Paper

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1248 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
O SERVIÇO SOCIAL NA DÉCADA DE 1980

Bruna Semensato Sales Couto

Profª. Maria Geraldina

Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI

16/12/2010

1 RESUMO

2 O Serviço Social na década de 1980 passou por mudanças significativas. O movimento da reconceituação foi a expressão de ruptura com o Serviço Social tradicional e conservador. O movimento da reconceitaução trouxe para osassistentes sociais a identificação político ideológica da existência de dois lados. A partir do movimento da reconceituação, ocorrido na década de 1980, o Serviço Social mudou e vem contribuindo para grandes avanços em diferentes campos de ação profissional dos Assistentes Sociais.

3

Palavras - chave: Reconceituação, Ruptura, Tradicional, Novo Currículo, Serviço Social, Pesquisa.

1INTRODUÇÃO

Neste artigo pretendemos relatar como foi a década de 1980 para o Serviço Social.

Falaremos também sobre as mudanças que aconteceram no Serviço Social nos anos 80, que contribuíram para o seu amadurecimento.

2 MOVIMENTO DE RECONCEITUAÇÃO

O movimento de reconceituação constituiu-se numa expressão de ruptura com o Serviço Social tradicional e conservadorconfigurou-se um processo de questionamento e reflexões críticas da profissão. Motivado pelas pressões sociais e mobilizações dos setores populares.

O movimento de reconceituação trouxe para os Assistentes Sociais a identificação político ideológica da existência de dois lados, dominante e dominados.

Segundo Yasbek, as três principais vertentes que emergiram no bojo do movimento de reconceituaçãoforam: vertente modernizadora, vertente fenomenologia e vertente marxista.

O Movimento de Reconceituação se cria e se desenvolve a partir da identificação político ideológica da profissão pela capital, da negação de um prática conservadora do Serviço Social, afirmando em compromisso político com a classe subalterna. (SILVA e SILVA, 1995, p. 86 aput MOTA, 1987, p.15 – 16).

3RUPTURA COM O TRADICIONAL CONSERVADORISMO

A partir da década de 80, instituiu-se de modo mais sistemático, o debate acadêmico do Serviço Social, marcando um processo de ruptura com o conservadorismo. O processo de rompimento gerou no interior da profissão uma cultura que reconhece a pluralidade teórico metodológica, fortalece a orientação marxista como direção hegemônica para o projetoético político profissional.

A década de 80 marca o reencontro do Serviço Social consigo mesmo, no que se refere a busca de estabelecimento de novas bases. O Serviço Social enfrenta questões sobre as políticas sociais, em especial quanto a consolidação de políticas públicas nas áreas de seguridade social e do trabalho.

A maioria dos temas de pesquisa dos anos 80 e que continuam nosanos 90, refere-se as políticas públicas na sua interface com o Estado. Exemplo disto é a temática Seguridade Social, depois de seu marco histórico que é a Constituição Federal de 1988.

Recentemente vem avançando as investigações sobre a sociedade civil, os processos de gestão e controle das políticas públicas e o papel dos Conselhos de Direitos. Ganhando ênfase também o campo depreocupação relativo aos usuários do Serviço Social, na sua relação com as políticas públicas.

4 NOVO CURRÍCULO PARA O SERVIÇO SOCIAL (1982): PALETADO NAS DIRETRIZES DO PENSAMENTO MARXISTA

É no início dos anos 80 que a Teoria Social de Marx junto de Iamamoto começa sua efetiva interlocução com o serviço Social. Como matriz teórico metodológica esta teoria aprende a ser social, ou seja, parte daposição de que a natureza relacional do ser social não é percebida em imediato.

“Isso porque, a estrutura de nossa sociedade, ao mesmo em que põe o ser social como ser de relações, no mesmo instante e pelo mesmo processo, oculta a natureza destas relações ao observador” (NETTO, 1995).

As relações sociais são sempre mediatizadas por situações, instituições e etc, que ao...
tracking img