Mulheres e sociedade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4500 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
As Mulheres e o Poder na Roma Antiga

Edição: 12 de janeiro de 2012
Por: Claudia Ribeiro da Silva

A mulher na Roma arcaica tem suas funções limitadas à produção de membros para a defesa e o desenvolvimento do Estado. Muito embora em teoria seja vista como igual aos homens, na pratica as formas jurídicas dos primeiros tempos irão submetê-la a séculos de exclusão social. Mas as conquistasterritoriais feitas pelo romano, e o contato deste com outros povos, irá trazer a este império não apenas riquezas, mas também novas formas de cultura e discernimento de novos valores morais, que levarão a cabo suas concepções arcaicas de sociedade, principalmente no que tange a influência feminina junto ao público.
No entanto o que realmente pesará para que a mulher saia da obscuridade que lhefora imposta por séculos, será principalmente o poder que estas irão adquirir ao tomarem posse de sua herança material e moral.

Como os romanos “classificavam” as mulheres?
Os romanos dos primeiros tempos classificavam as mulheres em duas categorias; as que deviam ser protegidas, e as cuja pureza não importava. As mulheres oriundas das famílias da aristocracia romana eram da primeiracategoria, as que deveriam ser protegidas. Estas eram consideradas sagradas, pois só o casamento entre romanos gerava cidadãos para Roma.
Mas para se entender a emancipação da mulher é necessário que se compreenda que o amor e o casamento não são conseqüências um do outro, e que apesar de necessário o casamento não é um prazer, mas um dever de procriação, pois o Estado precisa de novos cidadãos paraserví-lo na paz e na guerra. Na velha moral a esposa era “função” de cidadão e chefes de família, além de uma das numerosas decisões dinásticas. Para a mulher, no entanto o casamento não passaria de uma honrosa prisão.
A instituição do casamento era uma das mais sólidas e respeitadas, pois era a garantia da grandeza de Roma. E que ao contrário do que parece a mulher não era escrava. Além do que, a vidacivil autônoma não era negada somente a elas, mas também aos filhos, pois toda a autoridade pertencia aos chefes de família.
Para o romano o casamento é a comunhão entre o direito divino e o humano, uma criação, pois com ele começava uma associação que ultrapassava os cônjuges. O marido não seria amo e sim seu equivalente. O autor também nos diz que havia três formas de casamentos, nãoexatamente diferentes, pois eram apenas diferentes ritos juridicamente equivalentes, destinados a tornar a jovem esposa pupila de seu marido.
A mudança de valores morais ocorrida a partir do século II a.C e a dissolução dos valores antigos não se devem somente ao movimento de expansão, às guerras e indenizações de guerra ou no pensamento grego, mas em certa medida no nascimento de uma espécie decapitalismo. Jean-Noël Robert nos diz que antes mesmo das guerras púnicas, Roma já era uma cidade poderosa.
As guerras de expansão trouxeram a Roma não apenas novos valores à sociedade, mas também incontáveis riquezas. Roma era agora a capital de todo o mundo conhecido. A rústica civilização baseada no trabalho dará lugar a uma sociedade urbana ociosa. As fortunas agora são grande fonte de poder. Amudança de valores morais irá contribuir para a evolução jurídica do casamento. A patrícia romana que até então ignora qualquer prazer em sociedade, pois é educada estritamente para o casamento, vai adquirir cultura e refinamento, para assim poder se manifestar ainda que indiretamente de forma pública.
No entanto o casamento ainda era uma instituição que firmava o orgulho de casta. O casamento nãogarantia felicidade ou o prazer conjugal, mas à medida que as mulheres conquistam a liberdade tomam consciência de seu papel. Nos últimos anos da República a emancipação quase que total da mulher, pois agora elas também adquirem o direito ao divórcio e a gerir sua própria fortuna e ao enviuvar casam novamente, pelo coração ou pela ambição, em geral tornam-se grandes mulheres de negócios.
Lei Maria...
tracking img