Resumo etica para um jovem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1494 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
“Ética para um Jovem”

1º Capitulo

Neste capítulo é contada a história de Heitor e esta é comparada á história das térmitas, Heitor ao contrário das térmitas possui a capacidade de escolha perante as situações e acontecimentos que surgem, por outro lado as formigas são condicionadas pela natureza, agindo de uma forma automática perante os acontecimentos que surgem.
As formigas agemsempre da mesma forma perante as adversidades que ocorrem sempre que o seu formigueiro é destruído, mas por outro lado, Heitor foi corajoso e valente pois mesmo podendo fugir, ele escolheu ficar. Heitor lutou porque quis, ao contrário das térmitas, que protegem o seu formigueiro porque têm de o fazer.
Neste capítulo é dada a ideia de que somos livres como Heitor, temos oportunidades de escolhaassim como ele teve.
Fernando Savater explica que não somos livres de escolher o que nos acontece como por exemplo: ficar doente, cair... Mas somos livres de actuar e de escolher.

2º Capitulo
Neste segundo capitulo, Fernando Savater dá a definição de motivo, visto que para ele, motivo é a razão que se tem para fazer algo. Savater explica a diferença entres três tipos de motivos: Asordens, Os costumes e Os caprichos.
As ordens são o que somos levados a fazer, obrigações. Os costumes são coisas que fazemos repetidamente e não nos questionamos sobre elas, os costumes são repetições de atos, hábitos. Os caprichos vêm do nosso interior, somos nós que escolhemos os nossos caprichos, e só dependem de nós pois ninguém manda neles.

3º Capitulo
Neste capítulo, o autor ensina-nos adecidir por nós próprios, a tomarmos as nossas próprias decisões. Uma ordem pode não cumprida, isto é, somos livres de cumprir ou não uma ordem, poderá haver consequências mas somos livres. Um costume também não precisa necessariamente de ser sempre cumprido, temos a liberdade de parar com a nossa rotina, como somos livres podemos, criar novos costumes que nos convenham mais.
Um capricho podetambém ser facilmente ignorado, como por exemplo os caprichos de uma criança mimada, pode não ser um capricho conveniente, logo pode ser ignorado e substituído por outro capricho. Ou seja, devemos pensar nas nossas ordens, caprichos e costumes, podemos faze-los ou podemos contrariá-los, mas para isto temos de pensar por nos próprios visto que somos livres, temos que ser nós a fazer as nossaspróprias escolhas.

4º Capitulo
Neste capítulo do “Faz o que quiseres”, esta uma ordem para fazermos o que quisermos ou para fazermos o que não quisermos que é realmente o que queremos. As ordens na maioria dos casos tiram-nos a liberdade. Não podemos escolher ser livres, somos livres, como também não podemos escolher querer, queremos e não há nada que com que se poda contradizer estes factos.Neste capítulo Savater diz-nos para pensar naquilo que fazemos para termos uma boa vida, para não nos deixarmos levar por simples caprichos e sermos conscientes das consequências que podem ter. As vezes podemos querer coisas que entram em conflito com as nossas ideias. Temos de impor ordens de prioridades em relação as ideias para termos uma boa vida, mas uma boa vida humana é uma vida quandosocializamos com outros seres humanos. Se formos muitos ricos mas não tivermos amigos de nada nos vale o dinheiro. Por outro lado, pode-se ser muito pobre mas tendo companhia para superar a pobreza e tendo pessoas amigas que nos ajudem torna a nossa vida muito melhor.

5º Capitulo
Neste capítulo o autor deu-nos a conhecer que a riqueza, o dinheiro não nos traz a felicidade completa, não éisso que nos faz ter uma vida boa, porque mesmo que tenhamos muito dinheiro há sempre coisas que não conseguiremos comprar, tal como o amor, o companheirismo, a fidelidade, a amizade, confiança, família. Poderíamos pagar a alguém para que nos fizesse companhia quando estivéssemos sozinhos mas, mesmo assim sabíamos que a presença dessa pessoa estaria a ser forçada. Teríamos muito poder mas, isso...
tracking img