 10% não produzem insulina, condição classificada como DM do tipo I. A maioria das pessoas com o distúrbio tem DM do tipo II, caracterizado por um estado de resistência periférica à ação da insulina associada à secreção de insulina deficiente. Esses indivíduos ainda apresentam alguma insulina endógena,...
tracking img