Protocolo ipv6

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 26 (6432 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE SAGRADO CORAÇÃO





DOUGLAS DA COSTA ANTONIO
EDUARDO CORRÊA GUEDES
FELIPE FERREIRA CABO
RAPHAEL PINHEIRO AFONSO










PROTOCOLO IPV6















BAURU
2012
DOUGLAS DA COSTA ANTONIO
EDUARDO CORRÊA GUEDES
FELIPE FERREIRA CABO
RAPHAEL PINHEIRO AFONSO










PROTOCOLO IPV6



Trabalho da disciplina Redes e SistemasDistribuídos, apresentado ao professor responsável pela disciplina, Prof. Henrique Pachioni Martins.


















BAURU
2012




LISTA DE TABELAS, QUADROS E ILUSTRAÇÕES




Quadro 01. Modelo OSI 8
Quadro 02. Resumo das camadas OSI 10
Tabela 01. Relaciona aspectos relevantes na definição do endereço Internet. 15
Figura 01. O formato geralde um datagrama IPv6 com cabeçalhos múltiplos. Somente o cabeçalho 19
básico é necessário; os cabeçalhos de extensão são opcionais. 19
Figura 02. O formato do cabeçalho básico Ipv6 de 40 octetos. Cada datagrama IPv6 começa com um cabeçalho básico. 20
Figura 03. Três datagramas com (a) somente um cabeçalho básico, (b) um cabeçalho e uma extensão e (c) um cabeçalho básico maisduas extensões. O campo PRÓXIMO CABEÇALHO em cada cabeçalho especifica o tipo do cabeçalho seguinte. 23
Figura 04. O formato de um cabeçalho de roteamento IPv6. Somente o tipo 0 (rota de origem solta) está definido atualmente. 24
Figura 05. O formato de um cabeçalho de extensão de opções do IPv6. Os cabeçalhos de opções salto a salto e de fim-a-fim usam o mesmo formato; o campo PROXÍMOCABEÇALHOS do cabeçalho anterior distingue entre os dois tipos. 25




SUMÁRIO


1 INTRODUÇÃO 6
2 PROTOCOLO TCP/IP 7
2.1 Definições Sobre Modelo OSI 7
2.2 Camadas No Modelo OSI 8
2.2.1 Resumo das Camadas 9
2.3 Versões de IP 10
2.4 Endereçamento com classe 11
2.5 Endereçamento sem Classe 11
2.6 Envio 12
2.6.1 Enviodireto 13
2.6.2 Envio indireto 13
2.7 Encaminhamento 14
2.8 Endereçamento IP e Classes 14
3 O IPv6 16
3.1 Por que usar IPv6? 16
3.2 Além do IPv4 17
3.3 O próximo IP 17
3.4 Características do IPv6 17
3.5 Forma geral de um datagrama IPv6 19
3.6 Formato de cabeçalho básico do IPv6 19
3.7 Interligação de redes com TCP/IP 203.8 Cabeçalhos de extensão do IPv6 22
3.9 Datagrama do IPv6 22
3.10 Fragmentação e remontagem do IPv6 23
3.11 Roteamento de origem IPv6 24
3.12 Opções do IPv6 25
3.13 Tamanho do espaço de endereços do IPv6 25
3.14 Três tipos de endereços básicos do IPv6 26
4 CONSIDERAÇÕES FINAIS 27
5 CRONOGRAMA 28
6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 291 INTRODUÇÃO




Em 1966 o Departamento de Defesa (DoD – Department of Defense) do governo estadunidense iniciou através de sua Agencia de Pesquisas e de Projetos Avançados (ARPA – Advanced Research Projects Agency), um projeto para a interligação de computadores em centros militares e de pesquisa. Este sistema de comunicação e controle distribuído com fins militares recebeuo nome de ARPANET, seu principal objetivo teórico era formar uma arquitetura de rede sólida e robusta que pudesse, mesmo com a queda de alguma estação, trabalhar com os computadores e ligações de comunicação restantes.
No inicio a ARPANET trabalhava com diversos protocolos de comunicação, com enfoque no NCP (Network Control Protocol). No entanto, no primeiro dia de janeiro de 1983, quando arede atingiu a marca de 562 hosts, todas as máquinas da ARPANET passaram a adotar como padrão os protocolos TCP/IP. Essa mudança então ocasionou o crescimento ordenado da rede a partir da eliminação das restrições feitas pelos protocolos anteriores.
O protocolo IP foi definido na RFC 791 para prover duas funções básicas: a fragmentação, que permite o envio de pacotes maiores que o limite...
tracking img