Fuzzy

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5076 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA “PAULA SOUZA”
FACULDADE DE TECNOLOGIA DE TAQUARITINGA
TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS


JULIO CESAR CARDOZO COLOMBO
RAFAEL SANTOS VALILA





TRABALHO DE TOPICOS ESPECIAIS EM INFORMATICA
SISTEMAS FUZZY







Taquaritinga-SP
2012


SUMÁRIO
1. RESUMO 3
2. INTRODUÇÃO 3
3. O MODELO DE HIERARQUIA FUZZY 6
4.CONCLUSÃO 9
ALGORITMO HÍBRIDO GENÉTICO-FUZZY APLICADO EM CÂNCER DE PRÓSTATA 10
5. INTRODUÇÃO 10
6. METODOLOGIA 11
7. BASE DE CASOS 12
8. COMPONENTE DINÂMICO: FUNCIONAMENTO DOS ALGORITMOS GENÉTICOS 12
9. COMPONENTE ESTÁTICO: ESTRUTURA DO SISTEMA FUZZY 14
10. RESULTADOS OBTIDOS 15
11. CONCLUSÕES E TRABALHOS FUTUROS 16
12. REFERÊNCIAS 18


UM CASO DE APLICAÇÃO DA LÓGICA FUZZY – O MODELOCOPPE-COSENZA DE HIERARQUIA FUZZY
1. RESUMO

As aplicações da Lógica Fuzzy se expandiram em várias direções. A interpretação através da
lógica fuzzy de uma estrutura de dados é um caminho muito natural e intuitivamente plausível
para a formulação e resolução de problemas. O Modelo Coppe-Cosenza de Hierarquia Fuzzy
tem a Lógica Fuzzy em suas bases. Os sistemas fuzzy são capazes de utilizar, em suamodelagem, informações imprecisas e ambíguas e tornam este modelo capaz de trabalhar
com uma vasta maioria de problemas de hierarquização que têm por característica a sua
complexibilidade e a não exigência de precisão.
Palavras chave: Lógica Fuzzy, Hierarquia Fuzzy, Conceitos Básicos.
2. INTRODUÇÃO

Aristóteles, filósofo grego (384 - 322 a.C.), foi o fundador da ciência da lógica formal, eestabeleceu um conjunto de regras rígidas para que conclusões pudessem ser aceitas
logicamente válidas. O emprego da lógica de Aristóteles leva a uma linha de raciocínio lógico
baseado em premissas e conclusões. Como, por exemplo: se é observado que "todo ser vivo é
mortal" (premissa 1), a seguir é constatado que "Sarah é um ser vivo" (premissa 2), como
conclusão temos que "Sarah é mortal".Conta-se que Epimênides de Creta disse, certa vez: "Todos os cretenses são mentirosos".
Com isso, criou um problema aparentemente sem solução. Esse impasse pode ocorrer com
paradoxos que dependem do uso de conceitos cujo domínio de referência inclui o conceito em
si mesmo. No modelo cretense, a simples afirmativa "o que estou dizendo não é verdadeiro"
gera uma contradição intrínseca: se aafirmativa é verdadeira, está demonstrada a sua
falsidade; se é falsa, pode-se entender que contém a verdade. Esse é o paradoxo de Creta,
retomado na era moderna por Groucho Marx: "Não me interessa pertencer a clubes que me
aceitem como sócio".
Esses paradoxos foram expressos matematicamente por Godel e Tarski [Godel, 1962].
Segundo o teorema de Godel, um sistema complexo formalizado (postuladocomo um
axioma) não pode se auto-avaliar. Isso significa que um sistema lógico de certa complexidade
não pode fugir às suas contradições ocultas.
Acostumou-se a ouvir que o pensamento humano é lógico, e de fato o ser humano tenta
remover de seu raciocínio tudo o que contrarie os padrões da lógica. Refere-se aqui à lógica
formal, que pode ser considerada um representante do conhecimentoclássico de mundo. Sua
sistematização começou com Aristóteles e continuou até os lógicos modernos. Essa espécie
de lógica tem influenciado a filosofia de modo relevante, e vem sendo adotada como modelo
de raciocínio humano. Trata-se de um instrumento indispensável para fazer raciocínios
operacionais em situações concretas.
Devido à sua complexidade, o pensamento requer uma multiplicidade de sistemaslógicos e
mesmo não-lógicos. Na matemática, lida-se principalmente com uma lógica do tipo
axiomático, isto é, diz-se que uma proposição é demonstrada quando é deduzida de outras,
aceitas como verdadeiras. Desse modo, o raciocínio lógico-matemático tem muitas
características tautológicas. A mente humana não pode ser vista como uma máquina de
deduzir, uma espécie de engenhoca processadora...
tracking img