Trabalho de filosofia do direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1116 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
QUESTÃO 1
Para justificar a redução deve-se usar com a equivalência, ou seja, as frases "A D " "F G" tem o mesmo termo do sujeito, termo do predicado e são particulares e afirmativas. Portanto poderão ser reduzidas a um só termo, a mesma coisa acontece com "B C" "E H" que também podem ser reduzidas como particulares negativas. Já as "A D" "F G" não podem ser reduzidas a "B C" "E H", pois sãocontrárias, e não pode existir predicado contrário na mesma frase, contudo pode existir o complemento.

QUESTÃO 2
A lógica fundamenta a dúvida e essa fundamentação é a base para nossas escolhas, assim, a mera possibilidade de escolha já se mostra como dúvida. A simples faculdade já é um valor, porém se escolhermos um valor ainda não eliminamos o contraditório, pois se o fazemos estamos sendoarbitrários.
A dúvida é a verdade do justo e injusto, destarte a lógica, ao fundamentar a dúvida estabelece que em tudo que dizemos o contrário está presente, pois o conflito nasce quando fundamentamos um valor e negamos o contraditório, pois alguém que admita o contrário poderá nos contradizer.
Contudo, em algum momento algo que se faz justo, necessariamente não o será em outro momento. Quandoolhamos para a história construída através dos séculos, a longa caminhada percorrida pela humanidade por meio de seus ensinamentos e conquistas.
São os valores culturais que abrangem um significativo papel dentro de uma determinada região e levam consigo as fortes raízes de seus antepassados.
Os valores, por se dizerem culturais, mostram-se presentes hodiernamente, e esses vieram se modificandoatravés dos tempos, pois por muitos séculos, quando uma pessoa roubava ou furtava, mesmo algo ínfimo, pagaria com partes do seu próprio corpo como forma de punição. Sabe-se que hoje, no Brasil, isso não é mais possível e viável, uma vez que temos inúmeras leis que protegem a dignidade da pessoa humana.
Porém se uma pessoa, por necessidade furta ou rouba deverá está ser condenada? E o Estado que deveriapromover a dignidade e suprimir as necessidades das pessoas?
Assim, podemos dizer que é justo restituir aquilo que tomamos, porém não será justo restituir quando isso foi feito por estrita a necessidade, pois o direito deve resolver o conflito, mas nós é que temos que admitir o contrário e sendo assim, a norma perde sua eficácia.

Questão-3-
PA(A)PN(B)
Ora é justo dizer a verdade contrária Ora é injusto dizer a verdade
PA(C) PA(D)
Ora não é justo dizer a verdade Ora não é injusto dizera verdade

Utilizando-se de um exemplo fático analisaremos se será por meio das circunstâncias impostas a nós que determinada conduta será ora justa ou ora não justa.
Quando queremos o bem de uma pessoa ora é justo dizer a verdade, quando este amigo(a) encontra-se bem, feliz, contudo se o mesmo(a) estiver passando por algum problema, não seria justo dizer a verdade, ´pois está verdade poderáacarretar piores prejuízos para ele, podendo fazer até com que ele adote decisões precipitadas.
Contudo, o mesmo caso não se aplica a um inimigo, haja vista que quando visamos o seu mal, falamos a verdade em um momento de fúria, ódio, não se preocupando com nossas atitudes, pois, não o queremos bem ,sendo justo dizer a verdade, porém isso não seria injusto?
Ainda que crie variações, podendoreduzir toda a frase, sempre chegaremos nas primeiras hipóteses, que geram as dúvidas e geram as escolhas.
Escolhemos quando é justo e injusto dizer a verdade, juntamente com nossos valores num determinado momento.
Outro exemplo que podemos analisar é a própria questão da prova na qual se alguém subtraí um pão para matar a sua fome ou de um filho por estar desempregado e sem conseguir emprego,...
tracking img