Resumo - comportamento organizacional

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2333 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1
COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
Comportamento e Comunicação
Para o estudo do comportamento dos indivíduos, grupos e equipes e as organizações e
ainda entre as organizações e seu ambiente, deve-se ter uma compreensão do processo de
Comunicação. Comunicar é a transferência de informações ou a troca de experiências de forma que
se facilite a vida individual e coletiva. A comunicação é uma formade persuasão, ou seja, quando
nos comunicamos tentamos, em parte, convencer alguém a adotar um determinado comportamento.
Técnicas e instrumental para o exercício da profissão
A disciplina Comportamento Organizacional deve desenvolver o conhecimento acerca
dos processos de mudanças dos relacionamentos interpessoais e também do indivíduo com o
ambiente organizacional. Para isso, adotamos osseguintes procedimentos: Aulas expositivas e
dialogadas, Seminários, Debates, Exercícios em classe e Pesquisa.

Comportamento Organizacional e teorias educacionais
Algumas teorias educacionais nos ajudarão, tanto na compreensão dos conteúdos,
quanto no futuro trabalho como gestores, pois há uma intersecções das teorias educacionais com as
as teorias do comportamento. Ressalte-se aqui que omais importante é adotá-las de forma crítica. A
educação é marcada por fatores sociais, políticos e pedagógicos. Um contexto histórico-social pesa
sobre a educação. Devemos, portanto adotar um esquema educativo que seja adequado às condições
contemporâneas, fazendo os aprendizes aprender continuamente e criticamente, conforme as
necessidades do mundo em transformação e de participação socialefetiva.
Nessa disciplina, adotamos algumas teorias. Veja o resumo delas a seguir:
1ª Teoria, de Alfred Whitehead (1861-1947, Inglaterra), Filósofo/Matemático, Teórico
da educação e Teórico da mudança. Destaca que o Conhecimento deve ser útil e não uma mera
memorização de conceitos. A real educação é, portanto, uma educação para a Vida. Assim, a
educação serve à compreensão do mundo, e essacompreensão dá a verdadeira utilidade à educação.

2
Distanciando-a de um educação acadêmica e aproximando-se de uma educação ligada à vivência. A
educação seria uma arte para utilizar o conhecimento. Tal conhecimento deve crítico, ou seja,
desafiar o que se diz a respeito da vida.
2ª Teoria, de Howard Gardner (1943- , EUA), historiador, sociólogo, antropólogo e
psicólogo. Estudou o pensamentoartístico e os processos de criação. Colocou em destaque as
Inteligências Múltiplas. Viu como positivo as diferenças entre as pessoas, portanto, a educação
deveria respeitar as diferenças e não valorizar somente a capacidade lógica e linguística. Segundo
ele, haveriam 7 tipos de inteligência: Linguística, lógico-matemática, Corporal-cinestésica, musical,
espacial, interpessoal, intrapessoal.Mais tarde acrescentou a inteligência naturalista, a espiritual e a
existencial.

As capacidades humanas são múltiplas, então, os testes de QI só descobrem a

capacidade de resolver testes de QI, não provando nada sobre a capacidade do humano testado.
3ª teoria, de Paulo Freire (1921-1997, Recife), Educador marxista e ativista político.
Criou a chamada Pedagogia Revolucionária. Na pedagogiatradicional, o aluno não tem iniciativa e
só recebe assistência, ao contrário, a revolucionária faz com que o aluno seja participante e coopere
no processo. Na primeira utiliza-se e ensina-se a partir de técnicas já criadas, ou seja, é absoluta
(não se discute), enquanto a pedagogia revolucionária se faz a partir da criação do novo
(enfrentamento de problemas). Ela é uma educação histórica efaz sua autocrítica.
4ª teoria, de Peter Senge (1947- , EUA), Engenheiro, Filósofo e Administrador. Estudou
como as Organizações aprendem. Buscava entender as condições para compreender como poder-seia fazer para implementar um contínuo aprimoramento da organização. Nessa tentativa, percebeu a
necessidade de capacitar indivíduos para realizar planos. No domínio pessoal, dever-se-ia incentivar...
tracking img