Politicas sociais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1824 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SERVIÇO SOCIAL

RAYNARA DE ALMEIDA SANTOS

POLÍTICAS SOCIAIS E O SERVIÇO SOCIAL

Feira de Santana
2011

raynara de almeida santos

POLÍTICAS SOCIAIS E O SERVIÇO SOCIAL

Trabalho apresentado ao Curso serviço social da UNOPAR - Universidade Norte doParaná, para a disciplina Interdiciplinar
Orientadores:Daniela Sicorski, Paulo Sérgio Aragão, Clarice da Luz kernkamp, Mria Lucimar Pereira.

Feira de Santana

2011

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

1 –desenvolvimento.............................................................................................52-Conclusão........................................................................................................10
3-Referencias......................................................................................................11

INTRODUÇÃO

É impossível falar de políticas sociais sem relacioná-las com as relações de produção, e conseqüentemente com as relações sociais existentes em determinado período. Na verdade veremos que aquestão social e as políticas sociais irão surgir a partir da ascensão de um determinado modo de produção, o capitalismo. Estado, mercado e sociedade delineiam o quadro onde estas políticas sociais se inserirão e conseqüentemente suas características.
No Brasil, estas políticas também serão construídas a partir das correlações de forças entre estas três estruturas, expressandonitidamente a contradição trabalho/mercado.
O Serviço Social como profissão surgirá a partir do capitalismo monopolista. Sua construção se deu de forma descontínua e não-linear, servindo outrora à interesses conservadores, ligados à manutenção da lógica do mercado. O movimento de reconceituação vai surgir indo de encontro a esta forma de exercer a profissão.

1-DESEMVOLVIMENTOPolíticas Sociais, Estado e Mercado

Para discutirmos a intervenção do estado nas questões sociais primeiro deve-se fazer uma análise do contexto em que as políticas sociais vão surgir no Estado Moderno. Para isto temos que retomar alguns pontos importantes deste processo.
Na sociedade capitalista, a criação de um excedente possibilitou a apropriação privada dos meiosde produção, o que produziu a divisão da sociedade em duas classes sociais desiguais e contraditórias- a burguesia e o proletariado. Ao analisar o desenvolvimento do sistema capitalista, a teoria marxista identifica a gênese da questão social, ou seja, as condições materiais e relações sociais que produzem e reproduzem a desigualdade entre as classes, condicionada pelo acúmulo de capital. A questão social tem sua emergência vinculada ao surgimento da classe proletária e sua atuação no cenário político, por meio de lutas pelo reconhecimento de seus direitos de cidadania por parte da classe dominante e pelo Estado.

Com as lutas constantes da classe operária pela sua sobrevivência física, a classe burguesa passa a entender que a expansão da acumulaçãocapitalista não se manteria nas reais situações em que os proletários se encontravam (visto que parte da população trabalhadora estava sendo dizimada no período inicial do regime). Deste modo, insere-se o Estado burguês expressando alguns interesses das classes trabalhadoras, ainda que minimamente, a exemplo das primeiras legislações fabris para proteção física dos trabalhadores.
Asrelações antagônicas da luta de classes vão se refletir no Estado, produzindo e reproduzindo as formas de enfretamento das questões sociais no âmbito das políticas públicas e do reconhecimento dos direitos de cidadania da população.
É importante observar que no período inicial do capitalismo as políticas sociais se baseavam na manutenção da “ordem social”, sendo que sua função era...
tracking img