Gens-grega

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2388 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A gens grega
• Os gregos,pelasgos e outros povos da mesma origem tribal,estavam constituídos em series orgânicas idênticas á dos americanos: gens,fratria,tribo,confederação de tribos.poderia faltar a fratria,como entre os dóricos ou a confederação de tribos,que não se chegava a formar em todos os lugares,mas em todos os casos era sempre a gens a unidade.
• Gens : conjunto de pessoasconsanguíneas (ex: Avós,pais,tios e etc.)
Frátria: conjunto de gens
Tribo : Reunião de várias Frátria
• c
• O direito materno cedeu ao direito paterno o seu posto e,por isso, riqueza privada que surgia abriu a primeira brecha na constituição gentílica.Assim passando toda a fortuna de uma rica herdeira que se casa para o marido,ou quer dizer a outra gens.
• Historia da Grécia de Grote,a gensateniense,em especial,unia-se em torno de:

1.Solenidade religiosas comuns e exclusividade de sacerdócio em honra de um deus determinado
2.Um lugar comum para enterrar os mortos.
3.Mútuo direito de herança.
4. Obrigação recíproca de prestação de socorro,defesa e apoio contra a violência.
5. Direito e dever recíprocos de casar,em certos casos,dentro da gens,sobretudo quanto as órfãs e herdeiras.6.Posse.pelo menos em certos casos,de uma propriedade comum,com um arconte(magristrado)e tesoureiro próprio.
Nela,entretanto,encontramos direitos e deveres recíprocos,da mesma natureza,especialmente a comunidade de certos ritos religiosos e o direito de perseguir o homicida no caso de assassinato de um membro da frátria.
7.Descendência segundo o direito paterno.
8.Proibição domatrimonio dentro das gens,excetuado o caso das herdeiras.
Essa exceção,tornada um preceito,prova a validade de antiga regra.E essa resulta do principio
geralmente adotado de que a mulher, por seu matrimônio, renunciava aos ritos religiosos de sua g ens e passava a seguir os da de seu marido, na fratria do qual era inscrita.
Becker, em seu Charicdes,afirma que ninguém tinha o direito de casar-se dentro de sua própria gens.
9. Direito de adoção na gens, exercido mediante adoção pela família, mas com formalidades públicas e só em casos excepcionais.
10. Direito de eleger e depor os chefes. Sabemos que cada gens tinha o seu arconte, mas em parte alguma consta que esse posto fosse hereditariamente privativo dedeterminadas famílias. Até o fim da barbárie, as probabilidades são sempre contra a herança dos cargos, que seria totalmente incompatível com as condições de absoluta igualdade de direitos entre ricos e pobres no seio da gens.

• Grote,niebuhr,mommsen e todos os demais historiadores q tem estudado a antiguidade clássica falharam na colocação do problema das gens.
Por mais corretas que sejam asdescrições que fazem de algumas de suas características, jamais chegaram a ver nela mais do que um grupo de famílias, e por isso não puderam compreendei sua natureza e sua origem. Sob a constituição da gens á família nunca, pôde, ser e nem foi uma célula orgânica, porque o marido e a mulher pertenciam necessariamente a duas gens diferentes.

• "Façamos notar ao senhor Grote - diz Marx - que mesmoquando os gregos fazem derivar suas gens da mitologia, nem por isso essas gens deixam de ser mais antigas que a mitologia com deuses e semideuses criados por elas mesmas."
• Cada gens ateniense tinha um nome derivado de seu suposto fundador.

• Em caso de homicídio o direito e o dever de perseguir o assassino ante os tribunais cabia primeiro aos parentes mais próximos, depois aos demais membrosda gens e, por último, aos membros da frátria da vítima.

• "O sistema de consanguinidade que corresponde à gens em sua forma primitiva - e os gregos a tiveram como os demais mortais - assegurava o conhecimento por parte de todos os membros da Gens dos graus de parentesco que os relacionavam entre si.

• Aprendiam-no na prática, desde a mais tenra infância, em virtude da suma importância...
tracking img