Ler-dort

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 34 (8317 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Ministério da Saúde
Secretaria de Políticas de Saúde
Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas
Área Técnica de Saúde do Trabalhador

LER/DORT
DILEMAS, POLÊMICAS E DÚVIDAS

Série A. Normas e Manuais Técnicos, n.° 104
Brasília – DF
Fevereiro, 2001
1

Dilemas, Polêmicas e Dúvidas.p65

1

29/05/01, (Editora01) 15:40

© 2001. Ministério da Saúde
É permitida a reproduçãototal ou parcial deste documento, desde que citada a fonte.
Série: A. Normas e Manuais Técnicos, n.° 104
Tiragem: 10.000 exemplares
Edição, distribuição e informações:
MINISTÉRIO DA SAÚDE
Secretaria de Políticas de Saúde
Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas
Área Técnica de Saúde do Trabalhador
Esplanada dos Ministérios – Bloco G – sala 647
Telefone: (61) 315 2610 – Fax: (61)226 6406
E-mail: cosat@saude.gov.br
CEP: 70058–900 – Brasília – DF
Elaboração:
Maria Maeno: Médica Coordenadora do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador da Secretaria de
Estado da Saúde de São Paulo (CEREST/SP). Professora convidada para o Curso de Especialização em
Medicina do Trabalho da Santa Casa de São Paulo. Representante do CONASS no Comitê de LER do Ministério da Saúde.Ildeberto Muniz de Almeida: Professor da Faculdade de Medicina de Botucatu. Mestre pela Faculdade de
Saúde Pública da USP.
Milton Carlos Martins: Especialista em Medicina do Trabalho. Mestre em Ergonomia pelo Laboratoire
d’Ergonomie et Neurophysiologie du Travail. Conservatoire National des Arts et Métiers (CNAM). ParisFrança. Doutor em Ergonomia pelo Laboratoire d’Ergonomie Pshysiologique. ÉcolePratique des Hautes
Études. Paris-França.
Lúcia Fonseca de Toledo: Psicóloga. Participou do Programa de Aprimoramento Profissional do CEREST/
SP. Diretora de Serviços de Saúde da Divisão de Vigilância Sanitária do Trabalho do Centro de Vigilância
Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.
Renata Paparelli: Psicóloga. Participou do Programa de Aprimoramento Profissional doCEREST/SP.
Mestranda de Psicologia – USP.
João Alexandre Pinheiro Silva: Fisioterapeuta do CEREST/SP. Sanitarista pela Universidade Federal de
Santa Catarina. Ergonomista pela Escola Politécnica da USP.
Apoio:
Instituto Nacional de Prevenção às LER/DORT
Programa Nacional de Prevenção às LER/DORT
E-mail: prev.ler@uol.com.br
www.uol.com.br/prevler
Fone: (11) 3824 9224
Ficha catalográfica
Brasil.Ministério da Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Área Técnica de Saúde do
Trabalhador.
LER/DORT : dilemas, polêmicas e dúvidas / Ministério da Saúde, Departamento de Ações
Programáticas e Estratégicas, Área Técnica de Saúde do Trabalhador; elaboração de Maria Maeno ...[et
al.]. – Brasília : Ministério da Saúde, 2001.
24p. :il. – ( Serie A. Normas e Manuais Técnicos, n.°104)
ISBN: 85–334–0306–2
1. Doença ocupacional – Trabalhador. 2. Lesões por Esforços Repetitivos (LER). 3. Distúrbios
Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). I. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. II. Maeno, Maria III. Almeida, Ildeberto Muniz de . IV. Martins, Milton Carlos. V. Toledo,
Lúcia Fonseca de. VI. Paparelli. Renata. VII. Silva, João AlexandrePinheiro. VIII. Título.
CDU 616-057
NLM WA 440

Dilemas, Polêmicas e Dúvidas.p65

2

29/05/01, (Editora01) 15:40

SUMÁRIO

1

É correto falar que um determinado mobiliário ou equipamento é ergonômico? ......... 05

2

Ginástica antes do trabalho é uma boa forma de prevenção das LER/DORT? ........ 05

3

Adequar apenas o mobiliário previne a ocorrência de LER/DORT?............................ 06

4

Dentre os fatores de risco, é possível medir a intensidade e a influência de cada um
deles na ocorrência de LER/DORT? ......................................................................................... 06

5

Um estudo ergonômico sério é garantia de que os problemas serão resolvidos? ..... 07

6

No caso de LER/DORT, uma “solução” proposta pode ser...
tracking img