Resenha linguagem e escola magda soares

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 6 (1486 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 18 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Resenha Crítica:
Magda Soares, Linguagem e escola.
Uma perspectiva social

























"Devemos tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais, na medida de sua desigualdade."
Aristóteles
1 - Introdução:
O livro Linguagem e escola deMagda Soares têm como objetivo entender a relação entre a linguagem e escola tendo em vista solucionar os problemas educacionais no Brasil.
A autora afirma que a escola é destinada para as camadas populares do Brasil (o povo), considerando que tais camadas fazem parte da grande maioria as escolas brasileiras não estão preparadas para atender tal povo, este fato é comprovado pelo alto índicede evasão e repetência.
Partindo da premissa que um dos fatores responsáveis por tal evasão e repetência, é a exclusão da linguagem sem prestígio, já que as camadas populares são obrigadas a usar padrões de linguagem das classes mais elevadas.


2 - O fracasso da/na escola
O discurso antigo e ineficiente é baseado nos ideais democrático-liberais que tem em vista a igualdade social e ademocratização do ensino.
Esta democratização do ensino ora toma uma direção quantitativa (a fim de ampliar as ofertas educacionais na qual uma delas é o aumento de escolas para as classes populares), ora qualitativa (sendo uma delas introdução de novas metodologias de ensino).
Mesmo com todo este discurso não se têm escolas suficientes para o povo e as que existem são mais contra o povoque para o povo.
A autora faz um questionamento do porque isto acontece e dá três soluções para este problema.
• A ideologia do dom. Segundo esta ideologia, todos terão o mesmo ponto de chegada, o sucesso ou o fracasso dependerá das características do aluno, se ele fracassar ele será portador de desvantagens intelectuais. A escola começa a trabalhar a partir daí adaptando os alunos a sociedade,direcionando-os a instituições de ensino mais adequadas, sendo elas escolas técnicas ou escolas voltadas para o ensino superior.
• A ideologia da deficiência cultural. Com esta ideologia tem-se que as diferenças de inteligência é a causadora da diferença social. Para este ponto a escola ocupa um lugar em que as desigualdades sócias é que são responsáveis peças diferenças de rendimento dos alunosna escola.
• A ideologia das diferenças culturais. Na Antropologia e na Sociologia é afirmado que não há povo sem cultura, porém esta ideologia é baseada na falta de cultura de um povo. A escola acaba tornando diferenças como deficiências, tendo em vista a cultura que impera entre sociedades é a do grupo dominante.
A linguagem é o principal instrumento para a transmissão de cultura e tambémo principal resultado da mesma. O confronto ou a comparação entre culturas é um confronto ou uma comparação entre o usa das línguas.

3 – Deficiência Linguística

A psicologia justificava as desigualdades através da teoria da deficiência cultural. Expressões como carência afetiva, falta de desenvolvimento psicomotor, incapacidade de discriminação visual e auditiva, vocabulário pobre, errosde linguagem, baixo nível intelectual, comportamento social inadequado e entre outras carências é destacado o “déficit” linguístico.
O déficit linguístico esta relacionado a capacidade intelectual da criança, correlacionando as capacidades linguísticas com as capacidades cognitivas.
Para Vygotsky e Luria o desenvolvimento do pensamento e do raciocínio vem a partir do desenvolvimento dalinguagem. Já para Piaget, o desenvolvimento da linguagem é decorrente do desenvolvimento cognitivo.
A conclusão que se chega é que as deficiências linguísticas da criança desfavorecida são também cognitivas, tornando a pobreza de sua linguagem inadequada um obstáculo para o seu desenvolvimento cognitivo.
Brasil Bernstein, sociólogo inglês, é considerado um dos responsáveis pela teoria da...
tracking img