Realidade policia e filosofia do poder maquiavel

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1904 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
2012-09-15
Faculdade Novos Horizontes



















Idade Moderna

REALISMO POLÍTICO E FILOSOFIA DO PODER POR MAQUIAVEL
















Belo Horizonte
2012







INTRODUÇÃO

A Idade Moderna marcou e mudou a imagem do homem e do mundo e estas transformações são marco de estudo e comportamento individual, político e socialEm meados de 1500, um pensador marca o conceito de política moderno, é Nicoló Machiavelli, mais conhecido como Maquiavel, um secretário diplomático da República de Florença, que após observar os sucessos e fracassos das leis e da política de outros países, escreveu uma obra chamada “O Príncipe”. Sua obra expôs seu pensamento político que reflete até os dias de hoje.Renascentista, Maquiavel foi o que teorizou o Realismo Político rompendo com os conceitos éticos políticos dos gregos antigos bem como a influência dos valores religiosos e da Política Teocentrista Medieval. Seus estudos também foram base para o surgimento da Republica Soberana Moderna.
A obra de Maquiavel apontava para o uso de poder, força e até violência como forma de sabedoria e virtudena política. Surge então as expressões as expressões maquiavélico e maquiavelismo correspondem àquilo que, em nossa cultura, é considerado diabólico. Assim é relevante observar O Príncipe para compreender o pensamento de Maquiavel, que foi tão marcante na modernidade.











FILOSOFIA MODERNA


O período da Filosofia Moderna esta compreendido entre 1453 com a quedado Império Romano Ocidental até 1789 com a Revolução Francesa – e um período de transformações na cultura, religião. política e economia da Europa Medieval. È o chamado fim do Período das Trevas – assim denominado pelos modernistas caracterizado pela limitação do pensamento e domínio intelectual da Igreja.
Na política o sistema é o absolutismo , forma de política centralizada ondereis e Estado governam excluindo o povo nas decisões políticas. O povo dominado por ma classe privilegiada é castigado por impostos e retaliações.
Finda o feudalismo e o capitalismo surge em um momento que a riqueza provinha das conquistas políticas mercantilistas.
Embora diferentes e, muitas vezes, contrárias, as obras políticas medievais e renascentistas operamnum mundo cristão. Isso significa que, para todas elas, a relação entre política e religião é um dado de que não podem escapar. É verdade que as teorias medievais são teocráticas, enquanto as renascentistas procuram evitar a idéia de que o poder seria uma graça ou um favor divino; no entanto, embora recusem a teocracia, não podem recusar uma outra idéia qual seja, a de que o poder político só élegítimo se for justo e só será justo se estiver de acordo com a vontade de Deus e a Providência divina. Assim, elementos de teologia continuam presentes nas formulações teóricas da política.
Em relação à tradição do pensamento político, a obra de Maquiavel é demolidora e revolucionária Esta obra funda o pensamento político moderno porque busca oferecer respostas novas a uma situaçãohistórica nova.
Segundo autora Marilena Chauí - Maquiavel não aceita a divisão clássica dos três regimes políticos (monarquia, aristocracia, democracia) e suas formas corruptas ou ilegítimas (tirania, oligarquia, demagogia/anarquia), como não aceita que o regime legítimo seja o hereditário e o ilegítimo, o usurpado por conquista. Qualquer regime político - tenha a forma que tiver etenha a origem que tiver - poderá ser legítimo ou ilegítimo. O critério de avaliação, ou o valor que mede a legitimidade e a ilegitimidade, é a liberdade.

Todo regime político em que o poderio de opressão e comando dos grandes é maior do que o poder do príncipe e esmaga o povo é ilegítimo; caso contrário, é legítimo. Assim, legitimidade e ilegitimidade dependem do modo como as...
tracking img