Fluxo de caixa descontado.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1221 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Fluxo de Caixa Descontado.
Esta é a metodologia mais adequada e usada pelo mercado para fazer a avaliação de empresas. Possui uma série de vantagens, entre elas a captura do potencial de benefícios econômicos futuros de geração de caixa.
Fórmula:

FCFFt
(1+ WACC)t

Que é igual a:

VP = F1 + F2 + ... + Fn
(1 +d)¹ (1 + d)² (1 + d)n
Onde:
VP = Valor Presente esperado
Fn = Fluxo de Caixa do período
d = Taxa de desconto aplicada
n = número de períodos
Este método avalia o valor de um ativo como a soma de todos os fluxos de caixa futuros descontados a valor presente. A figura abaixo ilustra a idéia geral do método.




1. Projeta-se o fluxo de caixa livre – FCL(ou free cash flow – FCF).

Fluxo de Caixa Livre – Composição

Receitas Líquidas de Vendas
(-) Custos dos produtos vendidos e despesas operacionais
(=) Lucro operacional
(+) Depreciação e amortização
(-) Investimento no imobilizado
(-) Capital de giro líquido
(=) Fluxo de caixa livre


2. Estima-se uma taxa de desconto (Taxa Mínima de Atratividade)

A taxa de desconto significa ovalor mínimo de retorno que o investidor está disposto a obter para aquele projeto.

Esta taxa é formada a partir de 3 componentes básicas:

Custo de oportunidade: remuneração obtida em alternativas que não as analisadas. Exemplo: caderneta de poupança, fundo de investimento, etc.

Risco do negócio: o ganho tem que remunerar o risco inerente de uma nova ação. Quanto maior o risco, maior aremuneração esperada.

Liquidez: capacidade ou velocidade em que se pode sair de uma posição no mercado para assumir outra.

A taxa de desconto não é fundamentada em critérios inquestionáveis, sendo objeto de negociação entre comprador e vendedor.

3. Calcula-se o valor presente do fluxo de caixa.

Informado através de laudo de Avaliação feito pelo Banco BBA Creditanstalt S.A. da Petrobrás.Exemplo da empresa Petrobrás:

Aplicação Prática do FCD na Petrobrás Distribuidora S.A.

Caso prático respaldado no Laudo de Avaliação feito pelo Banco BBA Creditanstalt S.A. da BR publicado em 30 de Setembro de 2002, tendo como período base as condições de mercado da empresa até 30 de junho de 2002.

R$ milhões 2007 2008 2009 2010 2011
Receita Líquida 36.763 39.00941.441 43.877 46.167
CMV (33.492) (35.504) (37.682 (39.856) (41.879)
Lucro Bruto 3.271 3.500 3.759 4.0421 4.287
Despesa Operacional (1.794) (1.891) (2.011) (2.133) (2.190)
EBIT 1.477 1.608 1.747 1.888 2.097
D&A 264 303 335 364 397
EBITDA 1.740 1.911 2.082 2.252 2.494
Outros Fluxos* (1.225) (1.170) (1.142) (1.213) (1.499)
FCL 515 741 940 1.039 995
* Estes fluxos, considerando asistemática para calcular o FCL, referem-se ao:
Imposto de Renda + Contribuição Social, Investimentos em Capital Fixo + Variação do Capital Circulante.
FONTE: Banco BBA Cresditanstalt S.A (2002). Adaptado.

Custo líquido do capital de terceiros.

Informações a serem aplicadas na mensuração do valor econômico.

Custo do Capital de Terceiros (Ki) %
Ki antes do Imposto de Renda 10,50
Ki Líquidodo Imposto de Renda 7,0% 7,00
Custo do Capital Próprio (Ke) 18,30
Beta (B) desalavancado 0,80
Taxa de Juros com Risco Zero (Rf) 6,10
Prêmio pelo Risco de Mercado (Rm – Rf) 5,20
Risco-Brasil (Rb) 7,40
Estrutura de Capital – Pesos 100,00
Capital de Terceiros 20,00
Capital Próprio 80,00
Custo Médio Ponderado de Capital (WACC) 16,00
Contribuição de Ki 1,40
Contribuição de Ke 14,60FONTE: Banco BBA Cresditanstalt S.A (2002).
Quadro 1 – Cálculo do Custo de Capital – Petrobrás Distribuidora S.A.

O custo médio bruto de capital de terceiros (Ki) foi estimado em 10,5%. A taxa bruta de captação é o custo de capital de terceiros antes do IR. Considerando a alíquota do IR mais a Contribuição Social em 33%, o custo líquido do capital de terceiros reduz para 7% ao ano, ou seja:...
tracking img