Teorias da personalidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2196 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de dezembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
X V I SI M P Ó S I O N A C I O N A L D E EN S I N O D E F Í S I C A

1

O CICLO DA APRENDIZAGEM KELLYANA E O MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORME: DE ARISTÓTELES PARA GALILEU
Laurentino Gonçalves da Rocha [laurentin0@yahoo.com.br] Alexandro C.Tenório [tenorio@ufrpe.br] Heloisa F.B. Nóbrega Bastos [hfbnb@uol.com.br]
Programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências - Universidade Federal Rural dePernambuco

RESUMO
Trata o presente artigo da mudança, na estrutura cognitiva dos alunos do 1º ano do ensino médio de uma escola pública do Recife-PE, da concepção de movimento retilíneo uniforme (MRU) de pensamento aristotélico para o galiláico. Observa-se a dificuldade dos alunos em compreender a existência de movimento sem a ação de uma força motora, uma concepção aristotélica. Neste artigoatravés de atividades pedagógicas fundamentadas no Ciclo da Experiência Kellyana (CEK), que faz parte da Teoria dos Construtos Pessoais (TCP), proposta por George Kelly (1955), pretendemos argumentar se o CEK é adequado para a desejada mudança cognitiva do pensamento aristotélico para o de Galileu.

INTRODUÇÃO
Na sala de aula, observa-se que os alunos consideram como Aristóteles (382-322 a.C), quepara um corpo estar em movimento deve sempre agir uma força (MORAES, 2000). No meio científico, essa concepção perdurou até o século XVII, quando Galileu Galilei (1564-1642), criador do método experimental, em suas experiências, verificou a existência do MRU sem a ação de força (NUSSENZVEIG, 1981). A mudança, na estrutura cognitiva dos alunos, para passar da concepção aristotélica para agalileana é difícil e complexa, porém necessária, pelos seguintes motivos: a) para que saibam que o conhecimento físico se processa num contexto histórico-evolutivo de paradigmas e rupturas; b) para compreenderem conhecimentos físicos mais atuais, como a Mecânica Quântica e a Relativística; c) para se inserirem nos mundos do trabalho, tecnológico e sócio-cultural. Para o professor, também é importantepara desenvolver metodologias que facilitem a aprendizagem dos alunos sobre esse tema. Apresentamos aqui os recentes resultados de uma pesquisa, realizada com alunos do 1º ano do ensino médio de uma escola pública do Recife-PE, que participaram de atividades fundamentadas no CEK de George Kelly (1955), que visa responder à pergunta: Como promover, entre os alunos, a mudança do pensamento aristotélicopara o de Galileu?

TEORIA DOS CONSTRUTOS P ESSOAIS (TCP)
A TCP considera as pessoas como construtoras do seu conhecimento, processo denominado Alternativismo Construtivo (BASTOS, 1992). Segundo Kelly, “as pessoas compreendem a si mesmas, seus arredores e antecipam eventualidades futuras, construindo modelos tentativos e avaliando-os em relação a critérios pessoais, quanto à predição comsucesso e controle de eventos baseados nestes modelos” (POPE, 1985, p. 4, ênfase original). As pessoas agem semelhantemente aos cientistas, desenvolvendo teorias pessoais para compreender e antecipar eventos. Teorias vistas como hipóteses abertas à reconstrução, que ocorre quando a pessoa passa por uma experiência, um

X V I SI M P Ó S I O N A C I O N A L D E EN S I N O D E F Í S I C A

2ciclo, contendo cinco fases: antecipação, investimento, encontro, confirmação ou desconfirmação e revisão construtiva (KELLY, 1970). Assim, a aprendizagem, segundo a TCP, é resultado das tentativas da pessoa de lidar com suas experiências. Desse modo, o conhecimento é relativo, é construído pessoalmente, de acordo com as experiências, e também é possível mudá-lo por sucessiva experimentação. Alémdisso, a pessoa é quem toma as decisões, principal responsável por suas idéias e pela mudança nas mesmas (BASTOS,1992). Um aspecto importante é que as hipóteses desenvolvidas, chamadas de construtos, bipolares ou dicotômicos, servem de base para decidir se dois eventos são similares ou não (BASTOS,1992). Concepção aristotélica do movimento versus a galiláica

Acerca do movimento, Aristóteles...
tracking img