Resenha psicologia fenomenologica existencial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 27 (6537 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CAMILA PITANGA






MODELO DE RESENHA ADAPTADO DE CAMON









Resenha adaptada como conteúdo na disciplina de Psicoterapias de Base Fenomenológica Existencial, referente ao VIº Período do curso de Psicologia.








Professora: Fabiane






















PALMAS –PR
NOVEMBRO/2010.



OATENDIMENTO INFANTIL NA ÓTICA FENOMENOLÓGICA-EXISTENCIAL
SUICÍDIO INFANTIL: O ESACARRO MAIOR DO DESESPERO HUMANO


Sabe-se que a maior incidência de suicídios é na adolescência, sendo que em alguns casos há crianças que já estavam em busca desta destruição pelo fato de não conseguirem lidar com os seus sofrimentos.
Por conta dos profissionais de saúde terem dificuldade deaceitação em vista do suicídio em crianças, confere à ocorrência de dar outro nome para esse tipo de tentativa de suicídio. Sabe-se também que os hospitais públicos são os que mais registram casos de suicídio pois redes particulares não são confiáveis.
Segundo Camon, os casos de tentativa de suicídio atendidos em redes particulares são mascarados, ou seja, possuem diagnósticos diferentes ouainda alterados. Atrela- se a esses pacientes um diagnóstico de acidentes. Nos hospitais particulares só refere-se a suicídios quando há uma ocorrência maior que o esperado que não comporta outro diagnóstico além de suicídio.
O autor ainda nos coloca que essas pessoas que tentam suicídio apresentam um desespero elevado, não conseguindo lidar com sua angústia acabam por tentando um métodomais fácil de aceitação de sofrimento, é ainda necessário saber qual a intencionalidade dessa criança diante desse fato alarmante.



Atrás do ato de destruição sempre está um pedido de ajuda de alguém desesperado frente às vicissitudes da vida. (Camon, apud FARBEROW², pg 122).



Cabe-se dizer que a vítima de tentativa de suicídio é alguém que se encontra em alto sofrimento edesespero diante de dores que a vida apresenta e por muitas vezes recorre ao suicídio para dar um aviso a família, ou ainda, por não ter outras alternativas para lhe aliviar o sofrimento daquele momento. Há muitas tentativas diante do suicídio que às vezes são falhas o que acaba deixando-o frustrado por não conseguir realizar o ato em si.
Segundo o mesmo autor, através da tentativa desuicídio usada pelo indivíduo, é algo que diz respeito a historicidade do sujeito e a forma que ele pratica o mesmo faz com que saibamos a intensidade desta tentativa. Logo o instrumento utilizado não reflete o total desespero da vítima. O indivíduo que quer se suicidar procurará por meios que tem ao seu alcance.
Sabe-se que não se pode olhar o desespero de um paciente com nossos valores, poiscada qual tem seu valor e seu motivo diante dos fatos, pois existe o preconceito moral que segundo Camon, reveste as considerações efetivadas com a tentativa de analisá-lo.
Avalia-se indivíduos que sofrem de alguma doença e que estão sofrendo e que estão desesperados, mas não se deixa de fora pessoas que estejam bem, ou seja, que não apresentem diagnósticos de doença. Para saber o nível dedesespero só pode ser feito pelo paciente, caso contrário só aumentaríamos seu sofrimento e sua dor. As razões de uma pessoa se sentir desesperada podem não significar nada para outras pessoas, pois tudo varia de pessoa pra pessoa.
O autor nos remete que pelo fato de profissionais da saúde elaborarem suas análises e por partirem da concepção de valores de uma corrente teórica, deveria serbanida as avaliações pelos mesmos.
Não há datas para apresentar o desespero humano, segundo Camon, elas ocorrem diante das condições, ou seja, do contexto em que o indivíduo está vivendo.
A autodestruição (pelo nível do tabaco), não apresenta-se somente no nível de menor poder aquisitivo, mas em indivíduos de melhor situação financeira também, o que muda são os universos...
tracking img