Teologos contemporaneos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5361 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O FUNDAMENTO TEOLÓGICO DA PREGAÇÃO E SUA INFLUENCIA

INTRODUÇÃO


Qual o lugar da pregação nas igrejas evangélicas contemporâneas? Esta pergunta no passado seria respondida imediatamente sem nenhuma dúvida ou contestação, porém, no nosso tempo, esta resposta provoca inúmeras controvérsias e polêmicas. Por vários motivos, dentre eles, a influência dos modernos meios de comunicação, o antigo“status” da pregação tem sido questionado.
O teólogo presbiteriano Paulo Anglada em um interessante artigo1 afirma que “a pregação, como uma forma distinta de comunicação da vontade de Deus revelada em sua palavra, está em declínio”. Declínio este que tem provocado em muitas igrejas a sua substituição por um número cada vez maior de atividades.
O Pastor e escritor pentecostal Ricardo Gondimanalisando a pregação contemporânea escreveu em um artigo2 que a igreja está muito influenciada pela pós-modernidade e isso tem “feito com que os púlpitos fiquem cada vez mais empobrecidos, pois “pastores animam seus auditórios com frases de efeito, contentam suas igrejas com mensagens superficiais e sem beleza”. Ele conclui sua reflexão afirmando que “necessitamos de uma nova Reforma no cristianismo!Que ela comece pelo púlpito, pelos pregadores...”.
O que estes dois pregadores cristãos, embora de denominações diferentes, estão abordando é precisamente a preocupação central deste trabalho. Existe uma base bíblica e teológica para que a prédica continue a existir e ser praticada semanalmente? Quais são as suas origens e como as tradições teológicas a compreenderam? Será que ela deve sobreviver àera dos modernos meios de comunicação?
O objetivo do presente estudo é buscar entender e explicar o fundamento bíblico e teológico da pregação, expondo o seu significado e valor para a igreja e o mundo em todos os tempos.
_______________

1. NO ANTIGO TESTAMENTO

O Dicionário Fundamental de Teologia aponta que no Antigo Testamento,
a pregação conhece três tipos. Primeiramente, ainstrução sacerdotal sobre como organizar o culto e a vida de Israel, que tinha em mira o homem como parceiro da aliança. Em segundo lugar, temos a pregação dos profetas, que surgem com freqüência cada vez maior como chamados e suscitados por Deus para manter o verdadeiro Israel, contra o Israel eventualmente empedernido, aberto pela fé ao futuro. O terceiro tipo constitui a narrativa da ação salvífica deDeus feita pelo justo duramente oprimido na assembléia da comunidade dos santos. (Dicionário Fundamental de Teologia, p.718).

Dessas três formas a que mais se destaca é a dos profetas, que recebe testemunho do Novo Testamento na carta aos hebreus ressaltando que este era o meio principal de ouvir a Deus, “Tendo Deus outrora falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas”(Hb1.1), os mensageiros escolhidos – que tornam conhecidos os feitos salvíficos de Deus entre seu povo e em toda a terra (Is 12.5), que proclamam a sua vontade (Mq 6:8) e anunciam o que há de vir. (DITNT, p.737).
Deus fala através deles homens, mediadores, que são os profetas. “Sua missão fundamental é falar em nome de Deus. Assim o profeta é a boca de Deus (cf. Ez 2,8; 3,3; Jr 1,9); ele é oporta-voz de Deus.”(p.71)
“Mais em particular o profeta tem a missão de anunciar, denunciar e converter” isto se dá pela proclamação das maravilhas de Deus, pela denúncia do mal e do pecado e de levar o povo à conversão”.
“A palavra profética era antes de tudo acontecimento oral. Jamais os profetas pedem que suas palavras sejam lidas, sempre exigem: “ouvi a Palavra do Senhor”. (Profetas I, p.18). Aresposta é a audição. Palavra proclamada.
Diferente do que muitos imaginam, os profetas não eram aqueles que simplesmente ouviam, decoravam e repetiam a Palavra divina, mas precisavam “elaborar os oráculos com o suor da sua fronte, como consciencioso artesão da palavra profética”.
O pregador cristão pode ser comparado com um profeta vétero-testamentário? Muitos hoje afirmam que sim e...
tracking img